quarta-feira, setembro 10, 2008

Estocada Final nos Produtores de Mel?


«Num ano em que a produção ficou a cerca de um quarto, os produtores de mel certificado Serra da Lousã receberam ontem, na XIX Feira do Mel do Espinhal, a notícia de que poderão vir a ter encargos acrescidos, não se augurando um grande futuro para os produtores mais pequenos.


De acordo com o presidente da autarquia de Penela, foi alterada a norma legislativa da certificação do mel, obrigando agora ao recurso a empresas especializadas, o que deve criar novos gastos para os apicultores.
Garantindo que a Câmara Municipal dará todo o apoio possível, Paulo Júlio explicou que a entidade adstrita à Terras de Sicó que até agora certificava o produto, com custos reduzidos (cerca de 10 mil euros anuais) e apenas uma técnica, já não corresponde ao exigido.


Ainda assim, os municípios do Pinhal Interior Norte uniram-se e decidiram financiar uma nova estrutura, que custaria cerca de 70 mil euros anuais, vontade que não resultou numa realização, por interdição superior.
Assim, segundo o autarca, terá que ser uma entidade privada a realizar a certificação do mel de origem protegida, em moldes ainda a conhecer, mas que terão certamente custos.


Já Augusto Santos, presidente da Associação de Apicultores da Serra do Espinhal (Serramel), alertou para outros problemas, como o fim das ajudas da Direcção-Geral de Veterinária, o que, na sua óptica vai afectar os pequenos produtores, que irão deixar de tratar as abelhas, contribuindo para acabar com este tipo de produção.


O dirigente alertou ainda para a proliferação de espécies como a carqueja, que substitui a necessária urze, avisando ainda para doenças que grassam na Europa e que «chegarão a Portugal sem que ninguém faça nada».
Apesar de todos estes problemas, 35 apicultores marcaram presença naquela que continua a ser a única feira apenas com mel certificado, apresentando também os produtos derivados, como os licores e pólen, entre outros, apreciados e comprados por centenas de visitantes.
Logo ao lado, a Mostra de Artesanato e Associativismo dava uma ideia da realidade económica da freguesia, que agora começa a “levantar a cabeça” com investimento forasteiros como a nova urbanização do grupo FDO, também presente no certame.


Aliás, os investimentos a realizar proximamente na freguesia, já noticiados pelo Diário de Coimbra, dominaram os discursos da sessão solene, em que participaram também o presidente da Junta de Freguesia do Espinhal, Jorge Pereira, e o chefe de gabinete do governador civil, Jorge Cosme.



Fim da feira distrital alvo de muitas críticas



Jorge Cosme revelou ontem que, ao fim de 10 anos, a Feira Distrital do Mel não voltará a acontecer, anunciando «uma feira regional de produtos endógenos, onde se inclui o mel».


No final do almoço do apicultor, Augusto Santos deu a novidade aos produtores, dizendo que a feira «está definitivamente condenada», e questionando «como é possível que o Governo Civil, que é autoridade da protecção civil, pode acabar com um certame que tem na sua origem a floresta, onde os apicultores são autênticos guardas».

In Diário de Coimbra, 10.09.2008


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...