segunda-feira, março 31, 2008

Vai uma jeropiga?


Os Moinhos foram o palco do encontro de várias confrarias do país. Vieram de vários pontos do país. Guimarães, Lamas, Pombal, Avança, Vila Nova de Poiares, Tentúgal ou Pampilhosa da Serra O motivo não era para menos, a "irmandade" da terra - Confraria dos Amigos da Geropiga de Moinhos e de Arredores celebrou a entronização de novos confrades.

E há interesses para todos os gostos. A Confraria Panela ao Lume, do Bodo, da Broa, do Caco, da Chanfana, da Cabra Velha, sem esquecer, a dos Peraltas ou da Doçaria Conventual de Tentúgal.


Reserva Ecológica Nacional a preços de saldo


«A Quercus revelou recentemente que mais de 20% das Resoluções de Conselho de Ministros nestes primeiros três meses de 2008 foram para alterar a Reserva Ecológica Nacional (REN).


Parece que governo e algumas autarquias olham para a REN não como um importante instrumento de ordenamento do território e manutenção dos equilíbrios ecológicos mas antes como uma reserva de solos para fomentar a fácil especulação imobiliária.

Na verdade muitos são os exemplos em que, com o apoio do governo e das autarquias envolvidas, são autorizados grandes projectos em áreas de REN adquiridas a preços baixos. Com as desanexações à REN acima referidas os preços desses terrenos multiplicam-se muitas vezes. Fica o interesse público a perder e o investidor privado a ganhar graças à intervenção dos organismos do Estado no que agora é um simples acto administrativo.


Desta forma a REN, entre outros instrumentos de ordenamento do território, perde cada vez mais a capacidade de cumprir as suas funções ecológicas, agravando problemas tão graves como as cheias devido à destruição do coberto vegetal, ocupação de leitos de cheia e impermeabilização dos solos.»


Hélder Spínola


Supersol é o próximo a chegar

«Há quase um mês que arrancaram as obras que, a médio prazo vão dar origem a mais uma grande superfície comercial na Lousã. A Bom Dia – Sociedade de Gestão e Exploração de Supermercados, mais propriamente com a cadeia de lojas Supersol, vai instalar-se na Rua de Coimbra, junto às rotundas, no antigo depósito do Chico dos Pneus.
Este novo estabelecimento de comercio a retalho vai ter uma área de venda superior a 500 metros quadrados.

As lojas Supersol fazem parte de um projecto de franchising desenvolvido pela Bom Dia - Sociedade de Gestão e Exploração de Supermercados, empresa criada pela Manuel Nunes & Fernandes para gerir um projecto de retalho de média dimensão.»
Ler mais em:

http://www.trevim.pt/noticia.asp?edcid=299&sccid=109&ntcid=5809



Em jeito de comentário breve:
Mais outra!?

No Dia Mundial do Teatro, a "Encerrado para Obras" afirma a sediação em Penela


No âmbito das comemorações do Dia Mundial do Teatro, o Município de Penela assinou na passada semana, um protocolo com a Companhia de Teatro “Encerrado para Obras” que desde Maio de 2007 tem estado a trabalhar em Penela.



Com a assinatura deste protocolo a Companhia “Encerrado para Obras” reafirma a sua residência em Penela, no Clube Recreativo e Desportivo Penelense, dando continuidade ao seu sucesso profissional, bem como de integração na comunidade.



Na presença do Director Regional da Cultura do Centro, que afirmou que esta foi uma cerimónia de grande importância para a região, uma vez que a “Encerrado para Obras”, cria a partir de Penela uma rede de projectos culturais que abrange o concelho e a região, tendo já iniciado vário projectos em concelhos limítrofes.



No Dia Mundial do Teatro esta Companhia apresentou também o seu mais recente projecto, “Minha árvore minha casa”, uma peça de teatro que visa a sensibilização para a preservação da floresta e natureza, fazendo neste dia um ensaio da peça aberto ao público.



Este dia foi marcado também pelas exposições em vários locais do concelho sob o tema “O que é o teatro?”, uma acção promovida pelo Projecto TerritórioArtes levado à escala nacional.





sábado, março 29, 2008

Milimetro de Superfície (1)

Recortes de Imprensa:

«Sobe de tom contestação ao “metro” na Solum

A proposta final do traçado do metro ligeiro de superfície, que prevê a passagem junto às escolas da zona da Solum, é hoje votada na reunião do executivo camarário. Enquanto a Metro Mondego (MM) defende que o percurso «é uma solução excelente», os pais dos alunos mobilizam-se na contestação pública e esta tarde estarão na autarquia.



