quarta-feira, setembro 30, 2009

Inaugurações em marcha...

Pavilhão Multiusos, Semide


Requalificação da Casa do Reis

terça-feira, setembro 29, 2009

Avalanche 2009


Informações em:

http://www.montanha-clube.pt/



Dia Mundial do Coração

segunda-feira, setembro 28, 2009

«Zé Cunhal» em destaque na lista do Bloco de Esquerda de Miranda do Corvo e em grande no Sapo Notícias e no JN


As imagens são da LUSA…

«Um ex-militante comunista conhecido por "Zé Cunhal" desde 1974 é agora candidato pelo Bloco de Esquerda na freguesia de Miranda do Corvo, o que lhe valeu ter sido rebaptizado pelos conterrâneos como "Zé Louçã".

"Os nomes não me pesam", afirma em tom divertido José António Cruz, que trabalhou 28 anos no Serviço de Águas da Câmara Municipal, sector que chegou a chefiar.

Ainda vogal da CDU na junta liderada por Carlos Silva, do PSD, "Zé Cunhal", também "Zé Louçã", de 60 anos, conta que "as divergências com o PCP começaram há oito anos".

O candidato revela a sua simpatia por Álvaro Cunhal mas também apreço pelo actual líder do Bloco de Esquerda, Francisco Louçã. Para José António Cruz o importante é «unir a esquerda».»

(sic)

http://noticias.sapo.pt/local/especial/autarquicas/noticias/artigo/s1020389.html


"Zé Cunhal" é agora "Zé Louçã"

Casimiro Simões (ver JN)

«Um ex-militante comunista conhecido por "Zé Cunhal" desde 1974 candidata-se agora pelo BE na freguesia de Miranda do Corvo, o que lhe valeu ter sido rebaptizado pelos conterrâneos como "Zé Louçã".

"Os nomes não me carregam", afirma em tom divertido José António Cruz, que trabalhou 28 anos no Serviço de Águas da Câmara Municipal, sector que chegou a chefiar.
Ainda vogal da CDU na junta liderada por Carlos Silva, do PSD, "Zé Cunhal", também "Zé Louçã", de 60 anos, conta que "as divergências com o PCP começaram há oito anos".
A ruptura confirmou-se e o reformado aceitou encabeçar a lista do partido de Francisco Louçã na sua freguesia.


"As alcunhas que me queiram pôr não me pesam, desde que não insultem a minha dignidade", declara à agência Lusa José António, que conhece a maioria dos mirandenses.
"Ó Zé Cunhal, bom dia!", cumprimenta um funcionário da Câmara, quando se cruza com o amigo junto aos Paços do Concelho.


O candidato do Bloco de Esquerda não renega as origens da velha alcunha que agora se transfigura. "Sou o José António, mais conhecido por Zé Cunhal!", apresenta-se.
"Zé Cunhal", evocação da matriz revolucionária do pós-25 de Abril, ou "Zé Louçã" são alcunhas carinhosas que lhe agradam de igual modo.

"Até acho bem que me ponham esses nomes", confessa, frisando que os seus "padrinhos" são pessoas de quem gosta.


Teve "sempre muito apreço por Álvaro Cunhal", o falecido líder histórico do PCP, revelando mais tarde simpatia pelo coordenador do BE.

"Tenho grande apreço também por Francisco Louçã neste momento", o que, explica, já vinha a acontecer nos derradeiros mandatos como autarca da CDU.

Além de bloquistas, a lista do ex-militante do PCP "inclui eleitores afectos à CDU, PS e PSD", segundo o próprio "Zé Louçã", que foi dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local.



Augusto Paulo, antigo vereador local do PSD, apoia a candidatura de José António à Assembleia de Freguesia de Miranda.

"No exercício da cidadania foi um lutador frontal e convicto, privilegiando sempre o interesse colectivo", salienta o ex-director do jornal Mirante num manifesto intitulado "Zé António é o meu candidato!".


Para o antigo dirigente nacional da CGTP Joaquim Calhau, mandatário concelhio do BE, "o Zé Cunhal é um homem popular que esteve sempre ligado à classe trabalhadora".
O bibliotecário comunista Carlos Marta Ferreira define o amigo "Cunhal" como "homem trabalhador, sério e honesto, mas muito teimoso, o que torna difícil chegar a consensos. Daí a recente ruptura com o seu partido de sempre".

"Apesar destas divergências políticas, que ao fim de mais de 30 anos nos colocam pela primeira vez em campos diferentes, seria para mim impensável deixar de ser amigo do Zé Cunhal. Ele sabe disso, mas também sabe que eu continuo a votar nos candidatos da CDU", concluiu.»


