quinta-feira, janeiro 31, 2008

Acção de Formação - Caminhos do Xisto e Grande Rota das Aldeias do Xisto


16 e 17 de Fevereiro

1ª acção

Auditório da Biblioteca da Lousã

2ª acção

10 e 11 de Maio

Casa Grande da Barroca, no Fundão

Duração: 16 horas

Entidade promotora:ADXTUR

Entidade formadora:Pinus Verde

Vagas:16 formandos para cada acção

Horário:Das 9.00h às 13.00h e das 14.00h às 18.00h

Preço de inscrição:Parceiros Promotores ADXTUR: 25Público em geral: 50

Notas:Na Ficha de Inscrição indicar a ordem de preferência na acção de formação.Almoço dos dois dias incluído no preço da inscrição.

Inscrições- 1ª Acção: até 8 de Fevereiro- 2ª Acção: até 2 de Maio

Destinatários

Empresas de Animação Turística, Associações, docentes e discentes da área de Turismo

Objectivos

No final da formação os formandos deverão possuir habilitações para:

- Reconhecerem os conceitos subjacentes ao BTT e aos Percursos Pedestres e as actuais implicações

destas actividades;

- Serem capazes de escolher e definir um traçado para um Percurso pedestre e de BTT, atendendo aos critérios exigidos;

- Identificarem os pressupostos para a homologação de um percurso pedestre;

- Aplicarem devidamente a metodologia na implementação dos Percursos;

- Elaborarem meios de divulgação e promoção dos percursos de BTT e Pedestres;

- Utilizarem o GPS como ferramenta básica na implementação dos Percursos Pedestres e de BTT;

- Estarem habilitados para implementar percursos da Grande Rota das Aldeias do Xisto e Caminhos do Xisto.

Contacto

ADXTUR

Centro Dinamizador

das Aldeias do Xisto 6230-137 Barroca

Tel.: 351 275 647 700

www.aldeiasdoxisto.pt

E-mail: formacao@pinusverde.pt

O Inverno Cultural vem aí!


Começa já este fim-de-semana o Inverno Cultural, que durante os meses de Fevereiro, Março e Abril irá percorrer os Centros Culturais de todo o Concelho de Penela.
De 3 de Fevereiro a 20 de Abril toda a população terá acesso livre aos espectáculos que decorrerão nos fins-de-semana.



Este fim-de-semana, 3 de Fevereiro - 15h00

Centro Cultural das Grocinas

- Grupo Coral Alentejano "Os Reformados"

- Rancho Folclórico do Rabaçal

INVERNO CULTURAL 08, num Centro Cultural perto de si...

Fonte - C.M. Penela

terça-feira, janeiro 29, 2008

Pura Adrenalina...


Foi assim, sempre a «bombar» no passado Sábado...
Downhill Urbano de Miranda do Corvo, com o patrocínio da Rádio Dueça.

Fitas...


Porto: Sócrates diz que «fitas» da CGTP não o intimidam
O primeiro-ministro, José Sócrates, assegurou hoje, no Porto, que não se deixa intimidar pelas manifestações organizadas pela CGTP, que reduziu a «fitas para as televisões filmarem».

«A CGTP acha que me intimida colocando manifestantes a gritar insultos, mas comigo isso não resulta, não me deixo intimidar com este tipo de actuações», afirmou Sócrates, em declarações aos jornalistas no Porto, depois de ter presidido à criação do Instituto de Inovação e Investigação de Saúde (I3S).

O chefe do governo foi recebido à entrada da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte por certa de meia centena de manifestantes, que o apuraram e vaiaram.

«Não me deixo intimidar, nem me desvio do meu caminho com estas manifestações e insultos«, frisou.

José Sócrates salientou ainda que estas iniciativas da CGTP »são actuações a que o país já se habituou«.

«Há 30 anos que faz as mesmas fitas, apenas para as televisões filmarem», frisou.

Diário Digital / Lusa

Será que os manifestantes que protestam por esse país fora, são todos da CGTP ou do PCP?
Uma pergunta inocente fica a pairar no ar...

Fitas...

Só se forem as do Primeiro Ministro...

And the oscar goes to...
José Sócrates

Pavilhão de Mercadorias foi Abaixo!

