domingo, junho 29, 2008

Esculturas para a Posteridade

Monumento ao trabalho, na Zona Industrial da Pereira, em Miranda do Corvo

Monumento de Homenagem aos Ferroviários, na Cruz Branca, em Miranda do Corvo



Monumento de Homenagem ao Oleiro, junto ao Posto de Turismo, desta vila, na Praça José Falcão. Miranda do Corvo, terra do barro vermelho.

Monumento de Homenagem aos Bombeiros, junto ao Quartel dos Bombeiros Voluntários de Miranda do Corvo, na Rua das Fontaínhas, junto à Estrada para os Moinhos.Monumento à Liberdade, próximo da Biblioteca Municipal de Miranda do Corvo, na rotunda entre a Rua do Cruzeiro e a Rua das Fontaínhas.

Fotos - Mário Nunes

quinta-feira, junho 26, 2008

terça-feira, junho 24, 2008

Novo Interface de Miranda do Corvo



Como irá ficar depois das obras...

Miranda do Corvo, um Concelho Florido...

Semana da Juventude - Penela 2008, 23 a 29 de Junho

.:: SEMANA DA JUVENTUDE ::. Penela 2008



Penela abriu ontem as portas a todos os jovens da Região interessados em viver experiências novas.


A partir de hoje, até ao próximo dia 29 de Junho, em vários locais do concelho decorrerão actividades desportivas, ateliers e oficinas, feira de artesanato urbano, concertos e muitas surpresas!


Um desafio: quem quiser participar neste evento passe em

http://www.myspace.com/semanadajuventudepenela2008
e deixe as opiniões, vídeos e comentários sobre a Semana da Juventude 2008.

Consultem o programa detalhado nesta newsletter ou em

http://www.cm-penela.pt/destaque.html


Para ampliar clique duas vezes sobre a imagem!

Novo combate contra a Co-Incineração, em Souselas

«O advogado Castanheira Barros apresentou ontem à tarde uma terceira acção popular no Tribunal Administrativo e Fiscal de Coimbra contra a co-incineração em Souselas, com vista a anular a licença de exploração da Cimpor.


Esta acção popular, a terceira, vem juntar-se a uma acção cautelar, entregue a 2 de Junho, para suspender as licenças ambientais, de instalação e de exploração na cimenteira de Souselas.
Segundo o causídico de Coimbra, a queima de resíduos industriais perigosos (RIP) tem estado a efectuar-se com base «num despacho do ministro do Ambiente de 2006 que dispensou a Cimpor da Avaliação de Impacte Ambiental AIA), com base num estudo de 1998, com 10 anos, portanto desactualizado e caducado».


Nesta acção, à semelhança das outras, Castanheira Barros solicita a impugnação do despacho do ministro do Ambiente, por o considerar ferido de legalidade, e consequentemente a anulação da licença de exploração de queima de RIP na cimenteira de Souselas.


«Espero que esta seja a última acção deste complicado processo», referiu o advogado, adiantando que, neste processo, solicita ao tribunal que todas as três acções sejam fundidas numa só.
Castanheira Barros explicou à Lusa que «o Estudo de Impacte Ambiental (EIA) que a Cimpor apresentou em Outubro de 2007 para a co-incineração em Souselas foi chumbado pela Comissão de Avaliação Ambiental, o que fez com que a empresa tivesse desistido de prosseguir com a AIA».
«A Agência Portuguesa do Ambiente não obstante ter sido uma das três entidades públicas que chumbaram o EIA da Cimpor veio a atribuir-lhe a licença de exploração com base no despacho do Ministério do Ambiente de 2006», sublinhou.


O advogado salienta que o relatório de Novembro de 2007 que chumba o EIA «apresentado pela Cimpor esteve no segredo dos deuses até há alguns dias atrás, em que foi por mim descoberto num outro processo administrativo».
O relatório que chumbou o EIA apresentado pela Cimpor, acrescentou, denunciava a falta de avaliação dos «aspectos decorrentes dos impactes na saúde das populações», de «um Plano de Emergência e um Plano de Saúde e Segurança para as instalações» e as «quantidades de resíduos a incinerar».», in Diário de Coimbra, de 24.06.2008

Mais Uma... Bicicletada!