Os resultados das Legislativas 2009, para os concelhos da Lousã, Miranda do Corvo e Penela


Aqui se reproduzem os resultados das legislativas, nos concelhos da Lousã, Miranda do Corvo e Penela:


Concelho da Lousã:


PS - 43,51% - 3.964 votos

PPD/PSD - 25,73% - 2.344 votos

B.E. - 11,7% - 1.066 votos

CDS-PP - 7,94% - 723 votos

PCP-PEV - 4,02% - 366 votos

PCTP/MRPP - 1% - 91 votos

MEP - 0,35% - 32 votos

PPM - 0,26% - 24 votos

MPT-P.H. - 0,25% - 23 votos

PTP - 0,23% - 21 votos

MMS - 0,18% - 16 votos

P.N.R. - 0,16% - 15 votos

POUS - 0,14% - 13 votos



Se na Lousã, o PS ganha confortavelmente ao PSD…





Concelho de Miranda do Corvo:


PS - 43,9% - 2.992 votos

PPD/PSD - 27,89% - 1.901 votos

B.E. - 10,36% - 706 votos

CDS-PP - 7,48% - 510 votos

PCP-PEV - 4,2% - 286 votos

PCTP/MRPP - 0,87% - 59 votos

PPM - 0,37% - 25 votos

PTP - 0,29% - 20 votos

MEP - 0,28% - 19 votos

P.N.R. - 0,19% - 13 votos

MMS - 0,18% - 12 votos

MPT-P.H. - 0,1% - 7 votos

POUS - 0,07% - 5 votos




Em Miranda do Corvo, poderá haver surpresa…

Com a coligação Mais e Melhor arredada do Município.

Mas em Outubro, provavelmente as contas serão outras…





Concelho de Penela:


PPD/PSD - 42,62% - 1.436 votos

PS - 35,47% - 1.195 votos

CDS-PP - 8,19% - 276 votos

B.E. - 5,49% - 185 votos

PCP-PEV - 1,75% - 59 votos

PCTP/MRPP - 0,8% - 27 votos

MEP - 0,47% - 16 votos

PPM - 0,39% - 13 votos

MPT-P.H. - 0,21% - 7 votos

PTP - 0,18% - 6 votos

MMS - 0,15% - 5 votos

P.N.R. - 0,15% - 5 votos

POUS - 0,12% - 4 votos



Em Penela, o PSD está de pedra e cal, com um rejuvenescimento total da lista, com a chamada de gente nova, doutros quadrantes, para a política.

Com ideias novas e trabalho à vista, 4 anos depois, Penela parece outra…

O PS também disso se apercebeu e vai dai rejuvenesceu a lista…



É inevitável, falar nesta questão, será que os resultados das legislativas se repetirão nas autárquicas ou tudo será diferente?

Metro Mondego – Concurso para material circulante adiado de novo


Segundo, os jornais Diário de Coimbra e as Beiras, do passado dia 26 de Setembro de 2009 terá sido adiado, mais uma vez, o concurso para o fornecimento de veículos para o Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM), que terminava 4ª feira. Este foi prolongado até 11 de Novembro de 2009, de acordo com o anúncio publicado em Diário da República.

O adiamento prende-se com o pedido de esclarecimentos de concorrentes interessado no concurso.

Será!?

A ver vamos…


Associação da Casa do Povo – Centro de Cultura e Desporto de Miranda do Corvo


Chegou-me a passada semana à minha caixa de correio, mas deve ter ido para a caixa de todos os Mirandenses, um infomail da Casa do Povo, que considero bastante importante.

A Casa do Povo proporciona a prática de Ginástica Infantil, Fitness, Aeróbica, Acrobática, Judo, Futsal, Teatro, Coro, Aulas de Piano e Canto, dispondo ainda de um nutricionista.

Informe-se porque desporto é saúde

Fica ainda o horário das aulas de Grupo/Fitness, caso esteja interessado:



domingo, setembro 20, 2009

Penela, História e Arte

A primeira edição que se encontra esgotada há muito

«Em 1064, Fernando Magno conquistou definitivamente Coimbra. A queda da cidade deve ter arrastado a todos o seu sistema defensivo, que incluía Penela, ficando Coimbra a presidir à administração de um vasto território cristão que para sul atingia pelo menos o actual limite do distrito.


