terça-feira, dezembro 15, 2009

Alunos da Escola José Falcão, em Miranda do Corvo desenvolvem projecto de recolha de óleos alimentares usados

«O óleo que deita fora pode ser mais perigoso do que se imagina», segundo a AMI

Um grupo de alunos da Escola José Falcão de Miranda do Corvo decidiu colocar mãos à obra e dinamizar um projecto de recolha de óleos alimentares usados, com vista à sua posterior transformação em biodíesel.

Trata-se de um projecto ambicioso que procura sobretudo dinamizar consciências. Esta iniciativa passou pela criação de uma empresa denominada “Dinâmicas” que vai assegurar a aplicação do projecto.

Esta ideia ambiciosa pretende sensibilizar a comunidade para a importância da reciclagem, nomeadamente a dos óleos alimentares usados que podem ser transformados em combustível automóvel.

Uma vez que o processo não se pode limitar à recolha dos óleos alimentares usados, este grupo de alunos desenvolveu esforços no sentido de protocolar a transformação dos óleos usados e a sua utilização.

Neste âmbito surge a participação da Fundação ADFP que para além da realização de acções de sensibilização irá recolher os óleos e proceder ao fabrico de biodíesel.

De salientar aqui a vertente social deste projecto uma vez que esta unidade de produção de biodíesel emprega pessoas socialmente desfavorecidas.

A Câmara Municipal associou-se também a este projecto e irá colaborar na sua implementação através de acções de sensibilização junto da comunidade e aquisição de oleões. A Câmara Municipal irá utilizar o biodíesel produzido nas suas viaturas no valor equivalente a 40% do óleo recolhido, algumas das quais utilizadas no transporte das crianças.

Estamos perante uma iniciativa demonstrativa do empreendedorismo destes jovens alunos do 6.º ano que, com este projecto, mobilizaram já várias pessoas e instituições. Os alunos estão a ser coordenados e motivados pelas professoras Helena Simões e Clara Aguilar.

Com este projecto estes alunos pretendem vencer o concurso “Rock in Rio Escola Solar” que lhes permitirá ganhar bilhetes para este concerto e à escola ficar equipada com painéis fotovoltaicos que irão produzir energia que será vendida à rede pública gerando receitas para aplicar em projectos sociais. Se o projecto for um dos dois melhores será ainda premiado com 15.000 Euros, sendo intenção das professoras e dos alunos que o mesmo seja aplicado num parque temático a criar na Quinta da Paiva. Estes novos equipamentos terão também como grande mérito a criação de trabalho para pessoas com deficiência.

Independentemente da vitória final, estes jovens já demonstraram o seu valor, fazendo jus ao seu lema: “Inovar para melhorar – é importante o seu bem-estar”.

3 comentários:

Anónimo disse...

É bom haver escolas receptivas a este tipo de projectos.
Os alunos e professoras estão de parabéns.
Continuem assim, pois Miranda agradece!

Anónimo disse...

Mais um "taxo" oferecido pela mana à ADFP.

Mário Nunes disse...

Mais uma vez, venho alertar os comentadores anónimos para fazerem o favor de darem a cara e de assinarem os respectivos comentários, pois caso contrário, deixarão de ser publicados.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...