Depois de terem reunido, no final de Fevereiro, com o presidente da MM, Álvaro Maia Seco, os pais e encarregados dos alunos das escolas da Solum quiseram conhecer o estudo que sustenta a opção conhecida como “Variante da Solum”, alternativa que colocará o “metro” a atravessar o coração daquela zona da cidade, e a passar, de dois minutos e meio em dois minutos e meio (a horas de ponta), “às portas” de três escolas.


O Jardim-escola e a Escola Primária João de Deus, na Rua D. João III, e o infantário do agrupamento de escolas Eugénio de Castro, na mesma artéria, são os três estabelecimentos de ensino que ficarão “a ver passar” o metro, caso o traçado previsto seja aprovado logo à tarde, na votação do executivo camarário.


A reunião terá a presença do presidente da MM mas também de alguns pais que contestam a decisão, sobretudo agora que conhecem o estudo efectuado, de 15 páginas, e usado para legitimar o percurso. Para os pais, aliás, é o próprio autor do estudo a apresentar «de forma objectiva e rigorosa, o seu ponto mais fraco», realça um dos encarregados de educação que contesta o traçado previsto.


«Os dados que deram origem a este relatório, que são dados de um estudo de procura realizado em 2002 para a opção anterior do metro, não podem ser usados com a exactidão necessária para se fazer agora o estudo de procura nesta zona da Solum», nota Joana Matos Dias, realçando que é o próprio autor do estudo, a que entretanto teve acesso, quem o diz.


Refira-se que o estudo da MM estima um aumento do número de utentes na ordem dos 4200 por dia, previsões que, na opinião dos que contestam este traçado, são «muito irrealistas». «A mim não me convencem», confessa Joana Matos Dias, notando que só aceitaria estas previsões mediante um estudo actual e que levasse em conta todas as condicionantes. «É preciso definir novos fundamentos», realça, reafirmando que perante as dúvidas levantadas pelo próprio autor do estudo, «as conclusões que se tiram são todas muito passíveis de críticas, como é normal».



“Metro tem de passar onde há pessoas”



Mais, segundo Joana Matos Dias, Álvaro Maia Seco terá justificado junto dos pais a opção por esta variante para que, acusou a encarregada de educação, «o Metro não seja um buraco financeiro». Um argumento de cariz económico que desassossega ainda mais os pais, que dizem tão pouco acreditar nas garantias de segurança dadas pelo presidente da MM.


«Neste estudo o autor diz que não foram considerados os transportes colectivos naquela zona porque não têm representatividade», exemplifica a encarregada de Educação, dizendo que lhe custa, por isso, acreditar nos mais de 4000 utentes estimados, por dia, quando é o próprio autor a não considerar o transporte público representativo.


Acreditando que o executivo não aprove hoje o traçado, ou, pelo menos, que adie a decisão, Joana Matos Dias confirma que alguns pais vão estar hoje na Câmara para dar conta dos «muitos pontos fracos» que encontram no estudo que sustenta a variante da Solum, bem como dos receios da maioria.


Já Ana Isabel, mãe de um aluno do João de Deus, faz eco dos receios dos pais mas, mais, fala também enquanto moradora naquela zona da cidade. «O metro a passar perto de uma escola e numa zona pedonal não é uma solução viável para ninguém», defende Ana Isabel, acrescentando que de «todos os moradores com quem tenho falado sobre o assunto ainda não houve um que entendesse a solução». «Se não houvesse trânsito, ou se o percurso fosse razoável como alternativa para quem aqui mora, ainda seria aceitável», desabafa Ana Isabel, notando que «não foi feito qualquer tipo de estudo» neste contexto.
Pais e encarregados de Educação só terão ficado a saber deste traçado depois de uma carta enviado pela directora de uma das escolas, motivo que os leva a contestar ainda mais este processo, que qualificam de pouco claro e desenvolvido sem os esclarecimentos necessários.

Presidente da MM diz que receios são injustificados



Confrontado com os medos dos pais, Álvaro Maia Seco diz compreender os receios de «alguns deles», mas alega que «estes não são justificados», defendendo que a solução prevê «um afastamento de mais de seis metros das escolas». A isso, somar-se-à «a baixa velocidade dos veículos ferroviários, de cerca de 30 quilómetros por hora», factores que garantem, segundo o responsável da empresam, a segurança da passagem do metro ligeiro naquela zona pedonal.