Aparece e traz amigas/os

  • Aveiro - Início de encontro na Praça Melo Freitas (perto do Rossio) a partir das 18h, saída às 18h30.

  • Coimbra - Concentração no Largo da Portagem, junto à estátua do Mata Frades.

  • Lisboa - Concentração na Marquês Pombal, no início do Parque Eduardo VII.

  • Porto - Concentração na Praça dos Leões.


Divulguem junto dos vossos contactos...



Aparece no Largo da Portagem dia 27, 6ª feira, pelas 18 horas com a tua bicicleta. Prometo que vais gostar.

http://www.massacriticapt.net/?q=sobre-a-massa-critica/massa-critica-em-coimbra

http://www.massacriticapt.net/?q=ligacoes


quinta-feira, junho 19, 2008

Sem Palavras...


Cartoon de Zédalmeida

S. João, em Miranda do Corvo

Pátria


Hoje estamos em maré de grandes vultos da escrita portuguesa e das suas opiniões acerca da política portuguesa. Vejam o que Guerra Junqueiro dizia do comportamento do povo português e dos partidos políticos maioritários da altura, e que hoje passados mais de 100 anos, tal testemunho se aplica sem deslocar uma virgula que seja....mas hoje ainda roubam muito mais e á descarada.

"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas; um povo em catalepsia ambulante, não se lembrando nem donde vem, nem onde está, nem para onde vai; um povo, enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom, e guarda ainda na noite da sua inconsciência como que um lampejo misterioso da alma nacional, reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta.


[.] Uma burguesia, cívica e politicamente corrupta até à medula, não descriminando já o bem do mal, sem palavras, sem vergonha, sem carácter, havendo homens que, honrados na vida íntima, descambam na vida pública em pantomineiros e sevandijas, capazes de toda a veniaga e toda a infâmia, da mentira à falsificação, da violência ao roubo, donde provém que na política portuguesa sucedam, entre a indiferença geral, escândalos monstruosos, absolutamente inverosímeis no Limoeiro.


Um poder legislativo, esfregão de cozinha do executivo; este criado de quarto do moderador; e este, finalmente, tornado absoluto pela abdicação unânime do País.


A justiça ao arbítrio da Política, torcendo-lhe a vara ao ponto de fazer dela saca-rolhas.


Dois partidos sem ideias, sem planos, sem convicções, incapazes, vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico e pervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos, iguais um ao outro como duas metades do mesmo zero, e não se malgando e fundindo, apesar disso, pela razão que alguém deu no parlamento, de não caberem todos duma vez na mesma sala de jantar."

Guerra Junqueiro, 1896

Pátria, como há 112 anos…

Mensagem enviada por I.V.

segunda-feira, junho 16, 2008

Milimetro de Superficie (4)

Abaixo Assinado contra Traçado do Metro na Solum


«A agenda da reunião do executivo da Câmara Municipal de Coimbra volta a integrar questões relacionadas com o Metropolitano Ligeiro do Mondego (MLM). Desta feita, a integração funcional das estações do Vale das Flores, Norton de Matos, Arregaça, Rainha Santa e Parque vai ser votada pelos vereadores, que vão ficar a conhecer o desenho técnico da integração urbanística das cinco estações atrás referidas.


Para cada uma das paragens foram estudadas e avaliadas soluções técnicas que levaram, entre outros aspectos, à determinação da localização exacta das estações e das suas características e à definição dos acessos pedonais. Em resumo, a integração funcional diz respeito a questões urbanísticas e de mobilidade integrada nas paragens, com adequação às soluções técnicas.