Penela, aspecto do Castelo

Sesnando, primeiro governador de Coimbra após a sua conquista, povoou o castelo de Penela, conforme diz em 1087 - na primeira referência que se conhece a Penela.» in Penela, história e arte

Germanelo - Aspecto das muralhas medievais do Castelo

Fotografia da vila de Penela

Convento de Santo António fundado em 1578 pelos Frades Capuchos


Penela, Pelourinho Medieval

Vinte e seis anos depois, aí está a segunda edição revista do livro de Salvador Dias Arnaut e Pedro Dias, que pode ser adquirido no Posto de Turismo da Câmara Municipal de Penela.

A primeira edição tinha esgotado há muito, no entanto para a História ficam as belíssimas fotografias a preto e branco, das quais aqui se reproduzem algumas, para que não se percam para sempre.


Na retina ficam as incursões pelos Castelos Medievais de Penela e do Germanelo, pelas Igrejas de S. Miguel e Santa Eufémia (na vila de Penela) e pelo património edificado da vila do Espinhal, bem como, pelas restantes freguesias do concelho de Penela: Cumieira, Podentes e Rabaçal.


A 2ª Edição de 2009

“Penela História e Arte” é um livro que revela a identidade, o orgulho e a auto-estima do povo deste concelho e a história de Penela, o património e as tradições.

À venda no Posto de Turismo de Penela!

P.V.P.: 12,50€

sábado, setembro 19, 2009

Feira do Mel


A realização da Feira do Mel tem assumido um sucesso crescente no Concelho de Miranda do Corvo.

O dia 20 de Setembro de 2009 foi a data escolhida para a realização deste certame, tendo como “pano de fundo” a excelente área ajardinada da Praça José Falcão.

A realização de feiras deste tipo contribui para a promoção de produtos do Concelho e da Região, sendo o mel um dos mais significativos.

A região da Serra da Lousã, onde Miranda se insere, é uma área privilegiada para a apicultura, pela sua grande diversidade florística, onde abundam as espécies melíferas.

Para esta edição já estão inscritos cerca de 32 produtores, no entanto as inscrições continuam abertas até sexta-feira dia 18 de Setembro.

Para além de apicultores do concelho de Miranda do Corvo, estão também representados apicultores dos concelhos vizinhos da Lousã, Penela, Pedrógão Grande e Góis.

Entre os apicultores presentes alguns irão também apresentar, além do mel, outros derivados, como é o caso dos licores e aguardente de mel e alguns utensílios.

Para além do mel, estarão ainda presentes no evento, artesãos com os seus produtos nomeadamente cestaria e brinquedos em madeira.

Mas, o certame não se fica apenas pela venda e exposição de mel. Os visitantes poderão ainda assistir a vários concertos que durante todo o dia animarão o certame.

Durante a tarde está também previsto o lançamento do novo livro do Dr. Edgar Panão, intitulado “Comentário – o outro lado da coisa”.

A animação cultural está marcada para as 11 horas e 30 e o lançamento do livro ocorre pelas 15 horas.

Na parte da tarde, pelas 16 horas e 30, os visitantes poderão assistir ao espectáculo do grupo de danças e cantares “Reviver o Passado”, da praia da Vieira de Leiria.

Caminhada


No próximo dia 20 de Setembro, a Câmara Municipal de Miranda do Corvo organiza uma caminhada denominada “rota do vinho”.

Com esta iniciativa, o município apela à necessidade da prática de exercício físico, a bem da saúde, para além do convívio que estas actividades proporcionam.

O percurso desta caminhada inicia-se junto do Mercado Municipal, pelas 8 horas, seguindo junto da linha do caminho-de-ferro em direcção a Lobazes, seguindo depois para Urzelhe. Nesta localidade realiza-se uma visita a uma adega da zona, nomeadamente a do Sr. Lucas Falcão. A caminhada continua em direcção a Lamas, com visita à capela da Nossa Senhora da Memória, seguindo depois para a Fervenças, terminando o percurso na Quinta da Paiva.

O percurso é maioritariamente realizado em caminhos pedestres de terra batida, em parte rodeados de vinha, com grau de dificuldade fácil, com uma distância de aproximadamente 10 Km.


quarta-feira, setembro 16, 2009

Lousã - Autárquicas 2009


«Teve lugar no dia 11 de Setembro de 2009, pelas 21 horas, a inauguração da sede de campanha do Partido Socialista da Lousã para as Eleições Autárquicas de 11 de Outubro de 2009. O espaço está localizado numa das principais artérias da vila, a Avenida do Brasil. A cerimónia teve a presença dos vários candidatos do PS Lousã, nomeadamente os cabeças de lista à Câmara Municipal, Assembleia Municipal e às 6 Juntas de Freguesia. Estiveram também presentes os mandatários da campanha, Horácio Antunes e Mário Maduro. (...)