Às críticas ao estudo, o presidente da MM reage com o facto de ele próprio ter participado, na altura e enquanto professor na Universidade, no tratamento dos dados, e frisa que nem sequer «(os dados) levaram em conta os utentes do Dolce Vita, entretanto construído, nem o impacto deste centro comercial na procura que poderá provocar».


«Os dados que temos de procura potencial são claramente suficientes para justificar a adopção da solução», reitera Álvaro Maia Seco, acusando quem critica o estudo de não ter, também, «nem estudos nem dados» que digam que não haverá os utentes estimados.


O presidente da MM admite mesmo que até está «feliz com esta controvérsia» e diz que espera que a cidade diga de uma vez «se quer ter metro ou não quer ter metro», acrescentando que «não vale a pena querer metro se não o queremos nos sítios onde há pessoas».
«O metro é uma solução eminentemente de carácter urbano, que se destina a circular junto das pessoas; só faz sentido se houver procura». Álvaro Maia Seco vai estar esta tarde na Câmara para esclarecer os vereadores sobre o traçado, que acredita venha a ser aprovado; já Carlos Encarnação, presidente da Câmara Municipal, alega que houve uma semana para se reflectir sobre o assunto, depois da apresentação do Metro, há oito dias.


«São duas posições diferentes que têm de ser dirimidas», nota o autarca, que não quis antecipar o que poderá acontecer logo, na votação, e optou por não dar, nesta altura, a sua opinião sobre o assunto. «Numa questão tão controversa», disse o edil, «darei a minha opinião na reunião», sendo que o próprio presidente solicitou à MM um conjunto de informações sobre o metro de superfície, as quais ainda não recebeu, e, por isso, poderá ser admissível o adiamento da votação.

In Diário de Coimbra

À volta do Metro de superfície…

Histórias…

A descoberta começa aqui...


Actividades

29.03.2008 a 29.03.2008

Canoagem - Descida do rio Alva

Sector muito diversificado com inúmeros açudes estreitos, rápidos com rochas no meio. Sector com 12km. Existem 2 açudes com 2metros de altura que são transpostos com toda a segurança. Requer experiência anterior em canoagem.

29.03.2008 a 30.03.2008

Canoagem no Zêzere

Descida de canoa no Rio Zêzere.

Rota da Chanfana 2008

Final de Março... é tempo de passear.

O mês de Março está a terminar e o nosso convite é para vir connosco fazer um passeio BTT.


No próximo dia 30 de Março, Domingo, traga a sua bicicleta e venha connosco fazer a “II Rota dos 3 Cumes”. Com início em S. Sebastião (junto à capela), sobe ao Monte de Vez onde pode fruir as magníficas paisagens envolventes, descendo até Chão de Ourique, Póvoa e Cumieira, uma zona belíssima em que os calcários se misturam com oliveiras, azinheiras, carvalhos…. A partir daqui o destino é o agora verdejante vale do Rabaçal, onde pode observar o Castelo do Germanelo, a Villa Romana do Rabaçal e espraiar o olhar pela magnífica planície. O passeio termina onde começou – em S. Sebastião.




As inscrições estão abertas até dia 28 de Março, através dos contactos: 933 130 837 / 918 468 109 / 962 513 731 / E-mail: matooumorro@sapo.pt.

Informações:
- Concentração 08h00 em S. Sebastião (Junto à Capela)

- 40 Km de dificuldade média com seguro incluído

- Reforço

- Banhos quentes

- Almoço

- Lavagem de Bicicletas

- Uso Obrigatório de capacete

Inverno Cultural

Este fim-de-semana voltamos a ter Inverno Cultural no Sábado e Domingo.
No dia 29 de Março, pelas 21h00 no Centro Cultural da Cumieira pode assistir aos seguintes espectáculos:

- Sociedade Filarmónica do Espinhal

- Companhia Teatral “Encerrado para Obras”

No Domingo, dia 30 de Março, pelas 15h00, no Centro Cultural de Serra Espinhal vão estar:

- Grupo de Música Popular “Ou Vai ou Racha”

- Associação desportiva e Cultural Estalactites com a peça de teatro: “O Julgamento do Bacalhau”

sexta-feira, março 28, 2008

Bicicletada...


Aparece no Largo da Portagem, em Coimbra, dia 28 de Março, sexta-feira, pelas 18 horas com a tua bicicleta. Prometo que vais gostar.


Vê o PDF em anexo.





http://www.massacriticapt.net/?q=sobre-a-massa-critica/massa-critica-em-coimbra

http://www.massacriticapt.net/?q=ligacoes

terça-feira, março 25, 2008

Uma centena subiu à Pedra da Ferida


Nem o mau tempo impediu que cerca de uma centena de pessoas participassem na caminhada inaugural do novo percursos pedestre que liga a vila do Espinhal à cascata da Pedra da Ferida.



