segunda-feira, junho 16, 2008

Milimetro de Superficie (4)

Abaixo Assinado contra Traçado do Metro na Solum


«A agenda da reunião do executivo da Câmara Municipal de Coimbra volta a integrar questões relacionadas com o Metropolitano Ligeiro do Mondego (MLM). Desta feita, a integração funcional das estações do Vale das Flores, Norton de Matos, Arregaça, Rainha Santa e Parque vai ser votada pelos vereadores, que vão ficar a conhecer o desenho técnico da integração urbanística das cinco estações atrás referidas.


Para cada uma das paragens foram estudadas e avaliadas soluções técnicas que levaram, entre outros aspectos, à determinação da localização exacta das estações e das suas características e à definição dos acessos pedonais. Em resumo, a integração funcional diz respeito a questões urbanísticas e de mobilidade integrada nas paragens, com adequação às soluções técnicas.


A proposta para aprovação da solução urbanística e funcional das várias estações na malha urbana entre o Vale das Flores e o Parque da cidade volta a ser discutida pelo executivo, que, recorde-se, chumbou, no passado dia 10 de Março, com o voto do presidente da Câmara Municipal de Coimbra, o novo troço urbano, que inclui a variante da Solum.


Na altura, Carlos Encarnação disse exigir o compromisso por escrito da tutela a indicar a electrificação da totalidade do Ramal da Lousã, ou seja, até Coimbra-B, na primeira fase de trabalhos. Recentemente, Álvaro Maia Seco, presidente do Conselho de Administração da Metro Mondego (MM), deixou a garantia de que tal exigência será, em breve, concretizada pelo Governo de José Sócrates.


A vereação vai votar, ainda, o protocolo da construção da componente rodoviária do interface de Ceira. Recorde-se que as obras de construção das infra-estruturas (interfaces) de Miranda do Corvo e Lousã, a exemplo do que acontece em Ceira, já estão a decorrer, assumindo-se como obras essenciais para a implementação e funcionamento do Sistema de Mobilidade do Mondego.


Apesar do impasse e dos protestos de pais e encarregados de educação de alunos de escolas da zona da Solum, que, no dia 10 de Março, na reunião do executivo camarário, mostraram o seu descontentamento, Álvaro Maia Seco adiantou, há dias, que os estudos continuam e que, até ao final do ano, deverá ser lançado o concurso internacional para a construção do traçado urbano do metropolitano.


“Metro Mondego - alteração do traçado da zona da Solum” é uma das alíneas do ponto da agenda da ordem do dia dedicado a assuntos diversos. Vai ser dado conhecimento à vereação que foi entregue um abaixo-assinado, onde se incluem pais e encarregados de educação de alunos de escolas e moradores da zona da Solum, dando conta das preocupações já levadas à reunião da autarquia.», in Diário de Coimbra de 16.06.2008


Comentário meu: Com tanta polémica à volta da Metro Mondego, tanta contestação, tanto abaixo assinado, virá o Metro algum dia a circular em Coimbra ou no Ramal da Lousã?

Tenho as minhas dúvidas...

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...