domingo, outubro 30, 2011

Primeiro Convívio dos Amigos da Casa do Povo de Miranda do Corvo



É já amanhã, dia 31 de Outubro de 2011, que tem lugar o primeiro convívio dos amigos da Casa do Povo.
Ao longo dos anos, a Casa do Povo tem feito um trabalho ímpar, a nível do Desporto Amador e de Formação, contribuindo para o desenvolvimento e progressão de muitos jovens em desportos como a Ginástica, o Atletismo, o Futebol de Salão e o Judo, perdoem-me se me esqueci dalgum.
Para além disso, a Casa do Povo mantêm ainda no activo, o Coro. E aposta por vezes forte, a nível do Teatro Amador e em saraus culturais e desportivos. Não esquecendo ainda a peculiar aposta nas classes de ginástica para adultos, onde muitas senhoras desenvolvem a sua actividade, relaxando os músculos e queimando calorias.
Bem, vamos ao que interessa, aparte este parêntesis acerca da Casa do Povo, amanhã dia das bruxas é dia de convívio e de espantar a crise que vai tomando conta de todos nós e nada como um convívio (o primeiro que esperamos de muitos) seguido de um jantar, às 20:30 horas e de um baile às 23:30 horas, com os Tekos.
Terá ainda lugar um concurso de mascarados e será apreciada a abóbora melhor decorada.
É tempo de espantar a crise, exorcizando os fantasmas…
Vamos-nos divertir?

“Encerrada”


Imagens doutros tempos da Estação de Caminhos de Ferro de Miranda do Corvo

Encerrada aos domingos, mas não para obras… a bilheteira da Estação de Caminhos de Ferro de Miranda do Corvo, perdão diria mais da Gare de Autocarros de Miranda do Corvo.
Será por falta de pessoal?
Os bilheteiros da CP já são poucos, uns reformaram-se outros foram mudados de lugar e de terra, para conveniência da Companhia de Caminhos de Ferro  Portugueses. Esta empresa transportadora apresenta o maior número de chefes por metro quadrado do país. No entanto são as populações dum certo interior que vão pagando as favas numa lógica de encerramentos pouco clara por todo o país.
Há mais de cem anos atrás, no tempo da monarquia lutava-se para implementar o caminho-de-ferro, fonte de desenvolvimento para um certo interior. Hoje assistimos ao invés, ao encerramento das linhas e à desertificação do país.
Os cortes da troika poderiam começar pelas chefias e pelos carros de luxo novos da Administração da CP pagos por todos nós. Estou certo que assim se pouparia muito dinheiro.
Um parêntesis à parte, como podem os passageiros do comboio (lá estou eu de novo meus amigos) perdão dos autocarros adquirir bilhetes ou passes em bilheteiras encerradas nos apeadeiros e estações do Ramal?
E o mais caricato desta situação é que por vezes o funcionário da CP não vem (muitas vezes) quem abre a Estação de Miranda do Corvo são outras pessoas, que nada tem a ver com a CP (isto contado por muitos passageiros, que se deslocam diariamente para Coimbra ou para a Lousã).
Ao ponto que isto chegou meus caros amigos, as autoridades administravas que ajam e que tenham o que acharem por conveniente, neste país à beira mar plantado, onde o rega-bofe já é um lugar-comum.

Sabores de Outono na Lousã



Conheça os restaurantes aderentes em:
O Festival gastronómico decorre entre os dias 28 de Outubro a 13 de Novembro de 2011 e está integrado na XXII Feira do Mel e da Castanha.

quinta-feira, outubro 27, 2011

Dixie Gringos Jazz Band em Penela


O concerto desta banda jazz tem lugar no dia 29 de Outubro, pelas 21:30 horas, no Auditório Municipal de Penela.

Seminário permanente de História Local e Regional

Recriar o passado como estratégia de promoção turística - O caso de Penela, é o tema para mais um seminário a ter lugar no próximo dia 29 de Outubro , pelas 15:30 horas, no Centro de Estudos de História Local e Regional Salvador Dias Arnaut, em Penela.

domingo, outubro 23, 2011

XII Feira da Árvore de Semide


Decorre no próximo fim-de-semana, entre os dias 28 a 30 de Outubro de 2011, a XII Feira da Árvore de Semide, projecto ímpar no país e na região.
Se pensa comprar flores, arbustos e árvores, tem aqui a sua oportunidade para tornar mais verde o seu jardim e a sua horta.

Aldeias abandonadas em Penela


Pequeno filme com 3 aldeias nos confins de Penela.
Pé de Esquio apenas com 2 famílias, Pessegueiro e Esquio simplesmente abandonadas.
O filme e as fotos são do meu homónimo J. Nunes

sexta-feira, outubro 21, 2011

Jornadas de Apicultura no Espinhal


O município de Penela promove, em parceria com a Serramel, as I Jornadas de Apicultura no próximo sábado (dia 22), a partir das 14h30, na Casa da Cultura do Espinhal (antiga casa do Povo).