Novos e graúdos, ninguém se negou a uma caminhada de cerca de seis quilómetros, com muitas subidas íngremes pelo caminho. Trata-se da inauguração oficial de um percurso que tem o seu epílogo junto à cascata da Pedra da Ferida, uma queda de água com cerca de 25 metros de altura e de beleza deslumbrante.


A chuva e algum frio que ontem se fizeram sentir, não fizeram desanimaram as várias dezenas de pessoas que se concentraram, bem cedo, junto ao Calvário do Espinhal.


Dali até à cascata são cerca de três quilómetros, outros tantos para regressar. Desde miúdos pequenos a pessoas de mais idade, uns melhor equipados do que outros, todos cumpriram o trajecto com alegria e algum esforço.


No sentido de reabilitar um local que considera «dos mais agradáveis no concelho», a autarquia, com apoio do programa Agris, investiu cerca de 25 mil euros num parque de lazer, situado logo no início do percurso, assim como noutros equipamentos, como sinalética, pontes de madeira, mesas, bancos e papeleiras.


Para possibilitar o acesso à cascata da Pedra da Ferida, foi necessário também proceder à limpeza da vegetação e beneficiação do percurso, em desuso há décadas, desde que deixaram de funcionar os vários moinhos de água existentes na Ribeira da Azenha.


Ontem, na inauguração do espaço, foi possível observar a beleza de todo o trajecto, classificado de dificuldade média/baixa, muito embora alguns locais exijam mais do que boa vontade.


Para quem quiser fazer a totalidade dos quilómetros, o indicado é partir da zona do calvário, realizando uma primeira fase em caminhos largos de terra batida, encetando, no caminho da Ribeira da Azenha, a verdadeira aventura no meio do verde da vegetação e nas águas límpidas do riacho, subindo muitos metros até alcançar o prémio que é apreciar a queda de água.
Claro que a área dá outras hipóteses de desfrute, tanto mais que o parque de merendas é logo à entrada, numa zona onde os declives não são acentuados e possibilitando passeios também agradáveis.


Na iniciativa de ontem ninguém manifestou descontentamento ou dificuldades anormais, ainda menos na altura em que foi oferecido um lanche que ajudou a restaurar as energias depois do desgaste da caminhada.
No futuro, a Câmara Municipal de Penela planeia aumentar a atractividade turística do local, através da recuperação de algumas das várias azenhas existentes, havendo ainda a possibilidade do percurso vir a ser prolongado até à Louçaínha, situada poucos quilómetros depois da cascata da Pedra da Ferida.

In Diário de Coimbra

“Julgamento do Bacalhau” afugentou frio, em Domingo de Páscoa

A tradição voltou a cumprir-se no Espinhal, vinte e cinco anos depois. O Espinhal engalanou-se para receber as câmaras da TVI, representou-se o “Julgamento do Bacalhau”, um périplo que assinala o fim da Quaresma e também o da proibição e comer carne. É, por isso, uma manifestação satírica vivida em moldes diferentes do passado, mas sempre recebida com entusiasmo pelos habitantes do Espinhal.



Após o julgamento seguiu-se mais uma queima do Judas perante o gáudio de milhares de pessoas de passagem, por esta vila centenária do concelho de Penela.

domingo, março 23, 2008

Páscoa Feliz

Desejo a todos os leitores deste blogue, uma Páscoa Feliz!

sexta-feira, março 21, 2008

A descoberta começa aqui...

22.03.2008 a 22.03.2008

Arganil inaugura primeiro Centro Interpretativo da Rede de Arte Rupestre nas Aldeias do Xisto

O Município de Arganil vai inaugurar o primeiro Centro Interpretativo da Rede de Arte Rupestre nas Aldeias do Xisto. O projecto financiado no âmbito do anterior Quadro Comunitário, envolve os Municípios de Arganil e do Fundão, com os Centros Interpretativos de Chãs d’Égua e do Poço do Caldeirão, respectivamente. O objectivo do projecto é criar mais um percurso temático no âmbito da oferta turística e educacional da Rede das Aldeias do Xisto.



Vai ser inaugurado, no dia 22 de Março de 2008, pelas 16h, o Centro Interpretativo de Arte Rupestre de Chãs d’Égua – Piódão, em Arganil.



