sábado, fevereiro 16, 2008

Festival Gastronómico de Caça e Pesca da Lousã já começou


«Durante 10 dias, as especialidades típicas da região prometem despertar, ainda mais, o apetite. A aliança entre a boa mesa e o turismo quer dar frutos com a organização do Festival Gastronómico de Caça e Pesca da Lousã.

Bifes de veado com tortulhos, espetada de caça, faisão com castanhas, lombo de javali assado no forno ou perdiz do campo à Beirão. Se, ainda, não está satisfeito, há sempre lugar para uma sobremesa. Mousse de frutos silvestres, migas de abóbora, tigelada ou tarte de requeijão. Estes e outros sabores vão estar à mesa dos 16 restaurantes aderentes à terceira edição do Festival Gastronómico de Caça e Pesca da Lousã.


O objectivo é a promoção turística, aproveitando a gastronomia, por si só um foco de atracção para o concelho da Lousã e região. Quem o afirma é o vice-presidente do município e vereador responsável pelo pelouro do Turismo. Luís Antunes está convicto que a iniciativa vai ser mais uma vez um sucesso, à semelhança das edições anteriores.


A aposta nos produtos endógenos, resultantes da caça e pesca, e na riqueza e diversidade da Serra da Lousã é estratégia da Câmara Municipal da Lousã. "A gastronomia é a nossa imagem de marca, temos que saber aproveitá-la, potenciando-a, com qualidade", salientou o vereador. Luís Antunes falou durante a apresentação do festival, que decorreu num dos restaurantes aderentes. O cenário natural que envolve o restaurante O Burgo foi, assim, o palco para mais uma mostra do que melhor, na arte de cozinhar, se faz no concelho.



Até ao dia 24 de Fevereiro não vai haver tempo para dietas. O Burgo, A Cave, Café Lousanense, O Mar Alto, Barca do Arouce, Tó dos Frangos, Astro 2, Borges, São Paulo, A Viscondessa, Ti' Lena, Casa Velha, Copa, Lousã Alameda, O Botânico e Sementes e Rebentos prometem despertar o apetite.
O cardápio apresentado pelos restaurantes aderentes não deixa ninguém indiferente e coloca a Lousã como destino a visitar. Assim, a maior dificuldade vai ser a escolha da ementa, entre tantas opções e de tão alta qualidade. Para ajudar na digestão nada melhor do que um cálice bem servido de Licor Beirão, já uma referência nacional e internacional, produzido pela família Redondo a partir da Quinta do Meiral, na Lousã.


A par da experimentação das diversas iguarias, a riqueza paisagística é também um foco de atracção. Até dia 24 de Fevereiro "o saber fazer, o saber comer, o saber utilizar, o saber aproveitar", passa pela Lousã.»

In Beiras

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...