«Armazém virou monte de lenha

O protesto popular e de alguns partidos políticos nomeadamente PSD e BE não foram suficientes para demover a Câmara Municipal da Lousã da decisão tomada em relação à demolição do armazém de mercadorias da estação da Lousã. A obra da interface previa a sua eliminação e quinta-feira, dia 17, o pavilhão foi destruído para dar lugar a espaços de estacionamento, conforme previsto no projecto da empreitada.»

Mais em:

http://www.trevim.pt/noticia.asp?edcid=290&sccid=109&ntcid=5674


segunda-feira, janeiro 28, 2008

Aquacultura, Sim ou Não?



Já pensaste como é que são criados os camarões?

De onde é que eles vêem?

Sabias que eles prejudicam mais os nossos oceanos e ecossistemas do que aliviam?

Sabias que uma quinta de salmão com 200.000 peixes produz a mesma quantidade de excrementos que uma cidade com 62.000 pessoas?

A Greenpeace apresenta hoje em Barcelona, um novo relatório sobre aquacultura.

Para leres o relatório sobre aquacultura, visita o site da Greenpeace, sobre os Oceanos...


http://www.greenpeace.org/international


sábado, janeiro 26, 2008

Downhill Urbano Rádio Dueça 2008


«Será já no dia 26 de Janeiro de 2008 que o Downhill Urbano Rádio Dueça regressa à Zona Histórica de Miranda do Corvo. Esta prova, com organização a cargo da Rádio Dueça, caracteriza-se pelo percurso sinuoso que compõe as ruas e vielas da Zona Histórica da vila.


Depois do sucesso absoluto da edição 2007 a organização aposta uma vez mais na criatividade para proporcionar ao público e aos atletas um dia memorável.

Os treinos e reconhecimento da pista decorrerão durante a manhã, realizando-se duas mangas cronometradas á tarde. Na sua quarta edição, este evento vai contar mais uma vez com uma renovação do percurso com a introdução de novos obstáculos e rampas de madeira. A prova será disputada em 3 categorias, "Masculina suspensão total", "Feminina" e "Bicicletas Rígidas".


Em plena pré-epoca esta é a primeira prova de Downhill Urbano de 2008. Depois de Marco Fidalgo, Afonso Ferreira e Hélder Padilha terem vencido as edições anteriores, estão abertas as expectativas para ocupar o podium em 2008.»

http://www.dhuradiodueca.blogspot.com/

quarta-feira, janeiro 23, 2008

Venha connosco à próxima bicicletada...


Pelo fim da imobilidade na cidade, pela convivência entre os seres humanos, pelo resgate do espaço público e pelos direitos de quem utiliza meio de transporte não motorizado.



O QUE É UMA BICICLETADA?

Uma Bicicletada é um passeio de bicicleta, patins, trotinetes, “skates” e afins pelas ruas da cidade para promover a qualidade de vida urbana.


PARA QUE SERVEM AS BICICLETADAS?

  • Divulgar e promover o uso da bicicleta e outros veículos não motorizados como meios de transporte viáveis;

  • Criar condições favoráveis ao uso da bicicleta como meio de transporte – tornando as cidades mais hospitaleiras;

  • Tornar mais ecológica e saudável a mobilidade urbana.


QUEM ORGANIZA A BICICLETADA?

Em Portugal é promovida pela Massa Crítica (MC), uma “coincidência não organizada”. É um conjunto não hierárquico de cidadãos que cooperam para realizar estes passeios. A MC é apartidária, não representa ou segue qualquer orientação ideológica nem tem fins lucrativos.


ONDE SE REALIZAM?

As Bicicletadas realizam-se em Lisboa, Porto, Coimbra, Aveiro e em mais cerca de 350 cidades de todo o mundo. Em Lisboa têm início no Marquês de Pombal, no Porto começa na Praça dos Leões, em Coimbra no Largo da Portagem e em Aveiro na Ponte Praça.


QUANDO SE REALIZAM?

As Bicicletadas realizam-se sempre na última sexta-feira de cada mês, às 18h, faça chuva ou faça sol.


QUEM PODE PARTICIPAR?

Qualquer pessoa animada pelas mesmas intenções que a MC pode participar. Basta aparecer no local e hora habituais com a sua bicicleta ou veículo similar. Se quiser trazer um/a amigo/a tanto melhor.


O TRAJECTO DE UMA BICICLETADA É DIFÍCIL?

Não. É sempre um percurso urbano traçado para poder ser cumprido por qualquer condição física. A velocidade é sempre baixa, determinada pelo mais lento dos participantes. Habitualmente o passeio dura 1,5 ou 2 horas.