A implantação do Centro Interpretativo em Chãs d’Égua, surge na sequência da descoberta de um significativo número de gravuras rupestres, nesta região de Arganil, atribuídas aos períodos compreendidos entre o Neolítico e o Bronze Final. A descoberta, até ao momento, de mais de cem rochas gravadas, faz deste local a mais importante concentração de arte rupestre no espaço que se estende entre o Tejo e o Douro/Baixo Côa.



Este espaço deverá também funcionar como Centro de Acolhimento para visitas guiadas a diversos núcleos de arte rupestre deste território, com especial destaque para Chãs d’Égua. Existe a convicção de que as gravuras descobertas no Piódão são apenas uma das pontas de um novelo muito mais complexo, inscrevendo-se a sua iconografia no contexto mais vasto da arte rupestre da Serra do Açor, pelo que se pretende também que esta iniciativa constitua o embrião de futuras parcerias que permitam a constituição de uma rota da arte rupestre nesta região.



Através de uma parceria entre os Municípios de Arganil e do Fundão, a Pinus Verde – Associação de Desenvolvimento pretende promover uma rede que ligará o Centro de Arte Rupestre de Chãs d’Égua ao Centro Interpretativo do Poço do Caldeirão – Barroca. Esta ligação em rede tem como finalidade, a promoção de uma identidade única da Arte Rupestre do Pinhal Interior no âmbito da oferta turística das Aldeias do Xisto. Refira-se que o projecto tem o acompanhamento técnico e institucional das autoridades nacionais competentes na matéria.

22.03.2008 a 23.03.2008

Páscoa em Aventura

Momentos de adrenalina e emoção na Páscoa de 2008!A Grau 5 sugere para a época da Páscoa um programa de fim-de-semana com mais aventura e emoção! Inclui canoagem no Rio Zêzere com visita às figuras rupestres da Barroca, BTT pela Rota do Mineiro e Paintball.

22.03.2008 a 22.03.2008

Canoagem - Descida do rio Alva

É a parte mais acessível do Rio Alva.Sector com 9km com 2 sectores distintos: a parte inicial com um açude de 2m e uma sucessão de pequenos rápidos até à paragem do almoço. A parte final tem um açude partido a meio que tem sempre uma passagem difícil. A partir daí apanha-se o efeito da Mini-Hidríca de Secarias e a água torna-se parada, praticamente até ao final. Embora possa ser realizado como iniciação à canoagem, recomenda-se experiência anterior, principalmente se o rio estiver forte.

22.03.2008 a 22.03.2008

Percurso Pedestre "Pedra da Ferida"

Inauguração do percurso pedestre "Pedra da Ferida".

O encontro está marcado para as 09:30h, junto à Capela do Calvário, em Espinhal, para um passeio pedestre inaugural deste percurso.

O troço tem cerca de 6 Km de distância e a dificuldade é média/baixa.

23.03.2008 a 23.03.2008

Orientação pedestre em Góis

Orientação pedestre com bússola e carta militar, em Góis.

24.03.2008 a 28.03.2008

Dar vida à Maternidade das Árvores

Voluntariado ambiental na Serra da Lousã.

A ideia é colaborar na implementação de uma maternidade de árvores onde a Lousitânea faz a reprodução de espécies arbóreas e arbustivas autóctones da Serra da Lousã. Estas espécies ocupavam outrora todo o coberto vegetal deste maciço da cordilheira central, mas hoje estão circunscritos a poucos redutos em locais de difícil acesso.

A Maternidade pretende reproduzir espécies como o Azereiro, Azevinho, várias tipos de Carvalho, Castanheiro, Folhado, Medronheiro, Plátano Bastardo, Sobreiro, Teixo, Ulmeiro, entre outras, e devolvê-las ao seu ambiente natural. Vão ainda contribuir para a criação de um percurso pedestre, construir ninhos para aves e um herbáreo de espécies autóctones, reproduzir árvores com recurso a estacas e sementes, ajudar a comunidade local em trabalhos agrícolas tradicionais.


Sentir-se-à a envolvência das Aldeias do Xisto de Aigra Nova e Comareira, em plena Rede Natuira 2000 da Serra da Lousã. É um espaço natural deslumbrante, com aldeias com população serrana, hospitaleira e com fortes tradições culturais, com as quais os participantes terão oportunidade de interagir.


Duas tardes durante o programa os participantes terão oportunidade de fazer actividades de desporto aventura na vila de Góis.

