sexta-feira, agosto 31, 2007

Encontro Internacional de Arte Jovem em Penela


Penela e Espinhal recebem pela primeira vez, o 1º Encontro Internacional de Arte Jovem do Município de Penela que, durante uma semana, 27 de Agosto a 3 de Setembro, dezenas de jovens e professores provenientes de vários países realizarão ateliers de arte ao vivo e uma exposição “flash”.



Tendo por objectivos fundamentais difundir o gosto pela arte junto da juventude e promover o intercâmbio cultural entre alunos e professores de diferentes proveniências, este encontro que se realiza, pela primeira vez em Penela e pela segunda vez fora do distrito alentejano, contribui para divulgar e promover o concelho além fronteiras nacional.


O Encontro é fruto do esforço organizativo da Teoartis - Associação de Actividades Artísticas e Culturais de Évora e do Município de Penela, que se empenharam em trazer estes 26 jovens artistas e professores, de países como Albânia, Eslovénia, Hungria, Índia, Polónia, Sérvia e Ucrânia e que se destacaram no concurso inserido no Encontro Internacional de Arte Jovem.


Depois de uma calorosa recepção no Salão Nobre dos Paços do Concelho e uma visita turística pelo Concelho de Penela que incluiu a passagem pela Villa Romana do Rabaçal, a Praia Fluvial da Louçainha, a Aldeia de Xisto da Ferraria de S. João, a cascata da Pedra da Ferida, os jovens participam hoje, amanhã e Sábado num atelier aberto em Penela e no Espinhal, onde lhes é dada a oportunidade de desenvolverem a sua actividade criativa produzindo trabalhos utilizando as técnicas mais distintas, na área do desenho e da pintura, enquadrando a sua arte no ambiente que os rodeia.
No final do encontro os participantes serão avaliados e premiados e realizar-se-á uma exposição de trabalhos que poderá ser apreciada durante todo o mês de Setembro, na Sala de Exposições do Auditório Municipal, das 10h00 às 18h00.

Fonte – C.M. Penela

quinta-feira, agosto 30, 2007

Interface de Ceira estará pronto dentro de oito meses


«Dentro de oito meses deverá estar concluído o interface modal do ramal da Lousã em Ceira, obra considerada importante no Sistema de Mobilidade do Mondego.


A CP adjudicou a obra da interface modal e estação de Ceira, no Ramal da Lousã, à Lena Construções, uma “sub-holding” do Grupo Lena para a área da construção, prevendo-se que os trabalhos, um investimento de 648 mil euros, repartidos entre a CP, a Metro Mondego e a Câmara Municipal de Coimbra, estejam concluídos dentro de oito meses.


Esta é considerada uma obra de grande importância no serviço de mobilidade sub-urbana e regional de acesso a Coimbra, uma vez que aquele será o local de transição entre o modo de funcionamento suburbano e urbano do Sistema de Mobilidade do Mondego e porque ela tenderá a funcionar como ponto de ligação entre os sistemas de transporte rodoviário, tanto de carácter mais urbano, como suburbano e regional.


Recorde-se que este interface deverá cumprir vários requisitos. Para além de paragem dos serviços do Metro Ligeiro e das linhas de transporte colectivo rodoviário, a obra que arrancará em breve terá igualmente de ser uma resposta para a transição entre o automóvel e o metro, o autocarro ou o táxi, sendo de extrema importância a construção de estacionamentos e a melhoria das acessibilidades àquela infra-estrutura.


«A solução desenvolvida procura salvaguardar as condições mínimas de operacionalidade exigidas pelos diferentes tipos de veículos, procurando ainda garantir o acesso à interface modal e zona de estacionamento sem demoras significativas e em boas condições de segurança», refere a Metro Mondego (MM), no “Estudo de Implantação da Interface Modal da Estação de Sobral de Ceira”, apreciado na última reunião do executivo camarário de Coimbra. O documento, elaborado pela ACIV – Associação para o Desenvolvimento da Engenharia Civil em colaboração com a MM, refere a necessidade de existir «especial cuidado em desenvolver uma solução integrada e de qualidade para a rede pedonal que serve o interface, designadamente a partir das zonas mais próximas».
Nessa perspectiva, foram introduzidas algumas alterações ao projecto inicial, que consta do concurso lançado pela CP em Novembro do ano passado, e que, no fundo, apesar de corresponderem à perda de 30 lugares de estacionamento, melhoram a acessibilidade pedonal, nomeadamente a pessoas com mobilidade reduzida, e minimizam a afectação de terrenos privados, diminuindo a área total a expropriar, sem prejudicar a funcionalidade do interface.


A obra, que deverá arrancar em breve, será dividida em duas fases, a primeira no âmbito da intervenção prevista no Ramal da Lousã (de mudança de bitola e requalificação da linha) e adequada ao transporte ferroviário actual, e a segunda quando se iniciar a circulação dos tram-trains. Assim, a MM optou por, nesta primeira fase, não construir os espaços destinados ao futuro cais, mantendo em funcionamento os actuais espaços de entrada e largada de passageiros. Estes só serão construídos antes do sistema começar a funcionar definitivamente.


No âmbito deste projecto, e numa parceria com a CP e a MM, a Câmara Municipal de Coimbra assumiu que suportará os encargos da intervenção prevista na Rua do Sobral, junto ao actual apeadeiro, transformando-a em artéria de sentido único, com passeios, de modo a facilitar a acessibilidade em torno da interface. A obra deverá ser realizada em paralelo com os restantes trabalhos.»