A proposta para aprovação da solução urbanística e funcional das várias estações na malha urbana entre o Vale das Flores e o Parque da cidade volta a ser discutida pelo executivo, que, recorde-se, chumbou, no passado dia 10 de Março, com o voto do presidente da Câmara Municipal de Coimbra, o novo troço urbano, que inclui a variante da Solum.


Na altura, Carlos Encarnação disse exigir o compromisso por escrito da tutela a indicar a electrificação da totalidade do Ramal da Lousã, ou seja, até Coimbra-B, na primeira fase de trabalhos. Recentemente, Álvaro Maia Seco, presidente do Conselho de Administração da Metro Mondego (MM), deixou a garantia de que tal exigência será, em breve, concretizada pelo Governo de José Sócrates.


A vereação vai votar, ainda, o protocolo da construção da componente rodoviária do interface de Ceira. Recorde-se que as obras de construção das infra-estruturas (interfaces) de Miranda do Corvo e Lousã, a exemplo do que acontece em Ceira, já estão a decorrer, assumindo-se como obras essenciais para a implementação e funcionamento do Sistema de Mobilidade do Mondego.


Apesar do impasse e dos protestos de pais e encarregados de educação de alunos de escolas da zona da Solum, que, no dia 10 de Março, na reunião do executivo camarário, mostraram o seu descontentamento, Álvaro Maia Seco adiantou, há dias, que os estudos continuam e que, até ao final do ano, deverá ser lançado o concurso internacional para a construção do traçado urbano do metropolitano.


“Metro Mondego - alteração do traçado da zona da Solum” é uma das alíneas do ponto da agenda da ordem do dia dedicado a assuntos diversos. Vai ser dado conhecimento à vereação que foi entregue um abaixo-assinado, onde se incluem pais e encarregados de educação de alunos de escolas e moradores da zona da Solum, dando conta das preocupações já levadas à reunião da autarquia.», in Diário de Coimbra de 16.06.2008


Comentário meu: Com tanta polémica à volta da Metro Mondego, tanta contestação, tanto abaixo assinado, virá o Metro algum dia a circular em Coimbra ou no Ramal da Lousã?

Tenho as minhas dúvidas...

Semana da Juventude - Penela 2008, 23 a 29 de Junho


Break Dance, Dj s, Hip-Hop, Jazz, Cinema de Animação, Desportos Aquáticos, Slide, Encontro de Bandas de Garagem, Artesanato Urbano, Espeleologia, Desporto, Festa World Music e Muita Animação na Rua!

sábado, junho 14, 2008

O Golpe...


Os únicos culpados da crise!

Quem?

O Abutre?

Tudo se resolvia com a redução do ISP.

E há ainda quem fale na privatização definitiva da EDP e da liberalização do mercado da Energia…

(O boneco é da autoria do Zedalmeida, colaborador do fantástico blogue de humor

http://pitecos.blogs.sapo.pt/

que vos convido a descobrir...)

Esgotado!


Esta era a imagem de Norte a Sul do país, na semana que passou, bombas de abastecimento de combustíveis esgotadas e filas intermináveis de carros.

sexta-feira, junho 13, 2008

Greve dos Camionistas parou o país em 3 dias…


9428 empresas de camionagem e 73665 camionistas imobilizaram Portugal!

Atónitos muitos comentadores televisivos e alguns governantes despertaram para o país real, aquele que desconhecem.

Todos os dias centenas de pequenas e médias empresas encerram portas atirando milhares de trabalhadores para o desemprego.

Estes já ultrapassam o meio milhão e provavelmente o seu verdadeiro número é desconhecido, pois parece que as estatísticas andam manipuladas, a bel prazer deste (des)governo.

Também ainda ninguém sabe quantos portugueses deixaram o país a caminho do estrangeiro, desde que Sócrates é o chefe de governo.

Nem ninguém se preocupa com a crise que se abateu sobre a classe média.

