domingo, maio 27, 2007

Primavera em Miranda do Corvo

Miranda do Corvo situa-se junto à confluência dos rios Alheda e Dueça, rodeada de serranias cobertas de verde.

Zona Histórica de Miranda do Corvo

A importância estratégica da vila foi em tempos marcada pela existência de um castelo medieval, do qual resta hoje a Torre Sineira, no Monte do Calvário. No ano de 1116, foi tomada pelos sarracenos e recuperada duas décadas depois, tendo os habitantes de Miranda recebido foral de D. Afonso Henriques, em 1136, posteriormente confirmado por D. Afonso II.

Rio Alheda


Glória

Depois do Inverno, morte figurada,

A primavera, uma assunção de flores.

A vida

Renascida

E celebrada

Num festival de pétalas e cores.

Miguel Torga


Câmara Municipal de Miranda do Corvo

Praça José Falcão, Jardim Público, Miranda do Corvo

Anunciação

Surdo murmúrio do rio,

a deslizar, pausado, na planura.

Mensageiro moroso

dum recado comprido,

di-lo sem pressa ao alarmado ouvido

dos salgueirais:

a neve derreteu

nos píncaros da serra;

o gado berra

dentro dos currais,

a lembrar aos zagais

o fim do cativeiro;

anda no ar um perfumado cheiro

a terra revolvida;

o vento emudeceu;

o sol desceu;

a primavera vai chegar, florida.

Miguel Torga


Aclamada como capital da chanfana, grande parte dos restaurantes da vila serve este prato confeccionado à base de cabra velha e vinho tinto, considerado obrigatório durante as festas religiosas de S. Sebastião, todos os meses de Janeiro. Nessa altura poderá, igualmente, adquirir peças de olaria em barro vermelho, tapeçarias de Almalaguês, ou as rendas engomadas típicas da região.


Antiga Fábrica de Tapetes dos Irmãos Baeta


Fotos de Mário Nunes

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...