Fonte: Rádio Dueça

Novas ETAR em Construção

A Lena Construções deu início no passado mês de Julho à construção da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) e Emissário de Anagueis, uma obra que estará concluída dentro de 12 meses, e que juntamente com a edificação da ETAR da Póvoa, Lousã representa um investimento de 4,5 milhões de euros.


A ETAR de Anagueis está dimensionada para uma população equivalente a três mil habitantes e compreende o tratamento de nível terciário com remoção de nutriente, desinfecção total e aproveitamento do efluente tratado para água industrial, serviço e rega de espaços verdes.

A ETAR da Póvoa, Lousã está dimensionada para 21 mil habitantes e compreende o tratamento de nível secundário, com remoção de azoto, desinfecção e aproveitamento do efluente tratado para água industrial, serviço e rega de espaços verdes.


Será desta, que fica resolvido o problema da Poluição Industrial no Rio Ceira?

quarta-feira, agosto 29, 2007

Lousã Premiada na Área do Turismo

Talasnal

A Câmara Municipal da Lousã candidatou-se ao Prémio Turismo de 2006, iniciativa do ITP Instituto de Turismo de Portugal, concorrendo na categoria Ambiente Campo.

Como resultado desta candidatura foi premiada com uma Menção Honrosa.

Foi apresentado o projecto relativo à Candidatura e Recuperação / Reabilitação de um núcleo de 5 aldeias da Serra da Lousã - Candal, Casal Novo, Cerdeira, Chiqueiro e Talasnal, as quais integram a Rede das Aldeias do Xisto, sendo o núcleo concelhio mais importante no conjunto dos núcleos que integram esta Rede (esta Rede integra 24 aldeias em 14 concelhos do Pinhal Interior). Este foi o único projecto distinguido, no conjunto das três categorias, originário da Região Centro.



As obras de requalificação incidiram, por parte da Autarquia, na reabilitação de espaços públicos, arruamentos, iluminação pública e fachadas e coberturas de imóveis (mediante candidatura dos particulares proprietários dos mesmos).
As melhorias operadas nestas aldeias já possibilitou a realização de uma série de actividades de ordem sócio-cultural que se espera tenham continuação e que visam dinamizar estes espaços.



Iniciativas como:


- a Exposição de Artesanato Contemporâneo "Elementos à Solta", na Aldeia de Cerdeira, em Julho de 2006 e 2007 (em simultâneo com a Mostra Nacional de Artesanato da Lousã), por iniciativa da artesã que lá habita Kerstin Thomas;
- e a Exposição e Venda de Artesanato e Produtos Endógenos "Natal no Candal ou "Feira de Natal numa Aldeia do Xisto", na Aldeia de Candal, em Dezembro de 2006, por iniciativa de um grupo de munícipes e habitantes destas Aldeias e da Vila;

foram apoiadas entusiasticamente pela Câmara Municipal da Lousã e são o resultado imediato desta intervenção e deste empenho.



As melhorias operadas nestas Aldeias possibilitaram também que o reencontro de Verão dos antigos habitantes destes lugares tenha outro tipo de condições e lhes devolva o orgulho e o sentimento de pertença que nutrem em relação à Serra da Lousã. As festas dos lugares serão ocasião para verificarem as melhorias operadas e o esforço financeiro que aí tem sido feito.



Outras iniciativas se desenham já: a 8 de Setembro, no Talasnal terá lugar uma peça de teatro no âmbito do Plano de Animação das Aldeias do Xisto "Ciclo de Teatro das Aldeias do Xisto"; em 1 de Dezembro, no âmbito do mesmo Plano de Animação decorrerá mais uma etapa de "Aromas e Sabores das Aldeias do Xisto", no Talasnal; e em Dezembro, no Candal, será a vez da exposição e venda de artesanato e produtos endógenos "Feira de Natal numa Aldeia do Xisto".


Festival da Juventude Regressa a Miranda do Corvo

Stevans, grupo suíço (http://www.stevans.net/en/index.php)

A Câmara Municipal de Miranda do Corvo organiza, pelo quarto ano consecutivo, o festival da Juventude – “Rock na Quinta” que irá realizar-se entre os dias 30 de Agosto e 2 de Setembro de 2007.

Após o enorme sucesso alcançado em 2005 e 2006, em que o festival recebeu cerca de 10.000 visitantes, a organização, para a edição de 2007, pretende atrair ainda mais visitantes, esperando-se um aumento no número de entradas.

Este ano o festival conta com mais uma noite em que serão realizados dois concursos, um de DJ´s e outro de bandas de garagem. Esta será a primeira noite do evento.

Nos restantes dias do festival, a festa mantém-se fiel ao esquema das últimas edições.

A segunda noite será direccionada para o djing, enquanto que a terceira opta por uma maior mistura de estilos, tendo como “pano de fundo” os belíssimos cenários naturais da Quinta da Paiva.

No dia 31 de Agosto o “Rock na Quinta” vai ser animado por 4 DJ´s, Diego Miranda, Poppy, Tozé Diogo e Bogocien

Para 1 de Setembro, a organização aposta num estilo electrónico mais comercial. Destaca-se neste dia a actuação da banda Stevans, vinda da Suíça e da banda Rockluso. Para além destas duas bandas actuarão também os DJ´s Rita Mendes, Tom, Hugo F e XeeKo.

A organização, para suprir algumas dificuldades de anos anteriores, concebeu o recinto do festival desenvolvido em 4 espaços distintos.

O primeiro espaço é de estacionamento que visa ultrapassar as dificuldades criadas no trânsito de acesso ao local. Com este espaço espera-se ultrapassar essas dificuldades.

