quarta-feira, julho 21, 2010

Ainda às voltas com a polémica da água

Miranda do Corvo vive um Verão Quente, como há muito não era visto, nesta pacata vila encostada à sombra da Lousã e dormitório há largos anos de Coimbra (havendo quem o negue).

Após o escandaloso aumento das tarifas de água, com a inclusão de umas quantas taxas, cuja legalidade será questionada (?) Aumento esse patrocinado pelo PSD e com a bênção do PS, digam lá que eles não se dão bem?

Os mirandenses reagiram a quente de imediato, com um abaixo assinado, multiplicaram-se os protestos e à conta da água, Miranda do Corvo foi assunto há umas semanas atrás, por três dias consecutivos na TVI, tendo passado pelos mais diversos jornais.

O povo desta vez acordou e protestou preenchendo o livro amarelo e muitos particulares manifestaram o seu descontentamento por escrito, apresentando o seu cartão vermelho ao município mirandense.

Apesar disso, PS e PSD voltaram a fazer letra morta do protesto popular mantendo as tarifas e taxas, suavizando-as.

Houve quem recebesse umas cartas floreadas, mas palavras leva-as o vento, estão-nos a ir ao bolso como gente grande…

Contudo, apesar destes aumentos, tudo permanece como dantes, todos temos que ir semanalmente aos supermercados da região comprar água, visto a água da rede saber mal e a minha rua estar cada vez mais suja, apesar de pagar uma taxa a mais referente a resíduos sólidos. Apesar desta ficar perto da Rua da Coutada.

E estranho uma vez mais nada ser feito relativamente ao poluidor da água do Rio Ceira, apesar deste estar há anos devidamente identificado.

Quanto às facturas do mês transacto e do presente mês tenciono apresentar um pedido de esclarecimento por escrito a diversas entidades, tais como por exemplo: ASAE, Provedoria de Justiça, DECO e AECOP (a saber da legalidade das mesmas).

Depois de Teixeira dos Santos nos ir ao bolso, a todos como gente grande, agora segue-se o município mirandense, juntos contribuem por certo para o empobrecimento de todos os mirandenses.



3 comentários:

Anónimo disse...

Talvez fosse altura de perceber que ou o estado deixa de prestar alguns serviços ou entao vai ter mesmo de ir ao bolso as pessoas.

Mário Nunes disse...

Em minha casa há um ditado popular em prática desde os primórdios, quem não tem dinheiro, não tem vícios e não se gasta mais do que aquilo que se tem e há sempre, sempre um balão de oxigênio. Se esta boa prática seguida pelos grandes economistas fosse seguida em muitos locais públicos provavelmente não teríamos chegado a esta situação insustentável.

Isabel disse...

Pois é.. fiquei a pagar quase o dobro do que pagava na factura da água.. mas o meu bairro cada vez tem mais erva nos passeios, cada vez lhe prestam menos atençaõ na limpeza.. então eu pergunto... para que servem as taxas exorbbitantes que se pagam neste Município? Será para ajudar a repôr os carris na linha do ramal????
Isabel

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...