Para mais informações visite:


Poupe Recursos, depois de ler este folheto passe-o a outro cidadão ou deposite-o no receptáculo apropriado. Não o deixe na via pública.

segunda-feira, janeiro 21, 2008

Colapso Financeiro Eminente…


Há quem consiga alternar o pessimismo dos governantes europeus, com o optimismo do nosso primeiro ministro, comentando a eventualidade de uma recessão económica nos EUA, arrastar a Europa para uma recessão, sem fim à vista.

Desde Agosto do ano transacto, que a ameaça paira no ar, assustando bolsas, mercados, bancos e investidores, numa voragem que poderá consumir países, interesses económicos, empresas e famílias.

O vermelho foi a cor dominante hoje nas praças financeiras da Europa e Ásia. A maioria já perdeu os ganhos acumulados ao longo do ano passado.

Numa jogada de mestre, a banca nacional vendeu as suas dívidas a fundos de investimento estrangeiros (americanos e britânicos), que podem trazer amargos de boca, a muitas famílias portuguesas.

Algo vai mal no mundo da alta finança e a procissão ainda vai no adro.

Texto – Mário Nunes

Massa Crítica em Coimbra...


MassaCrítica\ Bicicletada de Coimbra: Próxima 6ª feira, dia 25 de Janeiro de 2008, 18h, Largo da Portagem, Coimbra

http://www.massacriticapt.net/?q=sobre-a-massa-critica/massa-critica-em-coimbra

Como nos Bons Velhos Tempos...

(http://racal.blogs-de-voyage.fr)

«O Senhor cale-se!»

A 12 de Janeiro, na Fundação Mário Soares debatia-se o sindicalismo, Mário Soares e José Sócrates, entretanto na assistência alguém questiona o primeiro-ministro e foi de imediato silenciado: «O Senhor cale-se ou saia da sala!»

Uns dias antes, no programa Prós e Contras, no Canal 1 debatia-se a Saúde, entre os convidados estava o Ministro da Saúde, opiniões divergentes e voltámos a ouvir de novo: «Cale-se!»

E falam eles em Democracia e em Socialismo ou será que estudaram pela cartilha de Salazar!

Texto – Mário Nunes


domingo, janeiro 20, 2008

ADFP procura apoios para construir Hospital

«Depois do apoio manifestado pelo autarca de Poiares à construção do hospital da ADFP, a instituição convocou uma reunião com os presidentes dos quatro municípios do vale do Ceira e Dueça para apresentar o projecto e obter apoios. A Associação para o Desenvolvimento e Formação Profissional (ADFP) de Miranda do Corvo anunciou que vai reunir com os autarcas dos municípios do vale do Ceira e Dueça para obter apoio para a construção de um hospital. O presidente da instituição, Jaime Ramos, adiantou que os autarcas dos concelhos de Miranda do Corvo, Poiares, Lousã e Penela confirmaram a presença numa reunião a realizar «no dia 30 de Janeiro ou 01 de Fevereiro». A reunião foi despoletada depois do apoio público manifestado pelo presidente da Câmara de Poiares que, segundo Jaime Ramos, considerou «o hospital útil para os municípios de Miranda do Corvo, Poiares e Lousã». «A ADFP considera muito positivo que Jaime Soares, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Poiares, tenha considerado o hospital útil para os municípios de Miranda do Corvo, Poiares e Lousã», refere um comunicado da instituição. Segundo o documento, o autarca de Poiares tornou público «que tinha proposto aos seus colegas de Miranda do Corvo e Lousã que o hospital, que a ADFP pensa construir, beneficie do apoio dos três municípios». Jaime Soares mostrou a sua preferência para que o hospital possa ser construído junto à Estrada da Beira, no concelho de Miranda do Corvo. «Ao fim de dez minutos, qualquer cidadão de Poiares, Lousã e Miranda do Corvo está nessa unidade com os cuidados de saúde garantidos», diz Soares, convicto que esta seria uma boa resposta para a actual situação de socorro. Actualmente, os bombeiros demoram «uma hora» a chegar a Coimbra e os utentes são obrigados a esperar depois «mais quatro ou cinco horas» por atendimento na urgência do hospital central que, recorda, «não está preparado para responder a tamanho afluxo de pessoas». A unidade defendida pelo presidente da autarquia de Poiares resultaria de uma parceria público-privada, «que é perfeitamente exequível». Direcção Geral de Saúde deu parecer favorável O presidente da ADFP recorda que o futuro hospital foi projectado para o Centro Social Comunitário, em Miranda do Corvo, onde possui terrenos e diversas valências sociais, mas admite debater a ideia de transferir o equipamento para outro local. «Vamos conversar», diz, de forma lacónica. O projecto da clínica médico-cirúrgica, que já obteve parecer favorável da Direcção Geral de Saúde, prevê a construção de um edifício de três pisos, com serviço de urgência, bloco operatório, consultas de várias especialidades e serviços de imagiologia (TAC, RX e ecografia), análises clínicas e farmácia. Engloba internamento com 70 camas para cuidados paliativos e de convalescença, duas salas de cirurgia e serviço de ambulatório nas áreas de Pediatria, Ginecologia, Urologia, Ortopedia, Oftalmologia, Dermatologia, Psiquiatria e Medicina Interna. O Hospital da ADFP tem uma área prevista de 4.000 metros quadrados e um custo aproximado de cinco milhões de euros, contando com 260 lugares de estacionamento automóvel. «A instituição considera que o Hospital Médico Cirúrgico de Miranda do Corvo poderá responder às necessidades dos quatro municípios (Lousã, Miranda, Penela e Poiares) e também a algumas populações de Coimbra, como Almalaguês e de Condeixa», lê-se no documento. Os quatro concelhos constituem a Dueceira, Associação de Desenvolvimento do Ceira e Dueça, que abrange uma população de cerca de 50.000 habitantes. Recorde-se que nestes municípios o Governo encerrou os Serviços de Atendimento Permanente nos centros de saúde, criando consultas abertas com horário reduzido, que «não respondem às situações ligeiras de urgência médica cirúrgica que não precisam de ser tratadas nos Hospitais Centrais de Coimbra». In Diário de Coimbra, 19.01.2008