Existe um segundo espaço para os participantes que desejarem pernoitar no local, localizado num local bastante aprazível.

Criou-se também um espaço de diversão, direccionado para os mais novos onde se encontrarão várias diversões, nomeadamente insufláveis, pinturas faciais, motos 4, carros a pedais, paint ball, tiro com arco e carrosséis.

Finalmente, o espaço onde actuarão as bandas e os DJ´s, localizado junto à piscina.

Com este programa diversificado o festival da juventude pretende continuar a afirmar-se como um dos maiores festivais da região.

Para os jovens que optem por acampar durante o festival, a organização reservou também um espaço na quinta.

Fonte: C.M. Miranda do Corvo

“A Floresta como pilar de desenvolvimento sustentável”



Seminário sobre a Floresta e os seus recursos

A fileira e os seus usos múltiplos, como a apicultura, a pastorícia, os recursos cinegéticos, as ervas e plantas aromáticas são o maior recurso endógeno do Concelho de Penela, constituindo um elemento vital para uma estratégia de desenvolvimento sustentado.

É neste sentido que a organização da XVIII Feira do Mel decidiu alinhar o programa com a realização do seminário “A Floresta como pilar de desenvolvimento sustentável”, no dia 1 de Setembro, no auditório da Junta de Freguesia do Espinhal. Pretende-se com este encontro motivar o debate e a criação de iniciativas que promovam o desenvolvimento local, envolvendo proprietários, produtores florestais, autarquias, instituições de ensino, empresários e investidores.

Programa:

09h00 – Recepção aos participantes
09h30 – Sessão de abertura:
Presidente da Câmara Municipal de Penela
Presidente da Assembleia Municipal
Presidente da Junta de Freguesia do Espinhal

I PAINEL – POTENCIALIDADES DA FLORESTA
10h00 – “A Gestão Florestal e o uso Múltiplo” – Engº. Pedro Peão (FLOPEN)
10h20 – “O papel da Floresta no desenvolvimento rural” – Prof. Doutor. Pedro Saraiva (SPI)
10h40 – “Os recursos cinegéticos” – Engº. Humberto Cancela (DGRF)

11h00 – Pausa para café

II PAINEL – OS PRODUTOS DA FLORESTA
11h30 – “A Certificação do Mel” – Engª. Cláudia Henriques (Sicó Qualidade)
11h50 – “A Apicultura no Concelho de Penela” – Augusto Santos (Serramel)
12h10 – “A propagação de plantas seleccionadas de medronheiro” - Prof. Filomena Gomes

12h30 – Debate

13h00 – Sessão de Encerramento:
Governador Civil de Coimbra
Comando Operacional Distrital de Operações de Socorro de Coimbra

Foto: Mário Nunes

Fonte: C.M. Penela



Festival Equestre no Espinhal


No âmbito da XVIII Feira do Mel, realiza-se no dia 1 de Setembro, no Campo do Calvário - Espinhal, o primeiro Festival Equestre no Concelho de Penela, com o objectivo de promover as actividades equestres, dirigido não apenas ao público mais especializado, mas também a todos os curiosos e simpatizantes deste nobre animal: o cavalo.


Com provas cronometradas a partir das 15h00, o festival integra uma prova pequena, uma prova média e uma prova grande, com cerca de 1.125,00 euros em prémios.

Informações poderão ser obtidas na Câmara Municipal de Penela (Tel. 239 560 120 | Fax. 239 569 400 | Email: antonio.alves@cm-penela.pt) ou na Junta de Freguesia do Espinhal (Tel. 239 559 127 | Fax. 239 559 111 | Email: geral@jfespinhal.com)

Fonte: C.M. Penela

terça-feira, agosto 28, 2007

“A Água – Recurso para o Futuro no Maciço de Sicó”

II Curso de Verão do CISED

O Centro de Interpretação do Sistema Espeleológico do Dueça (CISED) e o Município de Penela pretendem dar continuidade ao Curso de Verão, realizando pelo segundo ano consecutivo este encontro nos dias 21 e 22 de Setembro, no Auditório Municipal de Penela, sob a temática “A Água – Recurso para o futuro no Maciço de Sicó”.



Nas entranhas do Maciço, as águas responsáveis pela escultura da pedra, à superfície, e pela génese das suas belas e enigmáticas cavidades subterrâneas são hoje um recurso imprescindível para o desenvolvimento regional e local, mas são também, extremamente vulneráveis aos diferentes tipos de poluição que afectam os Maciços Calcários.

Com o objectivo de discutir os modos de circulação da água no carso, a sua importância social e cultural, bem como as diferentes vulnerabilidades a que está sujeita, convidam-se todos os interessados a participar neste Curso de Verão.

As inscrições são gratuitas, sendo a data limite até ao dia 17 de Setembro, junto do Município ou pelo correio dirigido ao secretariado, indicando: nome, instituição a que pertence, morada, telefone e e-mail. No caso de pretender almoçar é necessário o pagamento, por cheque, à ordem do Tesoureiro do Município de Penela, no valor de € 10.