Fernando Carvalho, para além de reconhecer de forma sincera a manifestação de força que constituiu a inauguração da sede de candidatura, salientou que a campanha terá que ser feita com confiança, com convicção, mas também com alegria e serenidade. Referiu que apesar de não estar tudo feito, o trabalho que tem sido desenvolvido, permite a todos ter consciência tranquila e encarar olhos nos olhos os Lousanenses. Seguidamente, enumerou alguns exemplos de projectos e obras importantes, nomeadamente: variante a Foz de Arouce, nova Escola 1,2,3 com Jardim de Infância, Metro, Pólo Empresarial de Casal de Ermio, Requalificação do Parque Escolar, Zonas de Lazer e Desporto Informal, Pavilhão do Bairro dos Carvalhos, Aldeias do Xisto, “Lousã, Destino Acessível” e a Construção de Novas Etars. Apresentou também vários projectos e obras que fazem parte do programa para os próximos anos, nomeadamente a construção de um Parque Desportivo e de Lazer, a Qualificação e Ampliação da Zona Industrial do Padrão, as acessibilidades, a Regeneração Urbana, a Intervenção em Locais de Interesse Turístico, salientando que não eram apenas ideias, mas sim situações para as quais já existiam em alguns casos verbas contratualizadas.

A terminar, Fernando Carvalho apelou à participação e empenho de todos.»

In http://www.pslousa.net/index.php





Foi no passado dia 19 de Maio de 2009, pelas 20:00H que a sede lousanense do PSD, plenamente lotada de militantes, amigos e apoiantes, foi palco da Apresentação Oficial de Filipe Soares, candidato do Partido Social Democrata à Câmara Municipal da Lousã nas próximas Eleições Autárquicas.
Este evento contou com a presença de Pedro Machado, Presidente da Comissão Política Distrital de Coimbra do PSD, o Presidente da Distrital da JSD e também vários Presidentes de Câmaras de Municípios contíguos.
Na ocasião, foi apresentado o Mandatário da Candidatura, Eduardo Teixeira Neto, antigo Presidente da Câmara Municipal da Lousã, bem como dois jovens para as funções de Directora de Campanha (Ana Paula Sançana) e Mandatário Financeiro (Nuno Marques).

No seu discurso de presentação, Filipe Soares, defendeu a necessidade de “implementar uma nova Dinâmica de Governação e de Desenvolvimento neste Município, uma dinâmica positiva, promovendo o envolvimento e a participação dos Munícipes, sem arrogância, com transparência”, afirmando-se “totalmente disponível para a Lousã nos próximos quatro anos” e prometendo “dedicação total ao cargo de Presidente da Câmara Municipal da Lousã, sem ter o pensamento no Governo Civil, na Assembleia da Republica ou em qualquer outro cargo público ou de nomeação política.” Afirmou igualmente ser detentor duma “nova esperança com esta candidatura”, agradecendo a todos os lousanenses o apoio e o incentivo que lhe comunicam constantemente. A sua convicção, o seu lema sempre presente: “É possível fazer melhor pela Lousã! A Lousã não quer mais do mesmo!”.

No plano das propostas elegeu a necessidade da construção de uma alternativa à Estrada da Beira (EN17), considerando a actual ligação a Coimbra um problema estrutural que afecta a Lousã, quer do ponto de vista económico quer social. No plano das acessibilidades internas, defendeu a necessidade de construção de uma Variante Poente à Vila da Lousã (ligando o actual nó das Fontainhas na EN342 à Fábrica do Papel do Prado) e de uma Variante Casal de Ermio (servindo Serpins e a Zona Industrial de Casal de Ermio).
A nível económico, propôs a criação de um Pólo Tecnológico, justificando assim a aposta na proximidade a Coimbra, que definiu como o mais importante centro do conhecimento do país, aliado às vantajosas Taxas Fiscais da Interioridade e a um conjunto de sectores com tradição na Lousã. Apelou ainda à criação urgente de um Gabinete de Apoio ao Investimento e de um Gabinete de Emergência Social, justificados pela situação extraordinária de crise que actualmente arruína o País. “Não me resigno a um presente que não oferece espaço na Lousã para todos os jovens quadros, condenando toda uma geração de jovens dinâmicos a abandonar a sua Terra para prosperarem”, disse, acrescentando: “Jovens qualificados, dinâmicos e empreendedores, também conto convosco para mudar a Lousã!”