sexta-feira, janeiro 18, 2008

2ª Via - Estação Centenária de Caminhos de Ferro da Lousã, em Risco!

É verdade, o progresso não se compadece com estas coisas, a velhinha estação de caminhos de ferro da Lousã irá dar lugar a um moderno interface.
Imagens e histórias para recordar, um dia...

A centenária estação dos Caminhos de Ferro da Lousã, o cais de embarque de passageiros e de mercadorias, a grua vizinha e o armazém de mercadorias construído em madeira e revestido a telha marselhesa correm sério risco de vida, pois estão na mira de vorazes empreiteiros, que tudo sacrificam em nome do progresso…

Até a História de um Povo.

A memória colectiva duma vila e edifícios com interesse para a Arqueologia Industrial.



Assim, como os painéis em azulejo centenários...
Que se encontram bastante degradados.
Noutro país da Europa, dita civilizada teriam sido objecto de restauro... E objecto da admiração pública.


Há quem diga, que vem aí mais um parque de estacionamento, outros sugerem a construção de mais uma novel rotunda (tanta rotunda se faz neste país), outros apontam, que ali será construído um moderno interface rodo ferroviário e há ainda, quem se gabe da façanha, dizendo que vai «descontruír» uma cidade e remodelar pela positiva duas vilas e seus arrabaldes, tudo em nome do progresso e do franco desenvolvimento duma região.

Meus amig@s estamos todos entregues, não há quem escape nesta nau de loucos, que dá pelo nome de Portugal…

Fotos e texto de Mário Nunes

Texto publicado em Abril de 2007, neste blogue e reeditado, em tempo de demolições...

2ª Via - Um Dia o Telhado vem Abaixo!


Em equilíbrio instável parece estar o telhado do velhinho armazém de mercadorias da Estação de Caminhos de Ferro da Lousã, que se encontra votado ao abandono pela CP há alguns anos.
Se o telhado cair e houver feridos, a quem se vai pedir responsabilidades?


Imóvel Centenário em Risco, publicado em 11.04.2007, neste blogue:

http://espacoaberto-umanovamiranda.blogspot.com/

2007/04/imvel-centenrio-em-risco.html

domingo, janeiro 13, 2008

Praça José Falcão com Estacionamento Condicionado


Na Praça José Falcão, o estacionamento será limitado a 2 horas entre as 10 e as 18 dos dias úteis. Aos Sábados, Domingos e feriados, o estacionamento será gratuito.