Contactos:
Município de Penela, Praça do Município, 3230 - 253 Penela

Telf. 239 560120 / Fax 239 569 400 / E-mail: infante.cultural@cm-penela.pt


21 DE SETEMBRO

09h00 – Sessão de abertura: Paulo Júlio, Presidente da Câmara Municipal de Penela;
José Eduardo Martins; António Arnaut

10h00 - Conferência inaugural: Armando Carvalho – ICNB

11h00 - Mesa Redonda: Tema I – A água, os processos cársicos e as grutas
Moderador: Emídio Domingues – Assembleia Municipal de Penela,

Intervenientes:
- Lúcio Cunha – Universidade de Coimbra;

- José Miguel Azevedo – Universidade de Coimbra;

- António Crispim – Universidade de Lisboa (a confirmar);

- Luísa Rodrigues – Universidade de Lisboa;

- João Neves – Espeleólogo subaquático;

13h00 – Almoço


15h00 - Mesa Redonda: Tema II: Águas cársicas, vulnerabilidade e património
Moderador: João Pardal – Biólogo

Intervenientes:
- Miguel Pessoa – Villa Romana do Rabaçal;

- Sofia Reboleira – Universidade de Aveiro;

- Luca Dimuccio – Universidade de Coimbra;

- Carlos Neves – Instituto Politécnico de Leiria;

- Alunos de Geografia – Universidade de Coimbra;

18h30 – Porto de Honra oferecido pelo Município de Penela

22 DE SETEMBRO

10h00 – Excursão ao Maciço de Sicó – O Percurso da Água.

Orientação: Lúcio Cunha e Luca Dimuccio


Fonte: C.M. Penela


Grécia, o Reino de Hades (2)

Grécia quer classificar fogo posto como terrorismo

«O Procurador-geral da Grécia, Dimitris Papaguelopoulos, ordenou a abertura de um inquérito preliminar "para determinar se os crimes de incêndios voluntários podem ser incluídos na lei anti-terrorista". As autoridades gregas já detiveram sete pessoas, anunciou hoje o porta-voz dos bombeiros, Yannis Stamoulis.

O Governo grego ofereceu ontem um milhão de euros a quem ajudar a encontrar os incendiários. Vários autarcas locais já denunciaram que os fogos postos têm como objectivo libertar zonas de floresta e agrícolas para novas construções.»

27.08.2007 - AFP, Reuters


Fogos na Grécia ameaçaram ruínas da antiga cidade de Olímpia

«Os bombeiros gregos tiveram hoje de combater as chamas para salvar a antiga cidade de Olímpia, sede dos Jogos Olímpicos da Grécia Antiga, cujas colinas em redor serviram de pasto a vários incêndios.


Espessas colunas de fumo negro elevaram-se sobre as antigas ruínas, enquanto densos bosques de pinheiros e ciprestes ardiam em torno da sede dos antigos Jogos Olímpicos, na península do Peloponeso, no sul do país. O fogo chamuscou o pátio do museu, que alberga um conjunto de famosas esculturas clássicas, como a de Hermes e outros achados das ruínas dos templos e das instalações desportivas.

A antiga Olímpia ostenta as ruínas do estádio e dos templos pagãos que durante séculos, desde 776 a.C., receberam os antigos Jogos Olímpicos e actualmente é o local onde tem lugar a cerimónia da chama olímpica.»

26.08.2007 - Reuters



Incêndios na Grécia obrigam à evacuação de 27 localidades

«Os bombeiros gregos evacuaram esta tarde 27 localidades nas zonas centro e oeste da região do Peloponeso, no Sul da Grécia, onde os incêndios florestais dos últimos quatro dias já fizeram 63 mortos.


Helicópteros Super Puma e Chinook realizaram várias operações de salvamento para evacuar as localidades ameaçadas pelas chamas.»

27.08.2007 - AFP

Fonte: Público, AFP, Reuters
Fotos: Reuters

segunda-feira, agosto 27, 2007

Teatro na Ferraria de S. João

Integrando o Ciclo de Teatro Itinerante nas Aldeias do Xisto, que teve início no passado dia 7 de Julho de 2007, em Gondramaz (concelho de Miranda do Corvo), o grupo de teatro Filhos do Palco, de Miranda do Corvo irá animar diferentes espaços da aldeia da Ferraria de São João no próximo sábado, dia 25 de Setembro, pelas 22 horas.

Massa Crítica em Coimbra, 31 de Agosto de 2007

18H00 - LISBOA, Marquês de Pombal
18H00 - PORTO, Praça dos Leões
18H00 - COIMBRA, Largo da Portagem

A Massa Crítica (também designada de Bicicletada) está inserida no contexto de um movimento internacional de nome "Critical Mass", iniciado em São Francisco há já 10 anos. A ideia consiste em realizar um passeio lúdico e reivindicativo de bicicleta pelas ruas da cidade. Neste passeio os participantes divulgam de maneira criativa o uso de bicicletas e protestam contra o uso abusivo de transportes poluentes.



Todos os meses dezenas de ciclistas pedalam em Lisboa e Porto pela Liberdade e Revolução nas Estradas, incentivando o uso de bicicleta como meio de transporte ecológico.

Objectivos:

1. Divulgar e promover o uso da bicicleta como meio de transporte;
2. Criar condições favoráveis ao uso da bicicleta como meio de transporte;
3. Tornar mais ecológicos os sistemas de mobilidade e transporte.

Resumo dos Princípios:



Não há hierarquia de cargos. As decisões são tomadas por consenso. A Massa Crítica é um movimento apartidário e não comercial. A participação é aberta a qualquer pessoa ou entidade que esteja de acordo com os objectivos do movimento. Para participar na Massa Crítica basta comparecer no local combinado, no dia e hora marcados com a sua bicicleta, skate ou patins. Não é preciso fazer qualquer tipo de inscrição ou pagar qualquer taxa. Os roteiros são decididos na hora e podem ser realizados por todos, inclusive principiantes. Pode trazer seus próprios panfletos, cartazes ou faixas ou usar os já existentes. Se é automobilista e não pode participar da Bicicletada pedalando, o seu apoio também é bem-vindo, seja divulgando a causa, seja respeitando o ciclista no seu dia a dia.