É com preocupação crescente que muitas famílias assistem ao macabro aumento diário dos combustíveis, dos transportes, das prestações bancárias relacionadas com a habitação, da alimentação…

Nalguns lares não se vive, sobrevive-se.

No noticiário da noite de 4ª feira, na TVI, o comentador de serviço sugeriu o uso da força para a resolução da crise…

Sugeriu que o estado se tinha demitido das suas funções e que tudo se resolveria com umas bastonadas…

Houve ainda quem dissesse que a autoridade do Estado tinha sido colocada em causa e que um dia destes qualquer classe profissional poderia parar de novo o país.

Provavelmente tudo se resolveria se o Governo tivesse baixado o ISP ou se o Chefe do Governo tivesse chamado as petrolíferas à razão.

Se este governasse e zelasse pelo bem estar de todos os portugueses e não só de alguns, se este governasse em função de Portugal como um todo e não em função de Lisboa ou do Porto ou ainda dos Directórios cinzentos de Bruxelas.

É que provavelmente a mecha já está acesa…

Texto – Mário Nunes

Penela de Portas Abertas...


Hastear da Bandeira Azul e Animação na Praia Fluvial da Louçainha

Este ano a Praia Fluvial da Louçainha foi mais uma vez merecedora da Bandeira Azul atribuída pela Associação da Bandeira Azul da Europa (ABAE), tendo sido a eleita para o primeiro hastear da Bandeira Azul numa praia fluvial, no próximo dia 14 de Junho, sábado, pelas 12H30.



Neste dia a partir das 10H00 até ao final da tarde, decorrerão actividades desportivas e de lazer que interagem com as excelentes condições físicas desta praia, distinguida com bandeira azul pelo segundo ano consecutivo.

Junte-se a nós!

Traga farnel e passe um dia diferente, aproveitando a animação na Praia Fluvial da Louçainha.


PROGRAMA:

10H00 – Início de actividades de Educação Ambiental,
desportivas, jogos tradicionais e animação musical.

11H30 – Mega Aula de aeróbica do PHIVE

12H30 – Cerimónia do Hastear da 1ª Bandeira Azul Fluvial 2008

15H00 – Demonstração de Desportos Náuticos

Sarau Cultural no Castelo de Penela

A Câmara Municipal de Penela e o Centro Comunitário de Desenvolvimento e Solidariedade Social de Coimbra, realizam no próximo sábado, dia 14 de Junho, pelas 21h30 um Sarau Cultural no Castelo de Penela.


Programa do Sarau:

21H30 – Recepção dos Convidados


22H00 – Representação das Peças:


“TODO O MUNDO E NINGUÉM” de Gil Vicente

Adaptação de Mário Nunes


“O REINO DO AMOR”

Teatralização de um texto “Coimbra de Capa e Batina “

de Carminé Nobre.



23H00 - Sessão de lançamento do álbum “ Visitas Com História”,
edição do CCDSSC


23H30 - Prova de Sabores Regionais

Feira Anual de S. João


Na Lousã, de 19 a 24 de Junho de 2008

Mostra Comercial e Industrial e Feira Popular

Espectáculos

Exposições

Eventos desportivos

20 a 24

Mostra Comercial e Industrial e Feira Popular


19 (5ª Feira)

Grupo de Fados e Fogo Preso

21h — Grupo de Fados e Fogo Preso
Local: Piscinas Naturais da Srª da Piedade

21h30 — Sarau Cultural e Desportivo
Local: Pavilhão Municipal Nº2 (Escola EB 2/3 da Lousã)
Organização: Agrupamentos de Escolas da Lousã
Apoio: CML


20 (6ª Feira)

David Fonseca

22h — David Fonseca
Local: Parque Municipal de Exposições

21 (Sábado)

15h — III º Festival de Natação da Lousã
Local: Piscina Municipal da Lousã
Organização: Clube Desportivo Lousanense – Secção de Natação
Apoio: CML/ANC