Moderado por Manuel Gonçalves, da Federação Nacional dos Apicultores de Portugal, o debate conta com intervenções de Nelson Miranda, Filipe Nunes, Anabela Mendes e Carlos Teixeira.

Incentivar, esclarecer e formar proprietários e produtores florestais, técnicos e estudantes na área das ciências agrárias, produtores de mel, agricultores e demais interessados para a prática da apicultura são os principais objectivos da iniciativa.

domingo, outubro 16, 2011

DIAP investiga Linha da Lousã


"O DIAP de Coimbra está a investigar uma queixa crime sobre a destruição da linha ferroviária da Lousã. Na participação feita por Jaime Ramos, porta voz do Movimento Cívico da Lousã e Miranda do Corvo, e Mário Nunes, são referidas suspeitas de "sabotagem, gestão danosa e delapidação do património." Jaime Ramos vai mais longe: "Poderemos equacionar a hipótese de estarmos perante a prática de terrorismo, uma vez que foi destruida uma infra-estrutura que servia as populações de três concelhos. Não foi através de uma bomba, mas foi uma destruição."
A população sente-se lesada e não se conforma que "tenham sido gastos dezenas de milhões de euros na destruição de uma linha centenária" que transportava mais de um milhão de passageiros por ano, refere Jaime Ramos. Os autores da queixa só vão desistir quando for reposta a circulação ferroviária desde Serpins, na Lousã, até à Estação Nova, em Coimbra.
"O País está a atravessar dificuldades, mas não podemos correr o risco de bancarrota moral, e houve pessoas que deram a sua palavra pela reposição da linha", garante Jaime Ramos, referindo-se ao Presidente da República e ao primeiro-ministro."
in Correio da manhã, Domingo, 16.10.2011, página 19


Rally Bombeiros Miranda do Corvo 2011

Já está a terminar a primeira edição. Apelo à organização para enviar em momento oportuno informações e fotos acerca do mesmo.

sábado, outubro 15, 2011

Destruição da Linha da Lousã origina queixa crime


Infelizmente já não temos o centenário Ramal da Lousã, pois fizeram o favor de acabarem com ele, para desespero dos mais de 40.000 habitantes que vivem nos concelhos de Miranda do Corvo e da Lousã, autênticos dormitórios de Coimbra.
As pessoas procuraram em tempos, casas por terras de Miranda e da Lousã, por estas serem mais baratas, que em Coimbra.
Para além da paz e da serenidade da região é possível ainda desfrutar os ares da serra e a serenidade. Agora viram desvalorizar os seus imóveis e o investimento de uma vida.
Para todos aqueles que nos visitavam o comboio tinha algo de mágico, de nostálgico, que desapareceu infelizmente.
Aliás esta região está sob o ataque cerrado dos Governos de Lisboa, sejam eles do PS ou do PSD, vimos fechar as urgências dos Centros de Saúde locais (Miranda do Corvo e Lousã).
O Ramal da Lousã (também se finou), venderam-nos a ideia dum metro que não passa agora dum milímetro e até as obras do IC3 podem vir a parar.
Tudo pára nesta região, alias ultimamente tornou-se "moda"...
Metro que teima em se afirmar desde 1996.
Só que nunca ninguém é responsabilizado, como já vem sendo um lugar comum por todo o país, aqui não roubaram um pão, aqui foram largos milhões à descarada e onde estão os carris? As antigas automotoras? A brita que revestia a via férrea e as sulipas?
Para onde foram? Será que ninguém faz perguntas? Será que ninguém viu nada?
Será que ninguém ganhou dinheiro com o desmantelamento da linha e do Ramal da Lousã?
Quanto dinheiro foi gasto nos aparcamentos e nas novas estações, ou nos taludes e barreiras, entre Coimbra e Serpins?
Creio que mais de 100 milhões de euros.
Sabiam que bastavam 20 milhões para electrificar a linha?
E as polémicas demolições na baixinha de Coimbra?
E os estudos sucessivos pagos a peso de ouro desde 1996?
Se fosse um desgraçado que fosse apanhado com a boca na botija ia logo dentro... Só que aqui foram gastos largos milhões, 20 milhões bastavam para electrificar a linha, só que provavelmente já gastaram mais de 100 milhões, e então ninguém pede contas?
Escaqueiraram um Ramal Centenário e soluções de transporte não há à vista...
Nem ninguém é responsabilizado?
Os habitantes e utentes do Caminho de Ferro de Miranda do Corvo e da Lousã constituíram um Movimento de cidadãos que efectuou uma marcha lenta na EN 1, com a participação de milhares de pessoas, (por duas vezes fomos a Lisboa) à Assembleia da Republica, cantamos as Janeiras a José Sócrates, não participamos nas Presidenciais (concelhos de Miranda do Corvo e Lousã), protestamos em jogos de futebol da Académica de Coimbra, tentamos ser em vão ser recebidos por dois primeiros ministros, ministros e secretários de estado.
O Estado não tem comparecido às Assembleias da Metro Mondego.
Quem descalça agora a bota?
Vários grupos de parlamentares vieram a Miranda do Corvo.
Protestamos. Até agora obtemos uma mera declaração de intenções. Só que a imagem parece que não passa na comunicação social. Pois neste país tudo é permitido...
Em inúmeras reuniões do Movimento pugnei sempre pela responsabilização criminal dos implicados, fui das poucas vozes a lutar, a remar. Apresentei o texto que anexo, lancei-o a debate na página do Movimento no Facebook.
Nas obras ainda em curso foi gasto dinheiro do Banco Europeu de Investimento.
Neste momento há duas empreitadas em curso que estão prestes a acabar. Depois disso não há nada e as obras vão parar. As obras do Metro Mondego/Ramal da Lousã nem sequer estão inscritas no QREN é a impunidade total!
Parece que em breve também não haverá dinheiro para os autocarros e agora quem descalça a bota?
Partiram tudo e agora!?
Como é?
Acabamos por enviar a participação para o DIAP B, do Departamento de Investigação e Acção Penal de Coimbra, vulgo 3ª Secção, onde estão os crimes de maior complexidade. Vamos ver o que isto dá...
Espero que a esperança possa ser devolvida a todos aqueles que um dia viajaram neste comboio e que agora utilizam o autocarro.