O objectivo prático desta medida é o de permitir o estacionamento a utentes de serviços e comércio que desta forma terão acesso facilitado. O regulamento e preços a cobrar foi aprovado em reunião de câmara do dia 20 de Dezembro de 2007, por unanimidade e em assembleia municipal do dia 28 de Dezembro de 2007 (esta assembleia terminou no dia 7 de Janeiro de 2008).

O preço de estacionamento foi fixado em 5 cêntimos por cada período de 10 minutos, valor igual ao que é cobrado na Lousã e inferior ao cobrado em Condeixa.

S. Sebastião

quarta-feira, janeiro 09, 2008

AREAC Organiza Workshop sobre Biocombustíveis


A AREAC - Agência Regional de Energia e Ambiente do Centro está a organizar um workshop denominado “Biocombustíveis – importância estratégica a nível local”, que ocorrerá no dia 17 de Janeiro de 2008, no auditório do Centro da Biomassa para a Energia, em Miranda do Corvo.

Os municípios associados da AREAC têm mostrado um grande interesse na temática dos biocombustíveis e, de forma a contribuir para o cumprimento dos objectivos nacionais ao nível da sua utilização nos transportes, ponderam começar a utilizar estes combustíveis nas frotas municipais.

Também o facto de se sentir a nível local os problemas associados à incorrecta eliminação dos óleos alimentares usados tem levado alguns concelhos a promover campanhas de recolha no sector doméstico, pelo que interessa também dinamizar a utilização do biodiesel produzido a partir destes óleos.

As inscrições deverão ser efectuadas até ao dia 15 de Janeiro.

Fonte: CMMC


Janeiro de 2008, na Agenda

As Agendas para o mês de Janeiro de 2008, da Lousã, de Miranda do Corvo e de Penela:

http://www.cm-lousa.pt/agend_cultura.htm

http://www.mirandadocorvo.com/index.php?pagina=agendacultural

http://www.cm-penela.pt/agenda.php

domingo, janeiro 06, 2008

Metro Mondego em Acção - As Obras já Arrancaram!

Havia quem não acreditasse…
A Metro Mondego não sai do papel.
Eles vão ficar por Coimbra, vais ver!
Certo!?
Errado.
A antiga e centenária fábrica de rolhas na passada sexta-feira, dia 4 de Janeiro foi abaixo, o velho edifício limítrofe idem aspas, assim como a vegetação limítrofe.
As obras tinham chegado a Miranda do Corvo.
Ao contrário doutras vilas, em que o velho património é perseverado em Miranda do Corvo é para ir abaixo.
Quantos edifícios centenários existem na vila tirando o velho núcleo urbano?
Quantos?
Contam-se pelos dedos da mão.


Primeiro, o interface, depois a linha, prazo para conclusão das obras – 2 anos.

Para além disso haverá a requalificação do espaço urbano envolvente entre o moderno interface e o Corvo, estando prevista a construção duma ciclo via desde o interface até ao Corvo. A rede viária vai sofrer profundas alterações, estando ainda prevista a construção de parques de estacionamento em zonas destinadas à propriedade horizontal dalguns prédios – segundo se fala, porque o segredo é alma do negócio e os moradores serão os últimos a saber.

Porque houve um tempo em que valia tudo em Miranda do Corvo, os prédios nasciam como cogumelos, sem zonas verdes, parques de estacionamento, zonas de recreio para os mais novos, apesar de previstas na planta.

Os blocos de betão amontoavam-se em cima dos outros, excedendo a volumetria do espaço.
Miranda do Corvo era o «El Dorado» dos construtores civis da região centro.

Exemplos como o de Condeixa-a-Nova infelizmente não foram seguidos nesta vila. Ali sim há lugar para a harmonia, espaços verdes envolventes às zonas habitacionais, zonas de recreio para os mais novos, parques de estacionamento e equipamentos comunitários.

Agora, alguns dos moradores dos prédios limítrofes à linha de caminho de ferro, vêem com apreensão o futuro – o espaço comum de todos irá desaparecer, para ficarem sem estacionamentos nas áreas destinadas à propriedade horizontal; as crianças sem espaço para brincar em segurança e o comboio mais próximo de todos, colocando em causa a segurança dos mais novos.

Sim, porque segundo se consta a linha irá ser ripada dois metros para sul.

Quem ganha e quem perde?
Sinais do progresso…
… ou retrocesso?

