terça-feira, maio 12, 2009

Rabaçal dos Romanos, Em busca dos vestígios romanos no Vale do Rabaçal



No âmbito das Comemorações do Dia Internacional dos Museus, a Go Outdoor promove um programa aliciante na Villa Romana do Rabaçal.
O convite é para ir em busca dos vestígios romanos no Vale do Rabaçal, visitar a Villa Romana do Rabaçal e conhecer os vestígios romanos que sobreviveram à passagem do tempo e ainda hoje persistem.
No Vale do Rabaçal, terra de bom queijo e de lendas de gigantes, onde o clima e a cultura são marcadamente mediterrânicos e nos campos cultivados se encontram moedas e pedrinhas coloridas, é fácil viajar no tempo.



Programa
- 09:30 - Recepção dos participantes
- 10:00 - Visita no Espaço Museu da Villa Romana do Rabaçal
- 10:20 - Início do percurso
- 12:30 - Paragem para Piquenique
- 16:00 - Visita à estação arqueológica da Villa Romana do Rabaçal
- 17h00- Regresso a Casa.

Venha passear pelo vale do rabaçal e conhecer estes vestígios, visitar a Villa romana e caminhar ao longo da estrada romana.

Saiba mais em www.aventura.go-outdoor.pt/.


«Os motivos figurativos dos mosaicos (estações do ano, quadriga, figura feminina sentada) e mesmo algumas composições geométricas e vegetalistas não têm semelhanças com outros mosaicos romanos em Portugal.

O plano de construção da villa desenvolve-se a partir de um octógono central, octógono que vemos também nas bases das colunas, nos motivos dos mosaicos, na forma da torre octogonal da entrada e no espaço quadrilobado, a noroeste.

A arquitectura desta villa tem uma carga simbólica, a que não é alheia a concepção judaico-cristã do tempo, naquela época. Assim, as vinte e quatro colunas poderão remeter para as vinte e quatro horas do dia e da noite, e isto, a somar ao simbólico do mosaico da quadriga, remete-nos para a contagem dos sete dias da semana (a quadriga perfaz sete voltas ao hipódromo e parte sempre, virada a nascente, ponto central do ciclo do Zodíaco) e para os doze meses do ano (o hipódromo tem doze portas de partida e eram doze os carros de cavalos).



A arquitectura da villa e a sua decoração falam-nos dos dias, da semana, dos meses e, ainda, das estações aqui representadas simbolicamente por quatro nobres damas que, possíveis retratos, são extraordinárias figuras de convite.

Esta villa, dados os referidos materiais em presença, poderá muito bem ter sido pensada para nela decorrerem importantes cerimónias protocolares, próprias de abastados estratos políticos e sociais. Repare-se, sobretudo, na finura dos elementos decorativos e nos eixos de visão das quatro figuras das damas, da quadriga e da figura central, representada sentada no centro do triclinium, para interiorizarmos como os diversos olhares nos acompanham à medida que avançamos nos corredores e nas salas, como que marcando tempos diferentes dum cerimonial.

Os mosaicos e a arquitectura da villa romana do Rabaçal, que, além da influência europeia, exibem também influências africanas e orientais, são um seguro motivo de atracção a este lugar.

Como preceitua Vitrúvio, no século I a.C., acerca da disposição e partes dos banhos (De Architectura, Cap. 11), a separação e o afastamento desta unidade, para funcionamento de fornalhas com fogo de lenha, ligadas a sistemas de aquecimento de ar, água e pavimentos, das outras construções (área residencial e área rústica), cumpre uma das normas fundamentais de segurança na prevenção contra incêndios; a sua localização a norte da villa urbana, evita que esta fonte de calor concorra com a outra fixa da natureza, o sol, a sul, para o aumento de temperatura no interior da residência; a orientação da boca da fornalha para sul protege esta abertura dos ventos dominantes de norte. Foram ainda registados os sistemas de ar quente tanto nas paredes como na cúpula do edifício.

Museu da Villa Romana do Rabaçal

Este Museu, mal organizado, está a precisar de uma reforma global. Mas é aqui que começam as visitas guiadas à villa.

Rua da Igreja
Rabaçal
Telefone 239 561 856
Fax 239 561 857
Aberto ao público desde 2001, o espólio do Museu provem dos trabalhos que têm sido levados a cabo, desde 1984, na villa e na quinta agrícola.

  • Colecções: Cerâmica, Metais, Vidro, Decorações parietais de mármore.

Horário Terça a Domingo: 11H00-13H00 | 14H00-18H00

Encerra: 01 Janeiro, Sexta-feira Santa, Domingo de Páscoa, 1º de Maio, 25 Dezembro.»

Segundo o Blogue: Os Romanos na Península Ibérica

http://algarvivo.com/arqueo/romano/villa-romana.html

1 comentário:

castela (Portugal Notável) disse...

A Villa Romana do Rabaçal é magnífica, mas a da de Santiago da Gurda não lhe é inferior.
A visitar com urgência o eixo romano de Condeixa a Tomar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...