... Descrição da Massa Crítica ...

Bicicletas, skates, patins (e outros transportes não poluentes) desfilarão, por mais de 350 cidades espalhadas pelo mundo, conduzidos por cidadãos comuns, em Portugal realiza-se no Porto e em Lisboa.



A Massa Crítica é um evento que se tem vindo a realizar todos os meses, com um número crescente de aderentes. A "Massa Crítica" pretende ser um movimento capaz de congregar todos os cidadãos inconformados com a supremacia automóvel. O objectivo primordial é realizar uma marcha de bicicletas, e outros meios de transporte não poluentes, com uma forte componente reivindicativa, que transmita uma mensagem pedagógica e exija a criação de políticas de mobilidade mais vantajosas para a utilização de meios de transporte ecológicos (bicicletas, patins, andar a pé).



A "Massa Crítica" é um movimento espontâneo e livremente organizado, e insere-se numa filosofia mundial de reivindicação dos direitos dos cidadãos face ao despotismo do automóvel e às políticas ecologicamente subdesenvolvidas, divulgando a existência de alternativas viáveis à utilização de transportes motorizados privados. Pretende, para além disso, ser o início de um movimento mais amplo e estruturado de activismo ecológico e social.

A "Massa Crítica" não requer grande capacidade física (dado que é uma iniciativa de grupo com uma forte solidariedade entre todos os seus membros). É aconselhável a utilização de capacete de ciclista, máscara anti-poluição e levar água. Muito mais que um protesto, a "Massa Crítica" é uma acção directa saudável, pacifica, didáctica e divertida.


:: BICICLETADA - MASSA CRÍTICA ::
Pelo Ambiente, pela sua Saúde, por um mundo melhor!
Nesta Sexta-feira às 18h
... Website Nacional: http://massacriticapt.net ...

... Porto na Praça dos Leões ...
http://massacritica.pegada.net

... Lisboa no Marquês de Pombal ...
http://massacriticapt.net/drupal

... Coimbra no Largo da Portagem ...
http://massacriticacentro.casainho.net

domingo, agosto 26, 2007

Inimigo Público n.º 1 - O Fogo

Temperaturas elevadas a rondar os 48º C a 50º C, tem colocado os nervos em franja aos bombeiros gregos, que vêem impotentes a floresta ser devastada pelo fogo. O fogo inclusivamente já chegou aos arredores da capital grega, Atenas.

O Sul, o Peloponeso foi devastado pelas chamas.

Há quem fale em mãos criminosas.

Não estaremos a desviar-nos do verdadeiro problema, as alterações climáticas?


A mesma cena passou-se este ano em Itália.

O ano passado em Espanha, na Rússia e em França.

E há dois anos em Portugal, quando o fogo varreu de norte a sul o país, no espaço duma semana percorreu a distância entre a Pampilhosa da Serra e Coimbra, chegando inclusivamente a entrar dentro de Coimbra, deixando um rasto de destruição, devastando os concelhos da Pampilhosa da Serra, V.N. de Poiares, Lousã, Miranda do Corvo, Condeixa-a-Nova e Penela.

Este ano, a mesma cena poder-se-ia ter repetido em Portugal, mas graças às temperaturas amenas, o cenário de Dante afastou-se desta vez do nosso país para conhecer outras paragens...



Que interesses estarão por detrás disto tudo?

Imobiliários?

Indústria das Madeiras?

Ou quem aluga os Meios Aéreos?

Quem vende as caldas e os meios para combater os incêndios?

Ou os malucos do costume, os pirómanos? Será que há assim tantos pirómanos espalhados por esse mundo fora?


Será que não nos estaremos a afastarmos-nos do cerne da questão - As alterações climáticas?

Como vimos atrás, este problema não é exclusivo, a Portugal, todos os verões, o fogo regressa com mais violência.


A floresta mediterrânica está em causa e o deserto ameaça em breve, avançar para norte!


Se pudéssemos cá voltar, que floresta e que Europa do Sul encontraríamos daqui a 100 anos?

Que legado vamos deixar aos nossos netos?


Texto – Mário Nunes

Fotos – AP/BBC (Grécia)



Grécia, o Reino de Hades

As chamas já estão às portas da capital grega, Atenas!

Portugal vai enviar meios de combate às chamas na Grécia


O apelo de ajuda internacional lançado pela Grécia para combater o flagelo dos incêndios no país, que já fez 51 mortos, vai também ser respondido por Portugal.

Segundo, a TSF os detalhes do auxílio a prestar serão anunciados esta manhã pelo Governo. França, Itália, Espanha, Suécia, Israel, Roménia e Sérvia estão entre os países que já enviaram meios aéreos e homens, para auxiliaram os mais de mil bombeiros e quase 500 soldados que combatem os fogos que têm afectado principalmente a península do Peloponeso, no sul do país. Mas ontem vários focos de incêndio ameaçavam, mais a norte a capital, Atenas, que acordou esta manhã mergulhada numa cortina de fumo.



Só ontem, os bombeiros gregos tiveram de assistir 99 incêndios. O vasto número de focos de incêndio faz as autoridades acreditar em fogo posto. Pelo menos dois suspeitos estão a ser interrogados. Estas são os maiores incêndios que afectam a Grécia em décadas.

in Publico on line, 26.08.2007



quarta-feira, agosto 22, 2007

XVIII Feira do Mel do Espinhal

O Espinhal abre as portas da vila, de 31 de Agosto a 2 de Setembro, para receber a XVIII Feira do Mel.