O candidato do PSD à Câmara Municipal da Lousã apresentou-se determinado em “firmar um Contrato de Verdade” entre a Câmara Municipal da Lousã e os Lousanenses. Deste modo, Filipe Soares foi claro: “A Câmara Municipal da Lousã não pode pedir sacrifícios aos Lousanenses se ela própria não está disponível a sacrificar uma pequena parcela da sua receita em benefício directo dos Lousanenses (pessoas, famílias, PME, Pequenos Empresários) ”. Sugeriu então reduzir o IMI das actuais taxas máximas para 0,6% e 3,5% em 2009 e 5,5% e 3% em 2010 (caso a crise se agrave); a DERRAMA, promovendo a diferenciação de taxas de acordo com o volume de negócios, protegendo as Micro Empresas e as Pequenos Negócios, e também a Comparticipação no IRS de 5% (máximo) para 3%, dando 2% do IRS às Famílias Lousanenses.
Quantificando o impacto destas medidas e atendendo ao valor total do orçamento proposto pela actual maioria para 2009, Filipe Soares ressaltou a necessidade de apoiar e colaborar com as famílias e os empresários Lousanenses, ajudando-os a combater estes momentos difíceis.
Criticando a actual gestão municipal, Filipe Soares enfatizou a importância de “uma nova dinâmica na resposta aos pequenos grandes problemas que todos os dias surgem e que afectam a qualidade de vida das pessoas, e que esbarram na indiferença duma maioria Socialista que há muito perdeu a ligação aos Lousanenses e às suas dificuldades”, apelidando tais medidas de “obras de despacho” – não carecem de dotação orçamental – apenas de sensibilidade e conhecimento do terreno.”

http://www.psdlousa.net




«O Bloco de Esquerda (BE) apresentou no dia 1 de Agosto de 2009, às 16:00, no Auditório da Biblioteca Municipal da Lousã, os seus cabeças-de-lista à Assembleia Municipal e Assembleias de Freguesia, numa sessão presidida pelo mandatário da candidatura, o lousanense João Francisco Rodrigues, de 83 anos, músico e professor aposentado do Conservatório de Música de Coimbra.
Paulo Moura, de 39 anos, revisor de caminho-de-ferro, encabeça a lista à Assembleia Municipal, sendo os seguintes os candidatos às Juntas: Augusto Simões, 65 anos, guarda-florestal reformado (Lousã), Emídio Ventura, 53 anos, funcionário do Centro Hospitalar de Coimbra (Vilarinho), Helena Coelho, 45 anos, professora da Escola EB 2/3 da Lousã (Foz de Arouce), Pompeu Martins, 40 anos, motorista da Direcção Regional de Agricultura da Beira Litoral (Gândaras) e Agostinho Lopes, 46 anos, funcionário dos ex-Serviços Florestais (Casal de Ermio). »

http://www.trevim.pt




Conceição Loureiro candidata-se à Câmara Municipal da Lousã pela CDU pelo empenho e motivação que sente em fazer algo mais pela terra onde gosta de viver
Embora tenha nascido há 50 anos nos Estados Unidos da América, é filha de mãe lousanense e veio para as Gândaras era ainda pequena. Desde então, tem residido no concelho e nunca perde uma oportunidade de divulgar as suas belezas e potencialidades seja a visitantes ou aos seus alunos nas aulas de educação tecnólogica, que ministra há 29 anos, estando efectiva na Escola Secundária da Lousã.
Embora independente, comunga “desde que se conhece” dos ideais da Coligação Democrática Unitária, sobretudo no que diz respeito à defesa dos direitos dos trabalhadores. Embora seja o seu rosto que vai aparecer na primeira linha nos cartazes de campanha concelhios, assume-se, acima de tudo, como a porta-voz de toda uma vasta equipa que está nos bastidores.

http://www.trevim.pt



Para surpresa de muito boa gente, o CDS/PP não apresentou candidatos, nem listas...

Workshop «Fauna da Serra da Lousã – Brama dos veados»

Dia 19 de Setembro, a partir das 14H30, na Casa do Zé Sapateiro, na Ferraria de São João, em Penela, realiza-se mais um Workshop “Fauna da Serra da Lousã – Brama dos veados”, com o apoio do Município de Penela.