15h — Exposição de Miniaturas de Costumes Tradicionais das Gândaras, de Francisco Ferreira (até 13 de juLho)
Local: Sala de Exposições Temporárias do Museu Etnográfico da Lousã, Dr. Louzã Henriques

16h — Exposição de Fotografia “Janelas da Lousã” (até 25 de julho)
Pelos alunos do Curso Profissional de Técnico de Gestão da Escola Secundária da Lousã
Local: Átrio da Biblioteca Municipal da Lousã

20h — 8ª Descida Nocturna — Trevim - Lousã
Organização: Montanha Clube-Secção de Caminheiros/CML

Ana Malhoa

22h — Ana Malhoa
Local: Parque Municipal de Exposições


22 (Domingo)

08h30 — XVI Passeio de Cicloturismo
Concentração: Praça Sá Carneiro
Local: Concelhos da Lousã e Miranda do Corvo
Organização: Clube Desportivo Lousanense – Secção de Cicloturismo
Apoio: CML

17h — Festival de Folclore Concelhio
Local: Anfiteatro do Parque Carlos Reis; Organização: CML

Anjos

22h — Anjos
Local: Parque Municipal de Exposições

23 (2ª Feira)

21h — Desfile das Marchas Populares
Local: Av. Dr. José Cardoso, R. Dr. Henrique Figueiredo e Av. S.Silveste

24h — Banda Kremlin
Local: Parque Municipal de Exposições

24 (3ª Feira – Feriado Municipal)

17h — Sessão Solene do Dia do Município
Local: Salão Nobre do Edifício dos Passos do Concelho

Quim Barreiros

22h — Quim Barreiros
Local: Parque Municipal de Exposições

24h — Espectáculo Piro-Musical
Local: Campo de Jogos de Santa Rita

Aldeias do Xisto, A Descoberta começa aqui...

Talasnal

Eventos

14.06.2008 a 14.06.2008

Craft Design Lojas Aldeias do Xisto

Produtores, Artesãos, Lojistas, Investigadores, Empresários, Designers, Gestores, todos juntos na Comunidade de Práticas – Rede de Lojas Aldeias do Xisto para debater:Que Cultura? Que Design? Mercados: do Global ao Local.


Programa
9h30 – Recepção dos participantes
10h00 – Abertura
. Paulo Fernandes - ADXTUR
. Luís Rocha - CEARTE
. Paulo Alves – Ceramista; Rede de Artesãos Lojas Aldeias do Xisto

Painel 1
10h45 – Que cultura, que design? Produtos compósitos Lojas Aldeias do Xisto
. João Amaral - CEARTE
. Luís Ferreira - CENTA
. Rui Martins – FLINT, Design de Comunicação,Lda
Moderador: Sérgio Gonçalves – ESAD

Debate

12h00 – Intervalo
12h30 – Conclusões e Recomendações
13h00 – Almoço

Painel 2
10h45 – Mercados: do Global ao Local (Glocal)
. João André - Filósofo
. Pedro Ramos – Economista; A Casa Portuguesa
. Kerstin Thomas - Loja Aldeias do Xisto – Candal; Rede de Artesãos Lojas Aldeias do Xisto Moderador: Bruno Ramos - ADXTUR

Debate

15h30 – Intervalo
16h00 – Conclusões e Recomendações
16h15 – Encerramento

14.06.2008 a 15.06.2008

Aeróbica nas Praias Fluviais da Rede das Aldeias do Xisto

Na Região Centro, as Praias Fluviais respondem ao calor com a frescura e a qualidade das suas águas. E com animação, muita animação. No dia 14 há uma acção de educação ambiental para crianças na Parias da Louçainha, em Penela. E no dia 15 há aeróbica.

Às 15h está programada uma mega-aula de aeróbica a decorrer nas praias de Canaveias e Peneda (Góis), Sª da Piedade e Bogueira (Lousã) Ana de Aviz (Figueiró) Aldeia Ruiva (Proença) Açude Pinto (Oleiros) Rocas (Castanheira) Pomares (Arganil) e Mosteiro (Pedrógão).