Este certame será uma clara demonstração do que os apicultores do Concelho de Penela e da Região Demarcada do Mel da Serra da Lousã produzem de melhor, compondo a sua mostra com alguns dos seus derivados, como sejam, os licores e aguardentes, o vinagre, as velas de cera de abelha, as compotas e doces, etc.

Para além do Mel, marcam também presença alguns artesãos, outros produtos endógenos certificados, designadamente o queijo “Rabaçal” e o vinho “Terras de Sicó”, bem como, algumas empresas e instituições que contribuem para o desenvolvimento do concelho e da região.

À semelhança dos anos anteriores, o evento conta ainda com muita animação musical e não só…



Rock na Quinta - Regulamento dos Concursos de DJ´s e de Bandas de Garagem

A edição de 2007 do Festival da Juventude Rock na Quinta vai incluir a realização de um concurso de DJ´s e de um concurso de Bandas de Garagem.

Regulamento disponível na página da C.M. Miranda do Corvo

http://www.mirandadocorvo.com

Gondramaz - As Aldeias do Xisto desafiam-no a conhecer a Fauna na Serra da Lousã


“A Serra da Lousã alberga diversos habitats e comunidades vegetais e animais relevantes em termos de biodiversidade e conservação da Natureza.

Entre múltiplas espécies presentes na Serra e incluídas em Directivas Nacionais e Internacionais, que as protegem integralmente bem como os seus habitats, destacam-se a salamandra lusitânica (Chioglossa lusitanica), o lagarto de água (Lacerta schreiberi), a cegonha preta, o tartaranhão- caçador, o guarda rios, a rã ibérica (Rana iberica) e a lontra (Lutra lutra).”

Reserve a tarde de 25 de Agosto e venha conhecer as maravilhas que a Serra da Lousã tem para lhe oferecer.

No dia 25 de Agosto realiza-se um workshop sobre a Fauna da Serra da Lousã, no auditório da Câmara Municipal de Miranda do Corvo e na Aldeia de Gondramaz. Com ponto de encontro marcado para as 14h00 junto ao edifício da Câmara Municipal, onde se iniciará o workshop sob orientação da Dra. Joana Alves e Dr. António Silva, da Universidade de Aveiro

Após o workshop, por volta das 16h30m os participantes serão transportados, em autocarro da Câmara Municipal, até à Aldeia do Gondramaz.

O passeio principia-se junto à aldeia, seguindo em direcção ao Parque das Merendas e depois ao parque Eólico. Inicia-se depois a descida até à aldeia por um caminho diferente, onde o autocarro esperará os participantes para os levar de volta à vila.

As inscrições estão abertas até ao dia 24 de Agosto no Município de Miranda do Corvo – através do telefone ou e-mail – e têm um preço total por pessoa de 5 euros, tendo incluído o seguro e o transporte. Alerta-se para a distância a percorrer que poderá representar alguma dificuldade.

As Aldeias do Xisto são constituídas por 23 aldeias distribuídas por 13 Municípios do Pinhal Interior, na Região Centro de Portugal num território de enorme beleza e que oferece infinitas possibilidades de lazer.

Ao longo dos últimos anos, os 23 núcleos foram alvo de um programa de requalificação que permitiu às aldeias adquirir potencial humano de desenvolvimento, transformando-se em pólos de atracção turística dinâmicos que permitem a criação de uma nova base económica que passa, nomeadamente, pela recuperação das tradições, pela valorização do património arquitectónico construído, pela dinamização das artes e ofícios tradicionais e pela defesa e preservação da paisagem em que se enquadram. Este importante trabalho nunca perdeu de vista aquilo que era o seu principal objectivo: melhorar a qualidade de vida das populações das aldeias, elevando os seus níveis de auto-estima, qualificando o seu tecido social e agregando-as num processo participativo de desenvolvimento que é, antes de mais, seu.

Aldeias do Xisto. A descoberta começa aqui.

Fonte: C.M. Miranda do Corvo

terça-feira, agosto 21, 2007

Outra vez, os Transgénicos...

Transgénicos na Imprensa Portuguesa

«Activistas em protesto

Proprietário da herdade de milho transgénico destruído vai apresentar queixa.

O proprietário da herdade em Silves onde activistas anti-transgénicos destruíram mais de um hectare de milho vai apresentar queixa às autoridades contra os participantes na acção.(…)»

In Sol, edição on line

«Caso dos transgénicos da Lameira já seguiu para o Ministério Público de Silves»
21.08.2007 - 17h32 Lusa


As notícias são praticamente iguais!

Nos jornais e na TV, os ecologistas foram apresentados como uns vândalos…

Claro, que não está correcto entrar por uma propriedade privada dentro e destruir a cultura de milho transgénico. Haveria outras formas, talvez levar o problema a Bruxelas e apresentar o problema a quem de direito…

Mas, alguém explicou aos portugueses em directo, ao vivo e a cores, o que são transgénicos, talvez os portugueses gostassem de saber…

Mas é muito complicado, não dá audiências…

Os Transgénicos foram apresentados como plantas inócuas e inofensivas e houve até quem viesse para a TV dizer que nada estava provado acerca dos mesmos e que decorriam estudos sobre estes, apesar da UE ter legislado sobre o assunto, apesar destas plantas estarem interditas na maior parte dos estados europeus.

Será que Portugal cumpre as Directivas Comunitárias sobre Ambiente?

