quarta-feira, dezembro 21, 2011

Nova acção do Movimento Cívico



“Dia 7 de Janeiro, sábado, Coimbra, Lousã, Góis e Miranda avançam sobre Lisboa.
O Movimento Cívico e as populações não se calarão até que a classe política cumpra as promessas.
O Movimento Cívico de Coimbra, Lousã, Góis e Miranda reuniu, como anunciado, no dia 20, pelas 21 horas, no Centro Social Comunitário de Miranda do Corvo.
O objectivo foi preparar a deslocação a Lisboa, para Cantar as Janeiras ao Ministro Álvaro Santos Pereira, no sábado 7 de Janeiro de 2012, reivindicando a necessidade do Governo assegurar a continuidade das obras no Ramal da Lousã/ Metro Mondego.
Na reunião estiveram cidadãos e autarcas dos quatro concelhos: Góis, Lousã, Miranda e Coimbra. Para além dos vários Presidentes de Junta de freguesia, estiveram presentes os vereadores de Miranda e Góis, bem como
o novo Presidente da Câmara de Lousã.
No dia 7 de Janeiro a concentração será feita pelas 7h 30m, em pontos a indicar nos quatro concelhos. Coimbra, Lousã, Góis e Miranda.
DE autocarro os manifestantes deslocar-se-ão para Lisboa onde chegarão pelas 10h 30m, concentrando-se no largo Camões, uma vez que o Ministério esta localizado na Rua da Horta Seca.
No final da acção de publica reivindicação, os participantes deslocar-se-ão do Largo de Camões para a Zona da Expo onde almoçarão.
Para esta manifestação o Movimento Cívico espera ter o apoio dos mais importantes partidos : CDS, PSD, PS, PCP, BE e Verdes uma vez que todos manifestaram apoio á concretização da ligação, sobre carris, entre Serpins e Estação Velha.
O Movimento Cívico vai contactar os Deputados eleitos pelo Distrito para se associarem a esta iniciativa e acompanharem os Presidentes de Câmara e outros autarcas das Assembleias Municipais e de Freguesia.
O Movimento espera que muitos populares e várias organizações locais se associem a esta viagem reivindicando junto dos membros de Governo responsáveis pela continuidade da obra Metro Mondego/Ramal da Lousã.
Os interessados deverão solicitar informações sobre esta viagem junto das Juntas de Freguesia e das Câmaras Municipais.

È a primeira vez que o Movimento conta com o apoio popular vindo do concelho de Góis, facto que demonstra a vitalidade e a solidariedade alargada da região.
Esta não é uma luta claramente supra partidária onde a Região de Coimbra manifesta publicamente que exige ser tratada de forma digna e séria.
Com esta ida a Lisboa o Movimento Cívico pretende reunir com o Ministro da Economia e com o Secretario de Estado dos Transportes para obter informações concretas sobre a continuação das obras no Ramal da Lousã/Metro Mondego, de molde a garantir a existência de um sistema de transporte público de passageiros, sobre carris, de preferência eléctrico, entre Serpins e EstaçãoVelha/Coimbra.
Perante as circunstancias económicas de Portugal todos aceitam que as novas linhas, a construir dentro da cidade de Coimbra (Baixa HUC), possam ser adiadas até haver uma melhoria das condições financeiras.
O Movimento lembra que este processo Ramal da Lousã/Metro não deve ser confundido com obras megalómanas e novos projectos, uma vez que se trata de uma infra-estrutura com mais de cem anos, construída no tempo da Monarquia, que transportava mais de um milhão de passageiros por ano só no espaço Serpins- Estação Parque. Este numero mais que duplicava ao integrar a ligação ferroviária Estação Nova- Estação Velha, dentro de Coimbra.

Independentemente de todo o contexto económico salienta-se que o Senhor Presidente da Republica e o Senhor Primeiro Ministro assumiram publicamente posições que garantem que se vai encontrar uma solução para se efectivar a circulação de pessoas, sobre carris, entre Serpins e Coimbra/Estação Velha.
Recorda-se que todos os partidos na Assembleia da Republica assumiram o compromisso de o Estado concretizar uma ligação ferroviária, sobre carris, Serpins/Coimbra/Estação Velha.
Estamos perante um Projecto que em 2011 foi apoiado por votação unânime na Assembleia da Republica, que tem o apoio do Presidente da Republica Cavaco Silva e o compromisso público do Primeiro-ministro Passos Coelho.
A idoneidade dos mais altos dignitários do Regime é garantia que este processo Ramal da Lousã/ Metro vai ter uma solução satisfatória para as pessoas da região.”

Jaime Ramos, Movimento Cívico de Lousã e Miranda

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...