Lousã, Mini Preço abre dia 25 de Março


«A cadeia Dia Portugal Supermercados está a ultimar os preparativos para a inauguração da nova loja Minipreço Parking, na Lousã, que abre ao público ainda antes do final do corrente mês.(…)

A loja Minipreço Parking que foi construída, praticamente em tempo recorde, com início em Fevereiro de 2008, está situada na Rua Engenheiro Duarte Pacheco.
O pavilhão está assente numa área total de 900 metros quadrados, apresentando uma área de venda de 600 metros quadrados, incluindo um amplo parque de estacionamento.
O acesso à loja faz-se pela Avenida do Brasil, apesar do acesso ao local estar condicionado pelas obras a decorrer na estação de caminhos de ferro da Lousã (…).»

In Trevim




Merece-me um comentário: Mais outra!

Para acabar de vez com o comércio tradicional na Lousã...

A somar ao Lidl, ao Intermarché e em breve ao Modelo (em construção).

Haverá espaço na Lousã para tantos Supermercdos de média e grande dimensão?


Quinta da Paiva abrangida pelo Programa de Incentivo ao Turismo

«ADFP recebe apoio do turismo de Portugal

O Núcleo de Educação Ambiental e Cultural da Quinta da Paiva viu aprovada uma candidatura ao PIT - Programa de Intervenção no Turismo, tendo lhe sido concedido um apoio financeiro na ordem dos 45 625,16 euros.


O PIT enquadra-se no Plano Estratégico Nacional do Turismo lançado pelo Governo com vista ao desenvolvimento do Turismo, segundo um modelo que privilegia a qualidade e conceitos como pólo turístico e produto turístico estratégico.»

In ADFP

Inauguração do Percurso Pedestre da Pedra da Ferida


No próximo Sábado, dia 22 de Março, esteja presente na inauguração do Percurso Pedestre da Pedra da Ferida, junto ao Calvário, na vila do Espinhal, pelas 09h30 e venha connosco fazer este percurso agora recuperado.



A paisagem da Serra do Espinhal é um dos locais mais agradáveis que se pode encontrar no Concelho de Penela. O ar puro combina com a paisagem deslumbrante que ao mesmo tempo é um convite irresistível à exploração de todos os cantos por mais escondidos que estejam. A cascata da Pedra da Ferida é um desses lugares.



É provavelmente um dos espaços mais encantadores do concelho, com uma queda de água com cerca de 25 metros no limite de um vale luxuriante, passando agora a estar mais acessível, também com mesas e bancos para quem por lá passar poder fazer um piquenique sob aquela magnifica paisagem.



Inauguração do Percurso Pedestre da Pedra da Ferida:


- Local: Espinhal com concentração junto ao Calvário;


- Data e Horário: 22 de Março (Sábado) com concentração às 09h30, saída às 10h00 e chegada prevista às 12h30.


- Percurso: Intensidade e Dificuldade Média / Baixa, total de 6 Km (do Calvário à Pedra da Ferida e voltar);

Queima do Judas e julgamento do bacalhau

Queima do Judas e julgamento do bacalhau – Organização da Junta de Freguesia do Espinhal, próximo dia 23 de Março de 2008, a partir das 15h00, na Vila do Espinhal.

Rosando expõe na Sala de Exposições do Auditório Municipal de Penela

"Diálogos com a Alma", é o nome da exposição que está patente na Sala de Exposições Temporárias do Auditório Municipal de Penela, do artista sedeado no Espinhal, Rosando.

Esta exposição de grande qualidade estará disponível até dia 23 de Março.



Aproveite os próximos dias e visite-a!

quinta-feira, março 20, 2008

Lousã Camp 4x4

Percurso dos Veados

O Sector de Desporto e Tempos Livres, da Câmara Municipal da Lousã, aposta na contínua dinamização de actividades que envolvam o exercício físico, aliando a esta prática a vertente turística e ambiental do concelho.



Desta feita, o Sector de Desporto propõe, no âmbito do Projecto Caminhadas 2008, algumas actividades a que serão desenvolvidas a partir do mês de Abril.

Assim, no próximo dia 13 de Abril será realizado o “Percurso dos Veados”.



A concentração para esta actividade é às 08h00, no Parque Municipal de Exposições. Os participantes vão passar em Cacilhas, no Terreiro das Bruxas (local onde será oferecido, pela autarquia, um reforço alimentar) e em Vale Nogueira, estando a chegada, ao Parque Municipal de Exposições, prevista para as 13h00.



As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até à segunda-feira anterior à data da actividade. Os interessados podem inscrever-se via e-mail, para geral@cm-lousa.pt (deverão ser enviados os dados solicitados na ficha de inscrição), por correio, fax (239 990386), ou no Sector de Desporto e Tempos Livres da Câmara Municipal da Lousã.