Não há dúvida, que estamos mesmo na cauda da Europa, até na forma como lidamos com o Ambiente…

Uma pergunta inocente fica no ar:

Será que a Monsanto ou outra multinacional morte americana anda a subsidiar alguém?

«Ai Costa, a vida, Costa!»

Texto – Mário Nunes

segunda-feira, agosto 20, 2007

Transgénicos, Biodiversidade em causa?

Transgénicos são plantas criadas em laboratório com técnicas da engenharia genética que permitem "cortar e colar" genes de um organismo para outro, mudando a forma do organismo e manipulando sua estrutura natural a fim de obter características específicas. Não há limite para esta técnica; por exemplo, é possível criar combinações nunca imaginadas como animais com plantas e bactérias.

Pode-se, com essa tecnologia, inserir genes de porcos em seres humanos, de vírus ou bactérias em milho e assim por diante.




Quase todos os países da Europa têm rejeitado os produtos transgénicos.

Devido à pressão de grupos ambientalistas e da população, a UE proibiu a sua comercialização e seu cultivo (quase 80% dos europeus não querem consumir transgénicos).

As sementes transgénicas são patenteadas pelas empresas que as desenvolveram (empresas norte americanas). Algumas destas empresas na América do Norte e na América Latina tem recolhido sementes de cereais e de outras culturas destinadas à alimentação humana. Quando o agricultor compra essas sementes, ele assina um contrato que o proíbe de replantá-las no ano seguinte (prática de guardar sementes, tradicional da agricultura), comercializá-las, trocá-las ou passá-las adiante.



Você sabia que os transgénicos...



... podem aumentar a resistência a antibióticos?


... podem causar alergias?


... podem contaminar plantações vizinhas e toda a cadeia alimentar?

… transgénicos são poluição viva!


... na América Latina os pequenos agricultores são responsáveis pela produção de 50% das batatas, 60% do milho e 70% do feijão?


... a adopção de métodos de agricultura ecológica possibilitam um aumento médio de 73% na produção de alimentos?

Agora fica explicado o súbito interesse das grandes companhias americanas, quando se avizinha a era dos bio combustíveis!

domingo, agosto 19, 2007

Quo Vadis, Coimbra?

Ou Coimbra, Lágrimas de Nostalgia, poderia ser também o título.

É com mágoa profunda que vejo encerrar as portas de inúmeros estabelecimentos comerciais que faziam parte da memória da Lusa Atenas.

Nos últimos 25 anos fecharam portas: os Cafés Brasileira (café centenário), Arcádia, a Barbearia Universal de Basílio Diniz (barbearia com 100 anos de história), a mítica discoteca Valentim de Carvalho, localizados na Rua Ferreira Borges, em Coimbra.

A nostalgia da «A Brasileira»

Fecharam também portas ao público as salas de cinema do Avenida, do S. Teotónio, do Sousa Bastos e do Tivoli (que deu lugar primeiro à Zara e depois a outra loja congénere).


Aqui funcionava o Cinema Tivoli, noutros tempos

Hoje fala-se tanto em comércio tradicional e nada se faz para manter os espaços e lojas existentes na Baixa e Baixinha da cidade de Coimbra.

Pelo contrário, com o passar dos anos vemos fechar casas que faziam parte da memória duma cidade. Há quem se questione que a baixa não gera movimento e que está deserta, pois os conimbricenses preferem outras paragens, porquê?

A baixa da cidade está descaracterizada, com tanto pronto-a-vestir, lojas de lingerie e perfumarias pertencentes a cadeias internacionais e a franchising.

As grandes superfícies (Continente, modelo, Pingo Doce, Makro, Jumbo, Lidl e Carrefour) tomaram de assalto a cidade.


Barbearia Universal, 100 anos de História

Já não há lugar para os pequenos comerciantes.

É com profunda apreensão que vejo encerrar inúmeras lojas ditas do comércio tradicional.

O sector secundário já não existe, as poucas fábricas que havia na Zona Industrial da Pedrulha fecharam as portas deixando no desemprego milhares de trabalhadores.

Por enquanto, o sector de comércio e serviços vai proporcionando emprego aos conimbricenses.

Será que a cidade pode dormir à sombra da Universidade?

Sim e até quando?

Texto – Mário Nunes



Rua Visconde da Luz

Foi com profunda apreensão que esta manhã li no Diário de Coimbra o seguinte artigo:

« Café Central deverá ser substituído por pronto-a-vestir ou loja de lingerie
Gerente não quis confirmar mas é certo que o Café Central irá encerrar e no seu lugar nascerá uma outra loja, muito provavelmente do pronto-a-vestir ou de lingerie. Junta de Freguesia e Agência para a Promoção da Baixa lamentam a perda «de mais um café de referência da cidade»



É um dado adquirido. O Café Central, mais um espaço emblemático da Baixa de Coimbra, está fechado para obras e não voltará a abrir, prevendo-se que venha a funcionar no seu lugar um estabelecimento comercial dedicado a outro ramo de actividade, muito provavelmente uma loja de pronto-a-vestir ou de lingerie.


Luís Oliveira, gerente do Café Central, e também do Café Nicola, recusou-se a confirmar a informação ou a tecer comentários sobre o assunto, quando contactado pelo Diário de Coimbra, mas Carlos Clemente, presidente da Junta de Freguesia de S. Bartolomeu, confirmou ao nosso Jornal que efectivamente o Central fechou portas e não voltará a abrir ao público com este nome, nem dedicado à restauração.