Texto e fotos – Mário Nunes


Metro no Ramal da Lousã dá os Primeiros Passos

«A demolição de uma antiga fábrica de rolhas de cortiça marcou ontem o arranque das obras de construção da interface rodo-ferroviária de Miranda do Corvo, no âmbito do projecto do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM).
O SMM prevê a instalação de um metro ligeiro de superfície do tipo “tram-train” - com capacidade para circular nos eixos ferroviários, urbanos, suburbanos e regionais - no Ramal da Lousã, entre Coimbra e Serpins (Lousã), e na cidade de Coimbra.
A construção da interface de Miranda do Corvo constitui a primeira empreitada do projecto deste sistema que, segundo as previsões da sociedade Metro Mondego, deverá estar a funcionar em 2012.
A futura interface rodo-ferroviária visa a requalificação da rede viária junto à futura estação de caminho-de-ferro, com a criação de estacionamentos, a construção de novos nós de acesso e a melhoria das zonas de circulação pedonal.
O edifício demolido da antiga fábrica de rolhas de Miranda do Corvo, que funcionou nas décadas de 20 e 30 do século XX, foi escolhido para esse fim por se encontrar nas proximidades do caminho-de-ferro e da estação.
Tratava-se de uma imponente casa, com uma traça característica do início do século XX, que há várias décadas estava em processo de degradação.
A empreitada da construção da interface foi consignada no dia 11 de Dezembro à empresa Isidoro Correia da Silva por 816.227 euros, acrescido de IVA, com um prazo de execução de 360 dias.
A primeira fase do projecto do SMM implica ainda a construção das interfaces de Lousã e Ceira (Coimbra), cujo início está previsto ainda para este mês.
A intervenção na Lousã, consignada a 27 de Dezembro, implica a destruição do antigo cais e armazém de mercadorias da Estação da CP, construídos em 1907, cerca de um ano depois da inauguração do Ramal da Lousã, que ocorreu a 16 de Dezembro de 1906.
Segundo o presidente da sociedade Metro Mondego, Álvaro Maia Sêco, as obras na ferrovia do Ramal da Lousã devem iniciar-se no final do próximo Verão e estar concluídas dois anos depois, período durante o qual a circulação ferroviária ficará suspensa em toda a sua extensão.»

Fonte - Diário de Coimbra


sábado, janeiro 05, 2008

A Nova Lei do Tabaco


A Lei 37/2007 de 14 de Agosto aprovou as normas para a protecção dos cidadãos no que diz respeito à exposição involuntária ao fumo do tabaco, bem como as medidas de redução da sua procura e a cessação do seu consumo. As regras são apertadas para fumadores e estabelecimentos mas permitem algumas excepções. No entanto todos têm o direito de exigir o cumprimento da Lei.



É permitido fumar:


1. Nas áreas ao ar livre;

2. Nas áreas de serviço e postos de abastecimento de combustiveis ao ar livre, excepto nas zonas onde se realiza o abastecimento de veículos;

3. Nas áreas descobertas dos barcos afectos a carreiras marítimas ou fluviais

Sinalização e requisitos:

As áreas onde é permitido fumar deverão estar sinalizadas pelas entidades competentes, mediante a afixação de um dístico com fundo azul:



Estes espaços, destinados apenas ao acto de fumar, deverão estar fisicamente separados das instalações onde é proibido fumar;

Deverão estar equipados com dispositivos de ventilação directa para o exterior que proteja dos efeitos do fumo os não fumadores.


Os sistemas de extracção de fumo custam em média dois mil euros.

É proibido fumar:


1. Nos locais onde estejam instalados orgãos de soberania, serviços e organismos da Administração Pública e pessoas colectivas públicas;

2. Nos locais de trabalho e nos locais de atendimento directo ao público;

3. Nos hospitais, clínicas, centros e casas de saúde, consultórios médicos, postos de socorro e outros similares, laboratórios, farmácias e locais onde se dispensem medicamentos não sujeitos a receita médica;

4. Nos lares e outras instituições que acolham pessoas idosas, ou com deficiência ou incapacidade, bem como nos infantários, creches e outros estabelecimentos de assistência infantil, lares de infância e juventude, centros de ocupação de tempos livres, colónias e campos de férias destinados a menores de 18 anos;

5. Nos centros de formação profissional e estabelecimentos de ensino, independentemente da idade dos alunos e graus de escolaridade, incluindo salas de aula, de estudo, de professores e reuniões, bibliotecas, ginásios, átrios e corredores, bares restaurantes, cantinas refeitórios e espaços de recreio;