13.06.2008 a 15.06.2008

Festa da Cereja

Concertos. Animação de Rua. Tasquinhas. Passeios pelos Pomares. Visitas guiadas ao concelho. Venda de cereja e derivados. Venda de Artesanato.

14.06.2008 a 15.06.2008

Transzêzere - Travessia em kayak no rio Zêzere

O Rio Zêzere é o cenário para uma aventura de três dias onde a tranquilidade da água, a beleza da paisagem e o convívio entre amigos se conjugam numa experiência única.

Experimente a liberdade e a sensação de perfeita comunhão com a Natureza proporcionada pela canoagem de travessia em autonomia.

Com início na Aldeia do Xisto de Álvaro, o percurso atravessa alguns dos locais mais bonitos do Rio Zêzere, como a foz da Ribeira de Pêra, a Bouçã e a Foz do Alge, passando ainda pela Aldeia do Xisto de Pedrógão Pequeno, até chegar à histórica vila de Dornes. O acampamento será feito em locais fantásticos junto ao rio, com jantar incluído.

01.06.2008 a 31.05.2010

ADXTUR e Pinus Verde lançam Plano de Formação para PME

A Rede das Aldeias do Xisto e a Associação Pinus Verde formam empresas da Região.

A ADXTUR – Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto e a Pinus Verde – Associação de Desenvolvimento Integrado na Floresta, através do Projecto Formação PME vai lançar um Programa de Formação dirigido a PME.

As áreas de formação são: Turismo, GPS para Outdoor, SIG, Primeiros Socorros, Tecelagem, Higiene e Segurança Alimentar, Apicultura. Tem em baixo para download o Plano de Formação em mais pormenor, bem como a Ficha de Inscrição.

Este plano visa oferecer a micro, pequenas e médias empresas da Região Centro acções de formação orientadas para o reforço das competências dos empresários e trabalhadores, com vista à melhoria da qualidade da gestão, ao acesso a novas formas de organização e à introdução de novas tecnologias com vista à inovação na produção e ao acesso a novos mercados.

Com este projecto pretende-se promover a informação e sensibilização dos empresários e trabalhadores para a necessidade de adequação às novas tecnologias e mutações organizacionais e induzir nas empresas a percepção estratégica do vector formação como elemento essencial da competitividade das empresas.

Plano de Formacao PME (PDF)

Ficha de Inscricao (PDF)

quinta-feira, junho 12, 2008

Gondramaz


Descobri hoje este vídeo da Autoria de Carina Silva, Vivaldo Zua, Laura Bastos, Marisa Van-Dúnem, Juliana Nunes, hoje no You Tube, sobre o Gondramaz, uma pequena e bela aldeia de xisto, localizada no concelho de Miranda do Corvo.

A aldeia do Gondramaz é uma das aldeias serranas mais bonitas e encontra-se assinalada no site Aldeias do Xisto.


Mais informações em:

http://www.aldeiasdoxisto.pt/


quarta-feira, junho 11, 2008

Não ao Tratado de Lisboa!

É URGENTE SUBSCREVER ESTE APELO!

Apelo de sindicalistas e militantes operários, de todos os países da Europa, aos seus irmãos e irmãs da República da Irlanda

Nós, militantes operários e sindicalistas de todos os países da Europa, dirigimo-nos solenemente a vós, a um mês de 12 de Junho – data na qual o povo irlandês será chamado a pronunciar-se, por referendo, sobre o Tratado de Lisboa.