«Mais um café de referência da Baixa que se perde. É lamentável», reagiu o autarca confessando que «é com muita mágoa» que vê fechar mais um espaço emblemático da cidade, local de reunião de muitas pessoas da cidade e famoso, em tempos, pela venda de marmelada e “rebuçados” de fabrico próprio, conforme recordou Carlos Clemente, também ele frequentador daquele espaço, localizado na Rua Ferreira Borges.


O presidente da Junta de Freguesia de S. Bartolomeu não tem dúvidas: «se não forem tomadas medidas urgentes, a Baixa ficará cada vez mais descaracterizada e com nada que atraia as pessoas a visitá-la» e, por isso, considera que as entidades responsáveis terão que, rapidamente, fazer algo «para inverter esta situação». Carlos Clemente considera que é tão «grave que a Central deixe de ser Central» como o é que tivessem fechado o Arcádia ou a Brasileira, temendo que depois do Central, «vá o Nicola ou até o Santa Cruz».

É Coimbra que perde.



«Coimbra só perde com isto», advertiu, lamentando que mais um espaço carismático da Baixa seja ocupado por um pronto-a-vestir «ou por outra loja do género, iguais às que já vemos nos centros comerciais da cidade». É precisamente por aqui que se inicia o comentário de Armindo Gaspar a este encerramento. Sem querer meter-se «nas questões de mercado», o presidente da Agência para a Promoção da Baixa de Coimbra (APBC) considera que deveria existir a preocupação, quando se opta pela venda ou pelo trespasse de, pelo menos, «procurar áreas que não existam» nesta zona da cidade.
Neste caso, Armindo Gaspar diz que não o chocaria tanto se, em vez do pronto-a-vestir ou da loja de lingerie, no espaço do Café Central nascesse uma gelataria, «que é um ramo de actividade que não existe na Baixa e que, por isso, com certeza que clientes não faltariam». «Desta forma não havia uma descaracterização tão grande desta zona da cidade», continuou o presidente da APBC, confessando-se «preocupado, apreensivo e até triste» pelo fecho de mais um café de referência da Baixa e por «não haver capacidade para inverter esta tendência».


Seja como for, Armindo Gaspar diz que pretende levar a uma próxima reunião da APBC uma proposta para a criação de um gabinete, dentro da agência, que, à semelhança do que acontece em Santiago de Compostela, em Espanha, acompanhe este tipo de processos e encaminhe os negócios para «áreas que sejam mais importantes de desenvolver na Baixa de Coimbra». Isto aplicar-se-ia para vendas e trespasses mas também para a ocupação de áreas desocupadas da Baixa, explicou o responsável, adiantando que «a agência serviria de intermediária» entre todas as partes.


Quanto à notícia publicada recentemente no Diário de Coimbra de que a Câmara Municipal poderia apoiar investidores interessados em adquirir o antigo edifício do café “A Brasileira”, que neste momento está à venda, de modo a devolver-lhe as características culturais que fizeram daquele espaço um dos mais carismáticos da Baixa e da cidade, Armindo Gaspar comprometeu-se a também debater o assunto com os restantes membros da APBC de modo a perceber «o que é possível fazer para que tal se concretize».

in Diário de Coimbra



Praça do Comércio

sábado, agosto 18, 2007

Água de Madeiros, Assim Não!

Água de Madeiros era e é, uma pequena localidade pacata, situada a 3 km, a sul de S. Pedro do Moel. A praia encontra-se junto à pequena povoação e é constituída por um areal extenso cercado por arribas altas, quando a maré vaza á possível passearmos-nos sobre os rochedos, onde encontramos pequenas surpresas, como mexilhões, lapas, anémonas, pequenos polvos e peixes.


Mas, o sossego está prestes a acabar! O progresso está prestes a chegar e o turismo de massas, infelizmente também…

A Câmara Municipal de Alcobaça lançou as infra-estruturas para arruamentos, água, luz e esgotos.

Vem aí os aldeamentos turísticos!


O cordão dunar e a vegetação que o compõem serão sacrificados em nome do progresso.

Progresso ou retrocesso?


Um pouco mais para sul, a cerca de 1 km, nem tanto, constrói-se em cima da falésia, é visível um guindaste sobre esta (!)



Um pouco atrás e um pouco à frente existem repetidos avisos, alertando para o perigo de queda de blocos ou arribas…

Apesar das imagens televisivas do Inverno passado, da Costa de Caparica, da Ilha de Faro, de Espinho e de tantos outros lugares, onde o mar e a erosão avançam sobre a costa portuguesa, destruindo falésias, arribas, areais, dunas,…

Isto acontece, porque o Homem não respeita a Mãe Natureza!

Fotos e Texto – Mário Nunes

quinta-feira, agosto 16, 2007

À Beira de um Ataque de Nervos...


Crise do crédito imobiliário de alto risco nos EUA alastra à Europa e assusta os mercados. As bolsas derraparam, tendo os investidores perdido largos milhões. Este mini «crash» foi contido graças à pronta intervenção do Banco Federal e do BCE, que injectaram dinheiro fresco no sistema.

O sucedido superou em larga escala, o que se passou a 11 de Setembro de 2001.

O cenário vivido a 9 de Agosto de 2007, com descidas fortes nos principais mercados, quebra dos valores das matérias-primas e agravamento das taxas de juro do sector bancário veio confirmar o receio de que o aperto a que se assiste nas condições de acesso ao crédito possa colocar um ponto final na actual fase de crescimento da economia mundial.

O lado negativo da intervenção do BCE é o de que sugere que possa haver mais problemas por revelar…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...