6. Nos museus, colecções visitáveis e locais onde se guardem bens culturais classificados, nos centros culturais, nos arquivos e nas bibliotecas, nas salas de conferência, de leitura e de exposição;

7. Nas salas e recintos de espectáculos bem como noutros locais destinados à difusão das artes e do espectáculo, incluindo antecâmaras, acessos e áreas contíguas;

8. Nos recintos de diversão e recintos destinados a espectáculos de natureza não artística bem como nos recintos das feiras e exposições ;

9. Nas zonas fechadas das instalações desportivas;

10. Nas grandes superficies comerciais e nos estabelecimentos comercias de venda ao público;

11. Nos estabelecimentos hoteleiros e outros empreendimentos turísticos onde sejam prestados serviços de alojamento;

12. Nos estabelecimentos de restauração ou de bebidas, incluindo os que possuam salas ou espaços destinados a dança;

13. Nas cantinas, refeitórios e bares de entidades públicas e privadas destinadas ao respectivo uso pessoal;

14. Nas áreas de serviço e postos de abastecimento de combustiveis;

15. Nos aeroportos, estações ferroviárias, estações rodoviárias de passageiros, nas gares marítimas e fluviais e nas instalações do metropolitano, desginadamente nas estações terminais ou intermédias, em todos os seus acessos, estabelecimentos ou instalações contíguas;

16. Nos veículos afectos aos transportes públicos urbanos, suburbanos e interurbanos de passageiros, bem como nos transportes rodoviários, ferroviários, aéreos, marítimos e fluviais, nos serviços expressos, turísticos e de aluguer;

17. Nos táxis, ambulâncias, veículos de transporte de doentes, teleféricos, elevadores e ascensores;

18. Nos parques de estacionamento coberto;

19. Nas cabinas telefónicas fechadas;

20. Nos recintos fechados das redes de levantamento automático de dinheiro;

21. Em qualquer outro lugar onde, por determinação da gerência ou de outra legislação aplicável, designadamente em matéria de prevenção de riscos ocupacionais, se proíba fumar.


Sinalização e requisitos:

A interdição ou condicionamento de fumar deverá ser assinalada pelas entidades competentes, através a afixação de distícos com fundo vermelho que contenham o montante da coima máxima aplicável aos fumadores que violem a proibição:







Fonte: DGS

Mensagem enviada pela amiga Gaby Francisco

Recorde Mundial!



100 Dólares por barril de petróleo, em bolsa...
Um rercorde mundial!
As petrolíferas nacionais apressaram-se logo a subir os preços, em jeito de prenda de Natal e presentearam todos os portugueses, com novos aumentos.
Pagamos a gasolina mais cara da Europa!
A gasolina 98 ultrapassou a barreira do 1,50 € (300$00 em moeda antiga).
Metade do valor pago pelos portugueses nas Bombas de Combustíveis é arrecadado em impostos pelo nosso Governo...
Como podem os nossos produtos ser competitivos?
E depois ainda há quem se admire porque motivo vão os portugueses atestar o depósito a Espanha!
Chegou a altura de começarmos a utilizar mais vezes os transportes públicos, deixando o automóvel privado para os passeios de fim-de-semana. Tenho a impressão que face a um bloqueio colectivo as gasolineiras apressar-se-iam a rever o preço dos combustíveis.
Texto - Mário Nunes


Questão de Química Básica



Qual a diferença entre solução e dissolução?



A diferença evidencia-se facilmente através de uma exemplificação:

Se o Ministro da Saúde (ou a da Cultura, ou o da Justiça, ou outro) cair num tanque de ácido, dissolve-se. É uma dissolução.

Se lá cair todo o Governo, teremos uma solução.

Enviado por amigos através de correio electrónico


terça-feira, janeiro 01, 2008

Fogo Surreal


Uma estranha neblina, a lembrar outras paragens envolveu ontem à noite Miranda do Corvo, impossibilitando mirandenses e visitantes de visionarem o fogo de artifício.
Ao longe ouviam-se os foguetes, mas do fogo, nem sinal de vista…

Programação do Cinema de Miranda do Corvo - Mês de Janeiro de 2008


A programação do Cinema de Miranda do Corvo encontra-se disponível no blogue:
http://kafekultura.blogspot.com

Feliz Ano de 2008




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...