Tomámos conhecimento das razões que levaram o Sindicato Nacional dos Técnicos e Electricistas da Irlanda – TEEU – a fazer um apelo aos seus aderentes para votarem “NÃO” no referendo do próximo dia 12 de Junho: «As muito importantes sentenças produzidas pelo Tribunal Europeu de Justiça (TEJ) mostram que a tendência é, actualmente, a favor do grande patronato e contra os direitos dos operários. Na situação actual, seria estúpido dar mais poder às instituições da União Europeia. As sentenças produzidas nos conflitos Laval e Viking provam que os trabalhadores têm direito a organizar-se em sindicatos, mas esse direito torna-se nulo, em termos práticos, porque eles não têm o direito de agir, se a sua acção impede a liberdade de fornecer serviços e mercadorias, quaisquer que sejam as consequências sociais que isso provoque. Há pouco tempo, no caso Rüffert, o TEJ considerou que um sub-contratante polaco, a operar na Alemanha, tinha direito a pagar aos seus empregados menos de metade do salário mínimo convencionado para o sector da construção civil, porque o direito a não colocar obstáculos à liberdade de fornecer serviços tinha prioridade sobre as convenções colectivas.»


Fazemos nossa esta Declaração.

Partilhamos na totalidade este ponto de vista, tal como partilhamos a opinião de Michael Sommer – o Presidente da DGB (Confederação sindical dos trabalhadores alemães) – ao dizer que «as três recentes sentenças do TEJ são um convite ao dumping social, utilizando os trabalhadores estrangeiros – a aplicar em todos os locais em que não haja salário mínimo ou convenção colectiva obrigatória (…).»

Também estamos de acordo com Derek Simpson – Vice-presidente do UNITE, na Grã-Bretanha: «Esta decisão significa, de facto, que as empresas estrangeiras a operar aqui (no Reino Unido) ou em qualquer outro país europeu, têm a possibilidade de subverter as leis do país e as convenções colectivas, no respeitante a salários.»

É verdade o que dizem sindicalistas suecos: «Depois da adesão da Suécia à União Europeia, em 1995, as convenções colectivas suecas têm sido sucessivamente atacadas. Esta ameaça não existe apenas sobre os salários; é o conjunto dos direitos sindicais que está em jogo.»

Não é também o que se passa nos outros países da Europa?

Estas sentenças do Tribunal Europeu de Justiça vêm juntar-se à panóplia dos outros instrumentos da União Europeia – das suas directivas ao Pacto de Estabilidade – visando todas fazer baixar o custo do trabalho e reduzir as despesas públicas.

Não é em nome destes imperativos inscritos no Tratado de Maastricht – retomados integralmente no Tratado de Lisboa – que as aposentações são liquidadas, os Correios e os caminhos-de-ferro privatizados, e os serviços de Saúde desmantelados?

É para se oporem às consequências desastrosas desta política que, em toda a Europa – na França, na Grã-Bretanha, na Itália, na Alemanha, em Portugal, na Grécia, na Bélgica, ou na Suécia – os trabalhadores com as suas organizações sindicais mobilizam-se para defender as suas conquistas e os seus salários, para lutar contra as privatizações e pela renacionalização do que foi privatizado, em nome do Tratado de Maastricht, das directivas e do Pacto de Estabilidade.

Eis as razões porque nos dirigimos a vocês.

No seguimento do “NÃO” dos povos francês e holandês ao Tratado Constitucional, a grande coligação dos governos impediu a via da democracia, proibindo que cada um dos povos da Europa se pronunciasse sobre o Tratado de Lisboa, através de referendo.

Em toda a parte o fizeram, salvo na Irlanda, onde não conseguiram contornar a Constituição.

Nós sabemos que vocês estão a sofrer a pressão de todas as instituições da União Europeia e das forças ao seu serviço. É por essa razão que, solenemente, vos dizemos: Vocês não estão sozinhos!

Os olhos e as expectativas de todos os trabalhadores, de todos os sindicalistas e militantes operários de cada país da Europa estão virados para a Irlanda. O referendo irlandês tornou-se a nossa causa comum.

Votando “NÃO” ao Tratado de Lisboa, vocês exprimirão a resistência de todos os trabalhadores, militantes operários e sindicalistas da Europa.

Não ao Tratado de Lisboa!





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...