Este workshop é enquadrado pelos investigadores Joana Alves e António Silva e destina-se a todos aqueles que queiram conhecer e desvendar os segredos animais que a Serra da Lousã esconde.
Na primeira parte, a decorrer na Casa do Zé Sapateiro, na Feraria de S. João – Penela, é abordada a componente teórica, seguindo-se um passeio pedestre guiado, onde os participantes terão a oportunidade de observar a fauna da Serra da Lousã ou, pelo menos, detectar os vestígios da sua presença.

Nesta altura do ano os veados (Cervus elaphus), que se encontram em plena época da Brama, procurando constituir os seus haréns e defendê-los dos restantes machos, são os grandes protagonistas, sendo os machos facilmente detectados pelos fortes bramidos que emitem.


PROGRAMA
› 14h30m Apresentação teórica sobre a Fauna da Serra da Lousã
Parte I – Enquadramento geográfico, geológico e biológico;
Parte II – Principais espécies da fauna da Serra da Lousã;
Parte III – O veado (Cervus elaphus L.).
›16h00m Deslocação dos participantes para o maciço serrano.
›17h00m Percurso pedestre de observação de veados em plena brama.
›19h30m Fim do Workshop.

Mais informações e inscrições:
Go Outdoor

Mini Habitat de Penela
3230-255 Penela
tel. +351 239 561 392
www.go-outdoor.pt
info@go-outdoor.pt

terça-feira, setembro 15, 2009

Um estranho cheiro a… sulfato!?

Esta tarde, quando regressava a casa, após mais um dia de trabalho, pelas 19 horas, entre a entrada de Miranda do Corvo e o Corvo, notava-se no ar, um estranho cheiro a sulfato (poluição química do ar em curso)…

Algum tratamento agro-pecuário?

Alguma descarga para a atmosfera?

Ainda comentei o caso com alguns vizinhos.

Sinceramente não consigo identificar o poluidor.

Mas, nesta vila e neste concelho, tudo acontece em matéria ambiental, apesar de inúmeras queixas às entidades competentes, desde incêndios florestais, rios poluídos, água para consumo imprópria para beber e por último, o ar poluído, sem que os infractores sejam devidamente identificados e punidos.

Exige-se mão pesada, por parte das autoridades e punição exemplar.



segunda-feira, setembro 14, 2009

Ao frio, ao vento e à chuva...


Esta tarde, quando regressava de Coimbra, pela sinuosa Estrada Municipal, que liga Ceira, aos Moinhos e a Miranda do Corvo, constatei que estão a ser construidos «apeadeiros provisórios», para os utentes do Ramal da Lousã. A paragens estão a ser feitas nas bermas da estrada, as bermas deram lugar ao alcatrão, em Vale d' Açor, Trémoa, Moinhos e Lobazes, encontrando-se em causa, a segurança dos peões/passageiros.

Para além disso, sem um resguardo, centenas direi mesmo milhares de passageiros ficarão expostos ao frio, vento e à chuva, nos longos meses de inverno, enquanto aguardam pelas camionetas, que demorarão uma eternidade, a percorrer os caminhos da serra, que afastam Miranda do Corvo, de Coimbra, o percurso que era feito de comboio, em cerca de 30-35 minutos, será feito em hora de ponta, em duas horas!

Advinham-se filas de trânsito monumentais, entre Coimbra e Ceira, para desespero de estudantes, trabalhadores e automobilistas, que chegarão tarde às aulas e aos seus empregos.

A coisa promete, podendo o funil que é a Estrada da Beira ficar entupido, para desespero de outros utentes, de outros concelhos.

Estarão os candidatos às Autárquicas 2009, sensibilizados para tais questões?

Programação do arranque das obras no Ramal da Lousã

Foto - Mário Nunes

«De acordo com as instruções expressas pela Senhora Secretária de Estado dos Transportes e de acordo com o desejo reafirmado pelos Senhores Presidentes das Autarquias, a Metro Mondego tem vindo a envidar todos os esforços para que as obras de Reabilitação da infra-estrutura do Ramal da Lousã, possam iniciar-se a muito curto prazo.

A Metro Mondego encontra-se, nesta altura, na fase final destes preparativos, sendo que o momento exacto para dar início à execução dos trabalhos será, como não poderia deixar de ser, consertada com os respectivos Presidentes de Câmara.

O início dos trabalhos implicará a interrupção dos serviços que, ainda de acordo com directiva há muito expressa pela Senhora Secretária de Estado dos Transportes, Eng. Ana Paula Vitorino, será de forma faseada, no que diz respeito ao troço final Coimbra A – Coimbra B e também, se de todo possível, no que se refere ao troço Miranda – Coimbra A.