Segundo o Vereador do Desporto, Luís Antunes, “A dinamização deste projecto tem como principal objectivo incentivar a população Lousanense a praticar, informalmente, exercício físico e aliar esta situação com o contacto com o património natural e cultural do Concelho”.



Este projecto conta com o apoio do Montanha Clube-Secção de Caminheiros.

Páscoa Gastronómica

15 a 23 de Março de 2008 - O Centro de Portugal no seu Caminho

Para ampliar a imagem e ter acesso aos restaurantes e ementas clique por favor duas vezes sobre a imagem.

http://www.turismo-centro.pt/programa/ver.php?id=246

terça-feira, março 18, 2008

Reabilitação dos Caminhos da Pedra da Ferida

É provavelmente o espaço mais encantador do concelho de Penela.

Uma queda de água com 25 metros no limite de um vale abruptamente cavado na rocha que acolhe uma vegetação luxuriante, está agora mais acessível.

O caminho pedonal foi beneficiado e foram colocadas mesas para, por ali, podermos descansar, contemplar…


sábado, março 15, 2008

Alterações no Traçado do Metro


«A Câmara Municipal da Lousã não foi auscultada pela Administração da Sociedade Metro Mondego sobre se concordava ou não com as alterações propostas ao traçado urbano do projecto do tram-train, confirmou Fernando Carvalho, presidente da autarquia, na última reunião de câmara do executivo, segunda-feira, dia 3 de Março. O edil não sabe qual a data de lançamento do concurso público da obra (embora a MM aponte para Maio/Junho) até porque as propostas de alteração ainda não foram aprovadas pela tutela.


Filipe Soares, vereador do PSD, lembrou que os prazos para a construção do tram-train “estão completamente ultrapassados”, tendo em conta a calendarização apresentada pela Secretária de Estado dos Transportes há dois anos, em Coimbra. “Uma obra que deveria estar concluída até ao final deste ano, ainda nem sequer está lançada a concurso”, referiu o autarca, acrescentando que “se aproxima perigosamente o fim do mandato do actual Governo”.


Analisando as alterações mencionadas na imprensa, “consideramo-las inaceitáveis”. “O que os lousanenses querem é um acesso rápido a Coimbra, à linha ferroviária nacional e ao TGV. Esta alteração implica a criação de mais apea­deiros e mais atrasos no lançamento da obra”, continuou, ressalvando, no entanto, que a solução agora preconizada pode ser criada no âmbito da introdução de uma nova linha dentro de Coimbra, que vá até à zona dos arcos. “Não concordamos que o Ramal da Lousã seja mais prejudi­cado”.


O presidente da Câmara Municipal afirmou reconhecer o atraso da obra. “Com toda a franqueza, não sei quais os timings para o lançamento do concurso. Numa primeira fase, o projecto só iria até ao parque, agora pretende-se que chegue à estação velha”, explicou. Questionado sobre se a Câmara teria sido ouvida como accionista na questão das modificações, o edil respondeu que “não”. “Esta introdução aumenta o percurso e a câmara não foi vista nem achada neste processo”, lamentou Filipe Soares. “Vamos esperar”, rematou o presidente do Município.


Com a introdução das novas alterações, o metro quando circular no sentido Lousã-Coimbra (que antes seguia da zona da Casa Branca directamente para a actual paragem de S. José), fará uma incursão pela zona da Solum. Haverá uma paragem na Casa Branca (perto da esquadra da PSP), de onde o transporte seguirá para a Avenida Fernando Namora (onde passa a haver uma paragem) e inflictirá para a Avenida General Humberto Delgado até à zona da Escola Superior de Educação (onde se situará outra paragem). Depois, descerá a Alameda D. João III até à zona da Praceta 25 de Abril, onde ficará a paragem de S. José.»

Segundo «O Trevim»

É caso para dizer, que há quem ande atento às diatribes levadas a cabo em Coimbra!

Nada me espantaria, com tanto estudo, às expensas de todos nós, se o Metro ficasse só por Coimbra e nós sem Comboio e Metro.

Em 1932, passou-se o mesmo filme, depois de diversas polémicas, com o traçado e com as obras a mais. Acho que já não há volta a dar. É o fado dos portugueses.

Ao fim de quase trinta anos de obras, o comboio ficou só por Serpins, quando era para chegar a Góis e a Arganil.

Ah, pois é, a História repete-se…

Exposição de Cerâmica e Pintura no Rabaçal

Dia 15 de Março, Sábado, pelas 17h30, será inaugurada no Espaço-Museu Villa Romana do Rabaçal a Exposição de Cerâmica e Pintura da autoria de Santiago Ribeiro e Maria Pedro Olaio.


