domingo, outubro 21, 2007

Valorização Paisagística do Castelo do Germanelo


A valorização do património turístico-histórico de Penela tem sido, ao longo dos últimos anos, ponto de partida para a promoção de um território “de portas abertas” … o Castelo de Penela, o Espaço-Museu do Rabaçal e agora o Castelo do Germanelo criam um circuito de três pólos museológicos irmanados por características, recursos, interesses e necessidades comuns que dão novo ímpeto à compreensão da história de Portugal e do nosso Concelho. A Villa Romana do Rabaçal revive a época clássica e os Castelos do Germanelo e Penela descrevem o período da reconquista cristã e a formação da nacionalidade.


Na componente de promoção turística, a Câmara Municipal pretende desenvolver mais e melhores acções que ajudem a criar laços de interpretação da história e valorização do território. Assim, o Castelo do Rabaçal, um dos imponentes castelos da linha defensiva do Mondego, prepara-se agora para sofrer obras com vista ao uso e valorização deste património a nível turístico e a nível de estudos científico/académicos.


Esta obra, da responsabilidade do Município e fruto de um protocolo com os descendentes do Prof. Doutor Salvador Dias Arnaut, proprietários do Castelo e zona envolvente, com conclusão prevista para a próxima Primavera, incluirá a valorização e protecção da flora existente e restauro de alguns acessos de forma a obter uma redução ao mínimo da intervenção no solo, introdução de vegetação de diferentes estratos, valorização do sistema de relações visuais para com a envolvente e dentro da área de intervenção, nomeadamente, com a colocação de leitores de paisagem e sinalética (indicativa e interpretativa), criação de um espaço de estadia e merendas, e construção de pontos de apoio ao longo do caminho de acesso ao castelo.


A Câmara Municipal de Penela aprovou a adjudicação da empreitada à empresa Calado & Duarte, Lda., pelo valor de 123.404,10 €.



A Fábula dos montes do Germanelo…


“Os irmãozinhos que, em data incerta nos séc. XII-XIII, receberam o nome de Germanelos, são dois montes cónicos, quase iguais que – diz a lenda – foram habitados por dois ferreiros, em tempos antiquíssimos. Muito pobres possuíam um único martelo que partilhavam de bom grado. Aliás, também partilhavam os próprios nomes com os montes onde viviam…


Um dia, o irmão Gerumelo acordou indisposto. Quando Melo lhe pediu o martelo, atirou-lho com tal arremesso que a ferramenta se desencabou no ar. O cabo, feito de zambujo, foi-se cravar no solo, a uns quilómetros para norte, e dele nasceu o Zambujal; a cabeça pesada, caiu mais perto aos pés de Melo e logo da pancada brotou uma nascente de água férrea. Pergunte-se por ela na aldeia da Fartosa que ali cresceu e antigamente se chamava Ferretosa.”

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...