domingo, abril 29, 2007

ZX Spectrum, o Computador que Marcou uma Geração

ZX Spectrum



Lançado em Abril de 1982, no Reino Unido, por Clive Sinclair há precisamente 25 anos, a mágica caixa preta, com algumas riscas coloridas pintadas num canto, indicando a possibilidade de ver as imagens a cores, num televisor, coisa rara naquela altura, pois, os monitores eram monocromáticos e os computadores de grande dimensão.

O sucesso comercial do Spectrum foi uma surpresa para toda a gente, inclusive para os fabricantes, das 1.000 unidades mensais, passou-se para 200.000, por mês e a empresa Sinclair viu-se em palpos de aranha, para responder a tanta procura.

À época, o Spectrum custava cerca de 40 contos (cerca de 200 Euros), uma fortuna, para muito boa gente.

Na altura surgiram também uma infinidade de jogos, tais como: o Pac Man, o Dictator, a Formula 1, o Manic Miner e tantos outros...

Os jogos custavam cerca de 1.000$00 (5 Euros), mas já havia piratas naqueles tempos, que recorriam às aparelhagens, para as suas gravações. O Spectrum lia cassetes áudio, onde também podia ser gravada música e as gravações nem sempre eram bem sucedidas, porque dava erro e o computador não conseguia abrir. Os jogos demoravam minutos a fio a carregar.

Naquela altura houve ainda quem recorresse a cursos de Basic muito populares então, para saber mais sobre informática e programação.

Em Portugal, a sua distribuição começou a ser feita pela Triudus e logo a seguir pela Landry (que foram os primeiros a fornecer manuais em Português). No Brasil, a empresa Microdigital produziu o TK 90X, um clone do modelo inglês, e o TK 95, cuja principal diferença era ser equipado com um teclado semi-profissional (semelhante ao do Spectrum Plus).

Baseado num processador Zilog Z80-A a 3,50 MHZ com 16 kb de rom, o Spectrum estava disponível em duas versões, uma com memória de 16 Kbytes de ram e outra com 48 Kbytes. Era possível expandir internamente o Spectrum 16 Kb para 48 Kb através da adição de 8 chips de memória e mais uns chips de controle.

Texto de Mário Nunes



Mais informações em:

http://www.worldofspectrum.org


«O ritmo da evolução tecnológica faz com que as novidades sejam postas de parte, não muito tempo depois de chegarem ao público.» in Público, 28.04.2007

3 comentários:

BIGMAC disse...

O PC onde mais portugueses se divertiram até hoje.

armindo disse...

Bom dia, na altura comprei um spectrum 48k, mais tarde um 128k+2, era um ás a programar em basic estes modelos. Tenho imensas saudades desse tempo, a gravação e leitura de dados era demorada, não sei o que é feito dos dois modelos que tinha :-(, mas se encontrasse um em bom estado comprava para matar saudades. Alguem me pode informar se existe algum clube de "maniacos" do spectrum, seria bastante interessante.

Anónimo disse...

Eu tive um 48K, depois tive um 128K... depois fiquei sem eles, e agora tenho (após muito custo e negociação) novamente um Spectrum 48K, um 128K e dois Timex Computer 2048 e 2068 respectivamente. Estes dois últimos são clones Portugueses do 48K com mais alguns avanços e 99% compatíveis com este. Nada me dá mais orgulho do que ver um pedaço de tecnologia que diz "MADE IN PORTUGAL", a qual aqui não foi explicada em detrimento de outra experiência estrangeira... Fica aqui a minha crítica.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...