A queixa foi registada no DIAP B e o inquérito distribuído com o NUIPC 1896/11.6TACBR.
Sobre o Ramal da Lousã, deixo ainda uma breve história publicada por mim no Blogue Espaço Aberto:
Um cidadão revoltado com tudo isto, Mário Nunes


quinta-feira, outubro 13, 2011

Matança tradicional do porco no Talasnal

É já no dia 15 de Outubro, de 2011, no Talasnal, aldeia serrana do concelho da Lousã, em plena serra, os preparativos para a matança tem inicio às 9 horas.

Sessão informativa Segurança e Saúde nas Empresas

Esta acção de formação tem lugar no dia 25 de Outubro no Auditório Municipal de Penela, às 18 horas e dos temas abordados constam:
- Protecção civil nas empresas;
- Resposta face à emergência;
- Higiene e segurança no trabalho;
- Prevenção face ao roubo e vandalismo;

II Festival da sopa e do pão

No dia 16 de Outubro (as receitas obtidas revertem a favor dos Bombeiros Voluntários de Penela)
O Festival decorre no Penela Center (perto da Ponte do Espinhal).
Da programação consta:
17h – Grupo de música popular Ou Vai Ou Racha 
19h – Escola Concertinistas da Lousã
Há Insufláveis para os mais pequenos!

sábado, outubro 08, 2011

Casal de ursos pardos no Parque Biológico da Serra da Lousã



O Parque Biológico da Serra da Lousã, propriedade da Fundação ADFP, anunciou no passado mês de Setembro que acolheu um casal de ursos pardos proveniente de Espanha, um país que procurava uma instituição que os adoptasse. A nova atracção vem juntar-se "à  melhor colecção representativa da vida selvagem em Portugal", refere a instituição.
Em comunicado, a Fundação ADFP explica que os animais vão ocupar as instalações que tinham sido construídas para acolher três ursos que tinham sido apreendidos pelo Estado português a um circo, em 2010, mas que o Jardim Zoológico de Lisboa ficou com eles.
"Como o Parque Biológico ficou com instalações livres, o Instituto da Conservação e da Natureza encaminhou para a Serra da Lousã um casal de ursos vindo de Espanha, país que procurava uma entidade que os adoptasse", salienta a instituição. O urso pardo é um mamífero de porte considerável, que pode pesar mais de 600 quilos, que habita as florestas e montanhas do norte da América do Norte, Europa e Ásia, podendo viver cerca de 35 anos. Segundo a Fundação ADFP, os ursos pardos ter-se-ão extinguido em Portugal entre os séculos XVII e XIX, embora ainda tenham sido avistados no século XX.
"O Parque Biológico da Serra da Lousã pretende mostrar este animal como elemento importante da fauna ibérica nativa e sensibilizar o público para a sua protecção, bem como de todas as espécies animais em risco de extinção, de forma a restabelecer o equilíbrio da natureza", sublinha a instituição.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...