De referir, no entanto, que o funcionamento parcial destes troços, principalmente do último referido, só poderá eventualmente ocorrer durante um período de tempo muito curto porque muito rapidamente o enorme volume de obras previsto inviabilizará a manutenção deste serviço ferroviário.

Este conjunto de obras marca uma nova etapa no projecto do Sistema de Mobilidade do Mondego com vista à sua concretização, algo há muito esperado pelas populações dos concelhos de Coimbra, Miranda do Corvo e Lousã.

Para minimizar os impactos da interrupção do serviço ferroviário no quotidiano das pessoas estão a ser devidamente preparados os serviços rodoviários alternativos, tendo já sido definidos com as autarquias, os locais de paragem mais adequados para prestar um bom serviço à população. »

Isto, segundo a Metro Mondego:

http://www.metromondego.pt





Miranda pela objectiva do clube de fotografia Contrastes


Foi inaugurada no passado sábado, na sala polivalente da biblioteca municipal Miguel Torga de Miranda do Corvo uma exposição colectiva do clube de fotografia “contrastes”.

Esta exposição, subordinada ao tema “Miranda”, estará patente até ao próximo dia 30 de Setembro.

O clube “contrastes” nasceu em 2007. Surgiu do interesse comum pela fotografia de um grupo de amigos, com o objectivo de trocar experiências e, desta forma, melhorar os seus trabalhos.

A experiência dos membros do clube é muito diversificada, existindo alguns membros com extenso curriculum e alguns prémios conquistados enquanto que outros são praticamente iniciantes.

A exposição inclui trabalhos de Ana Cláudia Silva, Carlos Alves, Carlos Magalhães, Cláudio Pereira, Fausto Morais, Fernanda Jacinto, Francisco Pedro, Horácio Santos, João Miguel Simões e Vítor Silva.

A exposição pode ser vista de 2ª a 6ª feira, das 10h30 às 17h00 e ao Sábado das 10h00 às 12h30.


domingo, setembro 13, 2009

Postais Antigos da Vila de Miranda do Corvo (1)

Miranda do Corvo - Anos 50
Vista parcial, a partir da Mesura.
Edição para o Jornal «Mirante», 1999
Esta magnífica colecção de postais pode ser adquirida naquele jornal, em Miranda do Corvo, por 3,50 €.

sábado, setembro 12, 2009

Viagem a Serpins



Para todos recordar-mos um dia. Em breve, o Ramal da Lousã entrará em obras e as automotoras serão substituídas pelo novo metropolitano, que teima em sair do papel depois de tanto dinheiro gasto em salários e estudos.
Enfim, obras à portuguesa...

Feira do Mel, em Miranda do Corvo


Na Praça da Liberdade, no próximo dia 20 de Setembro de 2009

Festa das Vindimas 2009



12 e 13 de Setembro de 2009, Lamas, Miranda do Corvo



As imagens são de Luís Guerra, para o You Tube

Parque das Águas Romanas



O Parque das Águas Romanas em Penela, junto ao Mercado Municipal, desta vila, foi inaugurado no passado dia 30 de Agosto de 2009.


Este que é o primeiro parque de temática infantil romana do país, colocará à disposição dos seus visitantes variados equipamentos para divertir os mais novos, desde uma aldeia romana, a um campo de futebol romano.

quinta-feira, setembro 10, 2009

Fogo consumiu 100 hectares de floresta e ameaçou os Moinhos e o Carapinhal

«Miranda do Corvo viveu ontem o maior incêndio dos últimos anos. Autarca fala em mão criminosa.

Mais de 100 hectares de floresta arderam ontem nas proximidades de Miranda do Corvo naquele foi o maior incêndio dos últimos anos no concelho, tendo chegado a ameaçar as povoações de Moinhos e Carapinhal que, todavia, passaram incólumes à fúria devastadora das chamas.


Os momentos de maior aflição viveram-se na localidade de Carapinhal, a cerca de um quilómetro da vila de Miranda do Corvo, com as chamas a passarem perto da povoação.


O alerta para o fogo foi dado por volta das 14h40 e o combate às chamas mobilizou 171 bombeiros de várias corporações da região centro, 20 elementos do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS) da GNR e oito elementos da Equipa de Sapadores Florestais, num total de 199 operacionais no terreno, apoiados por 46 viaturas e seis meios aéreos de combate às chamas.


Dois depósitos do sistema público de abastecimento de água chegaram a estar rodeados de chamas mas, de acordo com fonte autárquica, não foram afectados.