Uma exposição repleta de obras interessantes, que estará patente até 23 de Maio.

Inverno Cultural

Este fim-de-semana o Inverno Cultural começa no sábado, pelas 21h00, na Casa da Cultura do Espinhal (antiga Casa do Povo) com as actuações:



- Companhia Teatral “Encerrado para Obras”


- Tuna Feminina da Universidade de Coimbra – “As Mondeguinas”



Nesta noite de Inverno Cultural, será também assinado o Protocolo entre o Município de Penela e a Sociedade Filarmónica do Espinhal que estabelece a parceria na limpeza e restauro do espólio do Professor Doutor José Bacalhau.



No Domingo é a vez do Centro Cultural de Alfafar receber o Inverno Cultural, pelas 15h00, com os espectáculos:



- Companhia Teatral “Encerrado para Obras”


- Grupo de Música Popular “Terra Firme”

Também acontece, aqui à volta, nas Aldeias de Xisto...


Eventos

15.03.2008 a 23.03.2008

Festival do Bacalhau e do Azeite

A Câmara Municipal de Vila de Rei lança o primeiro Festival do Bacalhau e do Azeite.


Vila de Rei volta a ser palco de um evento gastronómico, desta feita dedicado a dois produtos tipicamente portugueses, tanto no que diz respeito à cultura nacional como à produção lusa: o bacalhau e o azeite.



Durante 10 dias, de 15 a 23 de Março, os visitantes poderão saborear os mais variados pratos de bacalhau, bem como deliciosas entradas e sobremesas onde o azeite se faz sentir de modo especial.



O evento conta com a participação de cinco restaurantes: Albergaria D. Dinis, Casa do Lago, O Cobra/O Geodésico, O Eléctrico, Paraíso do Zêzere, os quais já aderiram a uma edição anterior dedicada ao achigã e que prometem voltar a inovar na confecção e apresentação dos pratos, com o intuito de colocar Vila de Rei ao mais alto nível nas rotas da culinária de qualidade.



Usados em conjunto ou em separado, apesar de o azeite estar na base de quase todos os pratos, o alimento e a gordura caem bem na refeição de qualquer português. A comprovar estão as inúmeras confrarias, associações e afins dedicadas a ambos os produtos e o famoso mito de o bacalhau poder ser confeccionado de 1001 maneiras.

15.03.2008 a 15.03.2008

Canyoning – Ribeira da Pena

Actividade que envolve a descida a pé da Ribeira da Pena, com recurso a saltos, descidas em rapel e travessias por dentro de água. Esta ribeira percorre um vale encaixado e abrupto cujo leito, margens e encostas são formados por impressionantes fragas que tornam este local quase inacessível. Por esta razão, este vale ainda serve de refugio a plantas e animais exclusivos e raros. Esta é a ribeira mais espectacular da Região Centro, onde se conjugam o cenário inóspito e selvagem (formado por inúmeras cascatas, lagoas e rochedos imponentes) com a vegetação exuberante e a vida selvagem peculiar, valendo a pena o esforço dispendido na realização desta actividade.

15.03.2008 a 15.03.2008

Canoagem - Descida do rio Alva

Sector com mais de uma dezena de açudes, com diferentes formatos. Este é um sector com muitos formatos: rampa, degrau, vertical, redondo, inteiro, semi-destruídos, entre outros. Não tem sectores muito técnicos, mas exige alguma condição e destreza física, porque o contacto com a água é inevitável. Requer experiência anterior em canoagem.

15.03.2008 a 15.03.2008

Passeio Pedestre - Rota das Gravuras Rupestres II

Uma caminhada pela Aldeia do Xisto da Barroca em busca dos vestígios rupestres junto ao Rio Zêzere.Na Barroca, concelho do Fundão, vamos fazer um passeio pelas diferenças da paisagem e da história: por um lado as marcas da exploração mineira que se junta à beleza natural do Zêzere, e por outro os vestígios históricos, de outras ocupações, com 15 mil anos (período Paleolítico) e descobertos na Barroca em 2003.

16.03.2008 a 16.03.2008

Ascensão aos Penedos de Góis

Actividade de iniciação ao montanhismo.Os Penedos de Góis são um penedo de quartzito que formou desníveis únicos, com quedas de água e refúgios de aves raríssimas em plena Serra da Lousã. Um local deslumbrante. Visita às aldeias serranas de Góis com as suas tradições e hospitalidade beirã.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...