As chamas eclodiram junto da estrada municipal que liga Moinhos a Miranda do Corvo, “cresceram” em direcção à povoação de Moinhos e chegaram até à zona da Pisca, próximo do Vidual, passando ao lado do Carapinhal, povoação que mereceu forte atenção dos meios aéreos, dada proximidade das chamas, que efectuaram diversas descargas nas proximidades do aglomerado habitacional.


A presidente da Câmara Municipal, Fátima Ramos, considera que o incêndio foi um acto premeditado, que foi potenciado pelas altas temperaturas e pela orografia acentuada do terreno.


«Não é muito normal que, na mesma zona, ocorram 21 incêndios no mesmo ano. Tanto tentaram que hoje conseguiram», lamentou a autarca social-democrata, salientando que o tempo quente e as zonas sinuosas contribuíram para a propagação do fogo.


O comandante dos Bombeiros, Fernando Jorge, disse também não ter dúvidas que este foi «um fogo premeditado».


Elementos da Polícia Judiciária e da GNR estiveram, de resto, ontem à tarde no local onde eclodiram as chamas e, segundo apurámos, pode estar por dias a detenção do suspeito da autoria dos incêndios.


Com o objectivo de permitir uma melhor movimentação dos bombeiros, nas operações de combate às chamas, os dois principais acessos a Miranda do Corvo foram cortados, a meio da tarde, funcionando, como alternativa, a via que atravessa a freguesia de Lamas. Todavia, por volta das 18h30, numa altura em que o fogo já estava “mais calmas”, as duas vias foram reabertas, permitindo o retomar da normal circulação.


As acções de rescaldo prolongaram-se pela noite dentro e vão continuar durante o dia de hoje, mantendo-se no local um grande dispositivo de meios, no sentido de evitar quaisquer possíveis reacendimentos que se possam verificar. »

Fonte: Diário de Coimbra, de 10.09.2009




Alerta para a privatização da água


«O Bloco de Esquerda (BE) alertou, hoje (dia 10), em Coimbra, para um cenário de alegada privatização do fornecimento de água ao domicílio.

A autarca Catarina Martins, candidata à presidência da Câmara conimbricense, afirmou aos jornalistas ter chegado “o momento de travar o processo”.

Presente numa conferência de Imprensa convocada pelo BE, Francisco Louçã disse que o PSD “insinua a venda” da empresa Águas de Portugal e considerou que o PS “já a admitiu”.

“Os portugueses mais pobres e os residentes no interior do país serão os primeiros a sofrer”, caso se concretize o negócio, advertiu o coordenador do Bloco.

A 30 de Julho [de 2009], o “Campeão” indicou que, ao abrigo de uma parceria com o Grupo Águas de Portugal (AdP), a empresa municipal Águas de Coimbra (AC) poderá vir a concessionar o fornecimento do precioso líquido.

A medida inserir-se-ia na génese de um novo figurino para o abastecimento de água ao domicílio.

O chamado sistema “em baixa” , assegurado em Coimbra pela AC, poderá vir a ser confiado a outra empresa , desconhecendo-se se sob a forma de concessão.

A parceria encarada pelo Grupo AdP contempla nove municípios do distrito conimbricense, quatro do leiriense e um concelho do distrito de Santarém: Ansião, Arganil, Batalha, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Góis, Leiria, Lousã, Miranda do Corvo, Ourém, Penacova, Penela, Porto de Mós e Vila Nova de Poiares.

Para Catarina Martins, membro da Assembleia Municipal de Coimbra, está a perspectivar-se a criação de “monopólios regionais em torno de um bem público essencial”.

“As infra-estruturas, equipamentos e recursos humanos são incorporados nos activos do Grupo AdP, significando isso que os investimentos realizados nos municípios (com dinheiro público) serão entregues, de mão beijada, ao sector privado”, vaticinou a autarca.

Segundo o BE, há câmaras municipais a justificarem a eventual adesão à parceria com o facto de só assim poderem apresentar candidaturas ao Fundo de Coesão; mas Catarina Martins alega tratar-se de uma “chantagem do Governo” a que várias autarquias terão cedido apesar de haver alternativas.

Por ocasião da criação da sociedade Águas do Mondego, maioritariamente detida pela AdP, ficou consignado que, num cenário de privatização da empresa-mãe, mais de 50 por cento do capital social da AdM deverá ser subscrito por municípios.», in Campeão das Províncias, edição on line de 10.09.2009

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...